Minha ceia vegana de Natal

Natal é uma delícia não é mesmo? Família reunida, aromas pela casa, correria para deixar tudo pronto a tempo… E por falar em ceia, vamos lembrar de algo muito importante: Por favor, não comam o presépio! Celebrar a paz e a vida ceifando vidas inocentes não faz nenhum sentido! Aqui em casa a família é pequena – apenas eu e minha mãe – o que não significa que não cozinhamos algo bem especial para esta data! E o melhor, o prato lindo que servimos aqui no natal pode ser usado para receber aquela pessoa especial em casa ou em qualquer outra ocasião.

O que vocês vão precisar?

1 peça de tofu – fiz só meia receita e usei uma peneira média e não muito funda como forma. (receita aqui)

8 pimentas cambuci (ou pimenta doce)

1/2 abóbora cabocha (ou abóbora japonesa) pequena cozida

2 mini-morangas

1 bandeja de shimeji (200g)

150g de cogumelos champignom

50g de alcaparras

1 limão grande

temperos: shoyu, azeitonas verdes, azeite, cebola e alho.

Preparo:

Perfure o tofu tomando cuidado para não desmontar. Esprema o limão e deixe o tofu mergulhado nele, virando cuidadosamente de vez em quando.

Numa panela refogue com azeite cebola, alho, azeitonas e um pouco de sal. Misture a esse refogado a abóbora japonesa picadinha, mexendo até formar um purê consistente. Acerte o tempero e desligue o fogo.

Abra as tampas das mini-morangas e retire a polpa com cuidado. Cozinhe-as até ficarem macias. Reserve.

Lave bem o shimeji e cozinhe por uns 20 minutos. Em outra panela refogue cebola no azeite, acrescentando aos poucos o shimeji picado e mexendo sempre. Acrescente shoyu a gosto e deixe mais uns 3 minutos no fogo baixo (cuidado para não queimar). Reserve.

Abra as tampas das pimentas doces, retire cuidadosamente as sementes, lavando bem por dentro e deixando escorrer toda a água com a boca para baixo.

Recheie as pimentas doces com o purê de abóbora japonesa. Coloque-as em uma das pontas de uma assadeira grande. Com certeza vai sobrar purê de abóbora, reserve-o na geladeira! Ele é uma delícia mesmo puro.

Recheie as mini morangas com o shimeji. Também sobrará um pouco dele. Guarde! Coloque as mini morangas ao lado das pimentas na assadeira e não esqueça de colocar a tampa nelas!

Por fim, coloque o tofu e o caldo de limão na mesma assadeira. Regue tudo com azeite e leve ao forno por uns 15 a 20 minutos (eu usei forno elétrico! Se usar forno a gás, vá verificando o ponto para não queimar as pimentas).

Em uma panela pequena, refogue com azeite cebola a gosto, o cogumelo champignom cortado ao meio e as alcaparras.

Retire do forno e ajeite em uma travessa redonda o tofu ao meio, cercado pelas pimentas e pelas mini-morangas. Cubra o tofu com o refogado de champignom com alcaparras (como na foto) e sirva!

Como eu disse no início do texto: A família aqui em casa se resume a duas pessoas, então esse pratinho foi suficiente para alimentar muito bem as duas e as sobras de purê e shimeji se tornaram o almoço do dia seguinte. Se sua família é maior, você terá que adaptar as quantidades.

Espero que gostem e me perdoem por não ter um nome para batizar as receitas que eu mesma inventei de improviso para o Natal.

natal

Desafio Cinetoscópio dos 30 Filmes #2

Hora de continuar o  Desafio Cinetoscópio dos 30 filmes (se quiser fazer também, pode clicar aqui).

A proposta para o dia 2 é “Um filme que você gostaria de atuar”. Difícil decidir… Tem vários filmes incríveis nos quais eu adoraria atuar, muitos e muitos mesmo. Enfim, depois de várias horas cheguei a uma conclusão: Eu gostaria de atuar no filme “Drácula”, aquele lançado em 1992 baseado na obra de Bram Stoker (de 1897).

