#TBT – Noite

Como eu já comentei Quinta-Feira passada, o blog seguirá o costume de outras redes sociais e publicará sempre (ou quase sempre) um #TBT. Sei que não escrevo com perfeição e que me falta muito aprendizado e treino do ponto de vista técnico, entretanto, a parte mais gostosa de separar textos antigos é justamente olhar e perceber que houve sim uma evolução na escrita. Abaixo, um texto que se diz poema, escrito em 03-05-2010 como parte do meu romance Bianca, um amor que sobrevive aos séculos:

É noite. Estou só
Pensando em ti
Olhando o luar
Sentindo a brisa me tocar
Fecho os olhos
Uma lágrima cai
Silenciosa como a escuridão
Uma lágrima de saudade!
Ainda posso sentir teu cheiro em minha pele
Como uma tatuagem que jamais se apagará
Sua imagem não sai do meu coração
Sinto tua falta!
Mais do que sentiria
Da luz de cada dia
Mais do que sentiria das estrelas se elas fugissem do firmamento
Os espinhos do Amor gravaram seu nome em minh’alma
Ainda sinto teu corpo encaixado no meu
Sintonia perfeita de emoções
Corações que pulsam num mesmo ritmo
Meu coração chamando o teu nome
E o teu me buscando
Sei que não estou tão só quanto me sinto
Pois apesar das léguas que nos separam
Sei que estou perto de ti, sim, meu corpo jaz aqui
Mas minh’alma há muito tempo
Encontra-se abrigada em teu coração
Num cantinho, bem lá no fundo
A solidão que sinto agora não é pela tua ausência
É a saudade da parte de mim
Que está e sempre estará com você
É a saudade de sentir meu coração pulsar através do teu
Quero sentir em minha pele tuas sensações
Respirar o ar que respiras e fazer do teu perfume meu oxigenio
Só você me completa pois parte de mim está em você
E não adianta querer devolvê-la
Pois ela já está aí desde antes de eu existir
Uma parte de mim nasceu gravada em você
E esperou muitos anos para me encontrar
Meu coração procurava essa parte
E encontrou no teu olhar
E agora?
Só poderei ser feliz o dia em que, para sempre, ao teu lado ficar

(03-05-2010)

Caminhando pela vida

Caminhando pela estrada
Correndo em disparada
Pelo amor atormentada
Pelo teu olhar encantada

Haverá um dia um porto seguro?
Uma luz em um dia escuro?
Um momento de entrega e paixão
Uma breve e feliz ilusão?

O tempo corre impassível
Não tem pena de um amor impossível
De uma dor insuportável
De uma lágrima inevitável

A vida se esvai na ausência
Em cada ser busco a tua essência
Teu carinho e inocência
Tua suave incandescência

E no espaço de uma vida
Estou sempre de partida
Caçando teu coração, tesouro perdido
Roubado por algum amor bandido

___________________________________________________________________

*Esse post faz parte do projeto BEDA*

Dicas literárias: O diário de Tati – Heloisa Périssé

Quem foi adolescente/pré-adolescente no início da década passada deve se lembrar da super divertida adolescente Tati, personagem interpretada por Heloisa Périssé que alegrava as noites de Domingo em um quadro do programa “Fantástico”, da Rede Globo. O quadro fez tanto sucesso que acabou originando um livro e um filme. Confesso que, na época, não dei muita atenção, porém há algumas semanas, passeando pela Biblioteca Municipal de Santos, encontrei o livro na prateleira do “Leia Santos – Adote um livro” e bateu aquela nostalgia! Levei o livro para casa e me preparei para algumas boas gargalhadas. Confesso que o quadro na televisão me fazia rir muito mais do que as páginas. O livro é bom? Sim, mas a atriz dando vida à personagem era imensamente mais engraçada. Valeu muito a leitura por rememorar uma época divertida, perceber que o tempo passa e os “problemas da adolescência” ainda são praticamente os mesmos e também notar a diferença das gírias daquela época para cá. Tati é uma menina de dezesseis anos com dificuldades escolares e com o desejo de aproveitar a vida – ou seja: Passear com as amigas e curtir com os meninos. Ela desabafa em seu diário, apelidado carinhosamente de “Di”, falando sobre seu mundo particular – primeiro amor, convívio com os pais separados e com a família, primeira decepção, amigas, colégio, insegurança… Se há algo positivo na obra é: Todas nós em algum momento iremos nos reconhecer dentro da história! É um livro que vale a pena ler quando se tem tempo sobrando, mas não é uma obra daquelas a serem incluídas na lista dos “cem livros para ler antes de morrer”.

 

