TAG: Coisas que amo

Mês passado lancei a TAG “Coisas que detesto” . Foi uma experiência divertida e, por isso decidi criar mensalmente uma nova TAG! Esse mês de Março o tema será “Coisas que amo” e vai funcionar do mesmo jeito: Só postar (ou compartilhar) a imagem no seu Facebook ou outra rede social e esperar os amigos comentarem. Aí você comenta as respostas deles em um texto no blog!
Tenho que confessar que essa TAG me surpreendeu – Tenho uma página do blog no Facebook onde posto conteúdos rápidos, fotos, etc. Até semana passada eu tinha 531 curtidores nessa página e, após lançar a TAG por lá, o número chegou a 15mil! 15mil pessoas curtindo a minha página é algo que ainda me assombra, mas estou muito feliz! Enfim, vamos lá comentar as respostas das coisas meus amigos acham que eu amo!

1) Ataulfo Alves: Ok, eu gosto de músicas antigas,mas dizer que eu AME Ataulfo Alves é forçar um pouco a situação… Podia ser ao menos Carlos Galhardo ou Frank Sinatra, não é Daniel Prates? Afinal, você é cantor e eu nunca lhe pedi Ataulfo Alves em nenhum show! Kkkk
2) Jiló: Meu amigo Josué Pedrozo errou muito feio!
3) Ana Marques disse violão. Sim. Amo violão, levava pra faculdade para tocar no intervalo inclusive!
4) Lamartine Babo: Também é exagero dizer que está no rol das coisas que amo. Ele ficou conhecido pelas marchinhas e pelo carnaval e eu não sou assim muito carnavalesca, então para mim é indiferente… Vera não acertou!
5) Pakalolo: Eita assunto tenso de se comentar em público não? Humberto foi bem espertinho em sugerir essa!
Amor próprio: Sempre importante. Foi um comentário inusitado do Marcelo Inácio, mas interessante.
6) Verônica Nascimento: Escreveu “Eu”. É, como não amar as amigas?
7) Amor Vampírico: Minha amiga Chuana acertou! Não resisto a uma boa história de amor entre vampiros ou vampiros e humanos.
8) Escrever: Amo muito! E alguns amigos meus lembraram de dizer isso! Demorou, mas lembraram! Mario Rezende e Lili Maria acertaram!
9) Conversar: Gosto e como gosto! João acetou!
10) Bruxas: Minha amiga Jackeline lembrou muito bem esse detalhe! Sou Wiccana e adoro bruxas!
11) Liberdade, Igualdade e Fraternidade: A querida Rose Magalhães disse as três coisas que eu gostaria de saber que existem para todos e todas.
12) Atum: Só o Renisson! Piada pessoal pelo dia há anos atrás, em que quase tive uma pequena recaída do vegetarianismo comendo uma torrada com patê de atum… Não gosto nem de lembrar! Amo Atum, desde que esteja vivo. #GoVegan
13) Música: Rosa, Lili e Pontes acertaram essa! Amo muito, tanto que estudo música!
14) Cantar: Uma lembrança muito boa da Raquel! Sim, amo cantar!
15) Amigos: Novamente a Raquel lembrou algo importante! Amo meus amigos
16) Batata Doce: kkkk A Kuka lembrou de algo engraçado! Batata Doce? Eu não posso amar batata doce… Mas ao mesmo tempo, por que não? Sim, eu amo batata doce, principalmente doce de batata doce.
17) Dançar: Dox acertou também, amo dançar e meu sonho antes da música era fazer faculdade de Dança!