Motivo: O filme tem uma temática que eu amo – Vampiros. Além disso os cenários e os figurinos são incríveis. Como assistir e não ter vontade de fazer pelo menos uma pequena atuação?

A história do conde Drácula já é bem conhecida, então não vou nem escrever a sinopse aqui, só digo uma coisa: Se ainda não assistiu o filme, prepare aquele balde de pipoca, reúna a galera na sala e assista! Muito bom!

______

E como eu falei no post anterior, tentarei sempre postar o que eu estou ouvindo no momento em que escrevo as postagens… A canção que deixo para vocês hoje é parte da trilha sonora do filme Drácula (e é linda). Chama-se “Love Remembered”

 

 

Sorvete Picolé

Pois é, o verão está chegando e com ele bate aquela super vontade de tomar sorvete… Se o sorvete puder ser vegano e super-nutritivo então, melhor ainda né? Pensando nisso eu pesquisei algumas receitinhas e até o momento a que eu mais gostei foi a apresentada pela Bela Gil, entretanto, tem dois aspectos negativos: O Vídeo do Youtube  não demonstra a quantidade dos ingredientes utilizados e, pelo modo com que o sorvete é armazenado, leva a crer que é um sorvete tipo massa quando na verdade fica muito duro e impossível de fazer bolas de sorvete. Inconformada, testei a receita novamente, desta vez utilizando copos descartáveis e palitos para sorvete (eles são vendidos soltos em casas de artigos para festas) e ficou super saboroso!

Receita:

1 inhame (aquele inhame bolinha ou inhame chinês como algumas pessoas chamam) de tamanho médio, descascado e cortado cru

1 fruta da sua preferência descascada e cortada (já usei manga e abacaxi, ficaram ótimos)

gengibre descascado e cortado à gosto (opcional)

açúcar (opcional. Pessoalmente, não utilizei açúcar no sorvete de manga e coloquei muito pouco no de abacaxi)

Preparo: Bater tudo no liquidificador e colocar em formas de picolé ou em copos plásticos médios com o palito para sorvete centralizado. Lembrando que infelizmente os copos plásticos são bastante poluentes, então, o ideal é que cada um encontre um recipiente adequado e reutilizável para colaborar com o meio ambiente. Colocar os picolés no congelador até ficarem duros e só tirar quando for servir.

Podem ficar tranquilos: Não dá para perceber a presença do inhame na receita!

20151114_082654

 

Desafio Cinetoscópio dos 30 Filmes #1

O blog Mire na Lua começou há tempos uma série de postagens bem interessante. Trata-se de um desafio proposto pelo site Cinetoscópio, o Desafio Cinetoscópio dos 30 filmes. Gostei tanto que decidi fazer as postagens aqui também! Já adianto que sou péssima em manter uma regularidade nestas coisas então não vou dizer que farei postagens diárias, mensais ou semanais, apenas farei as postagens com no mínimo uma semana de intervalo entre uma e outra… Vamos lá?

#1 – Um filme que te fez chorar

O diário roubado

Filme talvez pouco popular, o diário roubado estreou em 1992 e se baseia no livro homônimo escrito por Règine Deforges. Mais do que falar sobre um grande amor adolescente, o filme retrata este amor em uma cidade pequena no interior da França logo após o término da segunda guerra mundial. Anne e Virginie são personagens doces e cativantes. São jovens e estão ainda descobrindo os segredos do amor no seio de uma sociedade moralista e rígida. O filme é tocante e faz os olhos se encherem de lágrimas em várias passagens, e no final do filme, bem, melhor separar algumas caixinhas de lenços de papel. A trilha sonora é suave e profundamente melancólica em alguns trechos e a linguagem utilizada nos diálogos é poética.

Neste link é possível assistir o filme, porém a qualidade de imagem não é das melhores, portanto, quem tiver oportunidade de procurar em outras fontes poderá ter acesso a uma melhor qualidade de vídeo. Se acaso alguém já leu o livro, notará algumas diferenças durante a história.

Uma observação importante: Se você não gosta de histórias de amor homoafetivas este filme infelizmente não lhe irá agradar.