Meus amigos provaram que me conhecem bem, tanto nas coisas que odeio quanto nas que amo, mas fiquei bastante decepcionada: Ninguém citou “Livros”, “Frio”, “Chuva”!
Bom, ficam convidados para responder a TAG:

Hello

Patriamarga

Vivimetaliun

Pitacos e Achados

COISAS QUE AMO

 

 

17/04/16: O dia que historiadores terão dificuldade de explicar no futuro

Em 17 de Abril de 2016 votava-se no Congresso o afastamento da Presidenta Dilma, que posteriormente sofreria o impeachment. Foi o início de um período nebuloso que perdura até os dias atuais: O atual presidente aprofunda ainda mais o abismo social já existente no país através de reformas que precarizam o trabalho, o ensino, os serviços públicos e até mesmo a aposentadoria. É uma realidade assustadora, especialmente para as camadas sociais menos favorecidas economicamente e para as minorias. E isso tudo está sendo vendido e maquiado pela mídia de forma a levar uma parcela da população a acreditar que esta é a única maneira de sair da atual crise é a implementação de tais medidas que trarão resultados desastrosos para o futuro do país. É impressionante o silencio ou mesmo a fala em negação da grande maioria dos legisladores quando o assunto é taxar as grandes fortunas, exigir que as propriedades cumpram sua função social, priorizar o meio ambiente ao lucro das grandes empresas.  É deprimente vermos dívidas de teleoperadoras sendo perdoadas enquanto direitos básicos são massacrados.  Mas essas questões não são a parte mais nojenta e indigesta do período em que vivemos! Ao escrever este texto, recordo-me de estar assistindo à votação dia 17/04/16: Inicialmente foi chocante reparar na quantidade de deputados e deputadas que orgulhosamente diziam ter votado a favor do Impeachment do Collor! Eles simplesmente esqueceram que cargos políticos são temporários e se perpetuam no poder (com a ajuda dos votos da população que eles sistematicamente prejudicam)! Além disso, houve tantas citações religiosas (ignorando o fato de vivermos em um país laico), tantas falas “dedicando” o voto ao futuro de filhos e netos (como se o futuro dessas crianças, nascidas em berços regados a dinheiro e corrupção estivesse em risco). Houve também falas imundas e uma funesta homenagem a um torturador. Sim, essa votação deveria envergonhar a todos – até mesmo àqueles que discordam do governo Dilma. Aliás, certas falas deveriam especialmente envergonhar àqueles que se dizem “defensores de um país melhor, com mais igualdade e sem corrupção”. O Impeachment não se baseou em leis – não houve crime comprovado! O impeachment foi um acúmulo de forças corruptas que , em conchavos pretendiam barrar investigações antes que nomes importantes da direita caíssem e foi fortalecido pelo machismo e pela intolerância – dos nossos representantes e, infelizmente, de uma parcela da população que insiste em acreditar no que lhes é vendido por eles.

Fico imaginando como os futuros historiadores conseguirão explicar esse dia histórico para o nosso país: A retirada de uma presidenta do poder por motivos meramente políticos através de um circo de horrores.

Um ano depois, o que nos resta é buscar formas legitimas de organização para lutar pelos direitos que nos estão sendo tirados e pela melhoria geral da qualidade de vida neste continental país, mas isso só será possível quando cada um e cada uma se derem conta que política não é “aquele troço que acontece a cada quatro anos onde decidimos quem irá ocupar o poder” e sim uma atuação constante, diária, de cada um.

E, por falar em direitos e lutas: Dia 28 de Abril é dia de Greve Geral. Independentemente da opinião de cada um sobre o Impeachment (que foi tema inicial deste texto), a participação no movimento de greve é imprescindível para barrar a reforma trabalhista e previdenciária.  Se houver protestos na minha cidade, estarei na rua! E vocês?

#nenhumdireitoamenos #ForaTemer #PrevidênciaFicaTemerSai #DiretasJá

Páscoa ou Ostara?

Sei que o tema é delicado e, de antemão já adianto que não tenho a intenção de ofender meus leitores e leitoras cristãos – Acredito que religião e crença são coisas extremamente íntimas e respeito muito cada uma delas. Entretanto, não poderia deixar de escrever este pequeno texto falando sobre o paganismo, afinal, mesmo afastada da Wicca há algum tempo, ainda trago no coração o chamado da Deusa.

Páscoa. Aquele dia gostoso, domingo festivo e cheio de chocolate. Para os cristãos, a comemoração da ressurreição de Cristo. Para o comércio, a chance de vender ovos, doces, pelúcias. E de onde surgiram esses símbolos afinal? Ovos? Coelhos?

Nos panteões de deidades anglo-saxãs e nórdicas, Eostre (ou Ostara) era tida como a deusa da fertilidade, do renascimento, e, durante a primavera, a essa deusa eram associados símbolos de fertilidade – como ovos coloridos e coelhos  Havia festividades em e, a Deusa acabou por dar seu nome ao Sabbat Pagão. É importante ressaltar que a festividade de Ostara é celebrada no final de março (durante a Primavera), no hemisfério Norte – Aqui no hemisfério Sul há quem siga a mesma data, e há quem comemore em Setembro (na nossa primavera). Aqui em casa, costumo comemorar em Setembro, mas confesso que não abro mão de aproveitar esse clima de gula, paz e amor que chega todos os anos durante a Páscoa – afinal, é sempre bom aproveitar as datas especiais, ir pra cozinha, fazer ovos, bombons, bolos e mimar muito as pessoas que amamos, não é? E em Setembro é só fazer de novo e está tudo certo!

Ah, e não vamos esquecer: Ovos de chocolate vegano, afinal, não vamos maltratar animais para celebrar nossas crenças!

Feliz Páscoa para quem é de Páscoa; Feliz Ostara para quem é de Ostara!

Por testemunha a lua

Por testemunha a Lua
E as estrelas por faróis
Por canção o vento
Por templo, a noite

Assim foi – em minh’alma nua
O teu olhar – Luz de mil sóis
Foi ao mesmo tempo alento
E novo (doce) açoite

Sem querer, fui tua
Nem ficamos a sós
Bastou a alma voar – e o corpo ao relento
Amava-te platonicamente toda a noite. Você percebeu?

E conversando com a Lua
Sei que fui tua – fomos nós
Eu e você! Sonhado momento
Lembranças do que não aconteceu…

(2013)

1105574fab2kerfm9

Brilho do luar

Brilho do luar, Vento do Sul
Sonhos de um céu Azul
Diamantes celestes
Estrelas brilhantes

Oníricas imagens
Trazem os olhos teus
Apenas paisagens
Dos mais belos sonhos meus

Teu olhar, promessa de ternura
Um toque teu, imensa candura
Levanta das magias os véus
Leva-me conhecer os sete céus

E a noite assim foge veloz
Será o tempo cruel algoz
Leva-te para longe de mim
E a poesia chega ao fim

Acabam-se as infinitas estradas
De amor enfeitadas
E resta a realidade
Escrever a saudade

 

(2013)

Desafio cinetoscópio #14: Um filme da sessão da tarde

Um dos meus filmes favoritos na infância, “Elvira, a Rainha das Trevas”, marcou lugar na sessão da tarde no inicio dos anos noventa.

O enredo é bem simples e por isso é bem difícil comentar com detalhes sem revelar a trama, mas em resumo pode-se contar que uma caricata e sexy apresentadora de filmes de terror recebe a notícia de que é herdeira de sua rica tia e segue animada para a cidade pequena onde deve ocorrer a leitura do testamento. Desde o início, fica claro que a desinibida Elvira jamais se encaixaria naquela cidadezinha e esse é o início de um filme que promete algumas horas de risadas (mesmo nas horas que pretendem ser tensas).

O filme é ideal para quem procura risadas e pouco romance e a boa notícia – Dá pra assistir no Youtube!

 

Primeiro de Abril

Dizem que hoje é dia da mentira. Precisamos mesmo é criar um dia para celebrar a verdade – Imagina como seria um dia onde todos só falassem verdades? Seria um dia duro deveras, um dia possivelmente cheio de lágrimas onde se exporiam as dores e muitas vezes também tudo que há de pior em cada um. Loucura né? Mentir tornou-se algo diário – A gente levanta e mente pra si mesmo, faz de conta que está feliz e que a vida é maravilhosa – faz de conta que esquece as lágrimas que o travesseiro secou durante a noite, guarda na gaveta aquele sonho bom que foi só um sonho mesmo. A gente mente quando passa maquiagem pela manhã, máscara que oculta nossa pele. A gente mente um sorriso para talvez mentindo acreditar que é feliz – e assim vamos entre meias verdades preenchendo nossos vazios, nossas saudades. A gente omite o amor, afinal, a “onda” é ser desapegado, é não demonstrar afeto. E vamos levando, levando a vida adiante como se nada estivesse acontecendo. E atravessamos as horas, os dias, os meses, os anos. Eu, você que me lê, todos nós. Mentirosos e nada mais que isso. Pouco ou muito, apenas mentirosos fingindo uma felicidade que não existe plenamente – por esperança de que venha a existir ou pra esconder a saudade do que passou.

Amor

Amor… Que estranha sensação
Donde vem tal tormento
Que invade o coração
E tudo arrasta como folhas ao vento?

Quem nos planta tal semente
Que floresce em lágrimas somente
Que com nosso sangue cresce
Amor que mata, morre, renasce

Amor que tudo é em meio ao nada
Deserta e perigosa estrada
Que tanto desejo percorrer
Para somente de amor morrer
 
Ah… Pudera eu de amor
Em teus braços viver
Teria a vida mais sabor
Teria a vida mais prazer

 
(2013)

TAG: Coisas que detesto

Estava rolando no Facebook uma imagem com os seguintes dizeres: “Prove que você me conhece: Cite uma coisa que eu detesto”. Em minha opinião, detestar ou odiar algo é uma coisa bastante forte, e, por isso mesmo fiquei curiosa para ver o que os meus amigos, colegas e amigos virtuais iriam dizer e compartilhei. Embora não tenha sido uma postagem super comentada, me surpreendi com as respostas e decidi começar, aqui no blog uma TAG sobre o assunto. Vai funcionar assim: Você posta a imagem no seu Facebook (Criei uma imagem aqui pro blog para não usar a da outra página, pois não sei se haveria problemas utilizar a já existente), deixa lá por algumas horas e depois escreve um texto para o seu blog comentando as respostas dos seus amigos e indicando outros blogs para responder.

Em geral, meus amigos me surpreenderam e acertaram muitas coisas. Como não foram tantos comentários, irei seguir a ordem das respostas deles:

  • Esperar o ônibus: Sério, sempre me estresso, acho que vou perder compromissos, saio de casa duas ou três horas antes do horário dependendo do percurso que terei que fazer… Realmente esperar o ônibus está naquela lista de coisas do dia a dia que eu não curto. Mas vamos combinar: Pior que esperar é pagar super caro por um serviço que é um direito e ainda viajar espremida feito sardinha enlatada, em pé e sendo jogada de um lado pro outro. (Eu devo reclamar bastante disso no facebook, afinal, a amiga que escreveu isso NUNCA ficou no ponto de ônibus comigo, né Ângela?)
  • Jair Messias Bolsonaro: Da lista todinha, essa foi a resposta que citou algo/alguém que desperta meu ódio e desprezo mais profundos. Sério: O cara é machista, homofóbico e se orgulha disso! As coisas que ele já falou em entrevistas e na Câmara são de arrepiar e de envergonhar as pessoas de bem! E ainda homenagear um torturador cara a cara com uma mulher que foi vítima dele? Impossível. Odeio mesmo, a ele e a todas as ideias que ele representa. Não dá! Paulo acertou em cheio! (E não, eu não te odeio, apesar de você aparentemente gostar dessa figura horrível)
  • Gogoboys: Eu sei que numa conversa de grupo no WhatsApp eu disse que detestava gogoboys. Na verdade, não detesto. É uma profissão honesta e artística como qualquer outra. Quando disse que detestava foi por uma brincadeira onde disseram que iriam levar alguns até a porta da minha casa e, sério: Não vejo graça nenhuma em ver gogoboys, então, dispenso! Mas não odeio! Mas foi uma boa lembrança Rosa!
  • Comer bichinhos/carne/salsinha: Gente, sério que vocês lembraram falar de comida nesse post? Ri muito! Mas é verdade, não curto comer os animais, eles são meus amigos e não minha comida! Luisa, Lili, Luciana e Jackeline acertaram!
  • S: Felipe quis tirar uma onda com uma piada particular e acabou despertando uma onda de coisas com S que eu não gosto: “Seara”, “Sadia” (indústrias), Sangue, Sexo, Salsicha… kkkk
  • Sangue: Eu não posso detestar algo que está dentro do meu corpo! Mas confesso que não gosto de ver sangue ou tocar nele, seja sangue de carne no mercado (Quem trabalhou comigo sabe como me irritava as peças de carne no caixa) ou quando alguém se machuca perto de mim. Dá aflição!
  • Sexo: É a origem biológica da vida, então não é algo tipo “detesto e quero que seja banido do universo”, mas de certa forma o Rafael acertou: Não curto, não acho interessante e não tenho a mínima vontade – A única parte boa do sexo deve ser quando se mora com a pessoa e pode acordar no dia seguinte de madrugada e fazer aquele café da manhã com direito a pão e bolo fresquinho… Ou então ficar vendo o(a) parceiro(a) dormir. De resto acho invasivo, desconfortável, tedioso e só por muito amor eu me submeteria a uma situação dessas… (Por favor, não se choquem)
  • Michel Temer: Acredito que meus amigos perceberam a importância da participação política na minha vida. Como militante da esquerda, para ser específica, do PSOL, não tem como não detestar um vice presidente que comete a traição que o Temer cometeu, assume a presidência e aprofunda situações que já estavam ruins, aprovando medidas que curto, médio e longo prazo tiram direitos das pessoas, principalmente das pessoas mais humildes – PEC 55; Reforma da Previdência, Reforma do Ensino Médio, Terceirização… Onde iremos parar? Não é nenhum absurdo sonhar com um país onde uma pessoa possa optar por qualquer profissão tendo a certeza de que terá uma vida digna! Um país com menos competitividade entre as pessoas, menos “puxadas de tapete” para “subir” a qualquer custo e garantir o mínimo de dignidade (ou seja: saúde, educação, comida na mesa). O (des)governo Temer está fazendo o trabalhador pagar um preço alto por erros que são apenas dos atuais governantes. Rose, acertou! #ForaTemer
  • Não tirar fotos para ter recordações: Sério, Verônica lembrou uma coisa que eu detesto – estar com pessoas que amo e não tirar uma foto pra recordar o momento (vai que um dia eu bato a cabeça e perco a memória? É importante ter fotos para ajudar a relembrar coisas especiais). Amei a lembrança!

Então, gostaram da TAG? Vou listar alguns blogs, mas está aberto para quem mais quiser responder!

Abraços!

Blogs Indicados (Não esqueçam de me dizer quando responderem, estou curiosa!)

Coisas de Clarinha

Mire na Lua

Hello

Amor e outras drogas

Patriamarga

Lots of love,Your 10th Grade Students

The Vampire Diaries – As emoções finais

Foram oito anos acompanhando, torcendo, chorando e se apaixonando. Quem é fã sabe a ansiedade entre o último episódio de uma temporada e a confirmação da data do primeiro episódio da próxima. E, feliz ou infelizmente, uma hora aquela notícia tão temida aparece nos sites: Última temporada. E assim aconteceu com The Vampire Diaries, série que foi ao ar entre Setembro de 2009 e Março de 2017 e emocionou muita gente com seus personagens repletos de luz, trevas, batalhas internas e romances impossíveis ou quase impossíveis. Houve mortes que tiraram o espectador do chão ao desfazerem finais aparentemente felizes. Houve personagens incompatíveis que criaram laços e formaram casais fofos. E houve muita ação e momentos engraçados. The Vampire Diaries, apesar de inspirada numa coleção de livros com o mesmo nome, escritos por Lisa Jane Smith, a série de televisão tem diferenças muito grandes em relação aos livros.

Para quem ainda não assistiu, vale a dica: Assistam! Vale a pena cada capítulo! E, para os fãs que já estão sentindo-se órfãos de uma das melhores séries de todos os tempos, vale lembrar que ainda temos “The Originals”, spin-off da série que acompanha a vida da família Mikaelson, os vampiros originais, na cidade de Nova Orleans. Embora The Originals não seja uma série tão romântica quanto foi The Vampire Diaries, ela tem um elenco incrível e uma trama bem traçada – Ou seja: Assistam!