__________________________________________

*Este post faz parte do projeto BEDA*

O massacre da cultura como projeto de manutenção do status quo

Pertencemos a um momento histórico onde é cada vez mais necessário refletir profundamente sobre a sociedade em que vivemos – Estamos no rumo certo? Caminhamos realmente para a sociedade que desejamos construir? Neste sentido, o texto da escritora portuguesa Sophia de Mello B Andressen, publicado no jornal “O Estado de São Paulo” em Junho de 1982, se mostra assustadoramente atual ao alertar sobre a importância da cultura enquanto garantidora da liberdade, entendendo-se a palavra liberdade como possibilidade – Nas palavras da autora “Liberdade significa possibilidade e o homem que não tem acesso à cultura da sociedade e do tempo em que vive não tem dentro desse tempo e dessa sociedade uma possibilidade real de escolher e decidir. Onde a maioria das populações estiver culturalmente alienadas, a democracia será sempre parcial, incompleta, e, em muitos aspectos, formal. E no mundo em que vivemos é necessário que a cultura possa funcionar como antipoder”.  Não  à toa que, em tempos de terraplanismo e “fake news”, os poderosos busquem de todas as formas sufocar a cultura, desmontar a educação e aniquilar o pensamento crítico – Afinal, uma população acostumada a fruição cultural jamais acreditaria em manchetes absurdas e claramente falsas como as que circularam pelas redes ano passado antes das eleições, tampouco aceitaria passivamente a destruição do meio ambiente em nome do lucro e de um suposto “desenvolvimento”.  O projeto de enfraquecer a cultura de modo a impedir que as faixas economicamente mais empobrecidas da população a ela tenham acesso é um golpe que fere de morte os direitos mais básicos do cidadão bem como sua possibilidade de ascender socialmente, afinal, sem dinheiro para a subsistência, o cidadão certamente não irá investir em cultura – e sem investir em cultura, não irá questionar nem terá capacidade para alçar melhores condições de trabalho. E sem melhores condições de trabalho, permanecerá na carência financeira e conseqüentemente, impedido de observar e consumir cultura. E fatalmente esse ciclo atingirá os filhos e filhas dessa classe, que irão crescer como alvos fáceis para a televisão, a sociedade (muitas vezes inalcançável) de consumo e a manipulação política e social. Uma triste maneira que as classes dominantes encontraram de manter o status quo, garantindo seus próprios privilégios em detrimento da grande maioria da população. Uma lástima e um perigo para o desenvolvimento do nosso país.

Se você tem sorte de ler este texto e entender que tudo isso é um problema grave, fica a pergunta: O que você tem feito para mudar essa realidade?

_________________________________________________________________________

Texto indicado: Cultura não se faz para os museus

Sophia de Mello Breyner Andressen. In O Estado de São Paulo, 6.6.1982

Também publicado em:

TUFANO, Douglas. Estudos de língua e literatura/Douglas Tufano. 3 ed. rev. e ampl. Página 2. São Paulo, Editora Moderna, 1986

________________________________________________________________________

*Este post faz parte do projeto BEDA*

Poesia da madrugada

Caminhando pelas ruas
Sozinha, já passa das duas
A madrugada é minha companhia
Nesta vida vazia

Descalça com o cabelo ao vento
Perdida em meu sentimento
A névoa encobre a cidade
Esconde você, minha felicidade

Descalça com o cabelo ao vento
Perdida em meu sentimento
A tristeza é minha escolta
Neste caminho sem volta

A noite já foi nosso ninho
Mas este tempo passou
Será que você vaga sozinho
Como sozinha hoje estou?

__________________________________________

*Este post faz parte do projeto BEDA*

O conto da página em branco

Me deparo com a página ainda em branco. Não é falta de inspiração. É excesso. São as vozes das personagens que trago em mim competindo entre si, querendo narrar a história perfeita. São as lembranças que meu coração guarda e que criam vida própria, desejando tornar-se texto, conto, crônica, história a se contar. Meus dedos tentam escrever e se perdem, entre lembrança e ilusão, entre a sensação da grama abaixo dos pés e o imenso céu acima de nós. Revisito momentos, sinto o cheiro do café, do mar, do perfume da tua pele junto da minha. Provo em minha imaginação o sabor dos teus lábios, tua saliva espalhada pelo meu corpo, meus beijos espalhados em ti, causando arrepios. Preciso urgente escrever, mas não consigo. Me vejo inerte diante do papel. É como se as lembranças precisassem amadurecer antes de se tornarem eternas (ou quase isso). Preciso ouvir a menina-devassa narrando ao pé do ouvido tudo o que viveu com seu Senhor – pois a ela pertencem os contos, o erotismo, a impureza que alimenta as chamas do mundo. Somente a ela cabem essas noites em claro, essas marcas na carne, essa incontida febre de paixão. A mim, cabem os poemas doces, o castelo de areia e o príncipe encantado que nada mais é que uma miragem no deserto. A mim, cabe observar o mundo e o transformar em poesia. Já ela, ela é em si mesma um poema sem regras, uma prosa envolvente, uma ardência que invade sem pedir licença. A menina é o “eu” que existe no papel e que me olha através do espelho todas as manhãs, com um brilho nos olhos e um sussurro “arrisque-se”. Algumas vezes sinto que deveria deixa-la viver um pouco mais, mesmo quando Ele está longe – Talvez fosse bom deixar a insensatez da personagem controlar um pouco a vida da mulher. A menina é capaz de proteger o próprio coração. A mulher, não. A menina entrega o que a mulher insiste em resguardar. E elas seguem seu caminho, juntas, compartilhando a atenção da poetisa que carrega ambas dentro de si, e sorri ao olhar no espelho e reconhecer alguns traços de uma e de outra em seu escrever.

________________________________________________________

*Este post faz parte do projeto BEDA*

#TBT – Quando a noite cai

Toda quinta feira as pessoas costumam postar fotos de datas anteriores com a sigla #TBT, certo? Então que tal um #TBT de poesias antigas? Essa é a ideia pras quintas-feiras aqui no Blog! Postar poesias antigas inéditas! Algumas, como essa, foram criadas para usar em contos/histórias (A poesia abaixo faz parte do livro Bianca, um amor que sobrevive aos séculos). É gostoso ver a evolução dos textos, hoje eu não postaria algo assim, sem muitas rimas, o que não significa que eu não tenha um carinho especial pelo poema… Enfim, espero que gostem!

Quando a noite cai
O vento gélido vem me tocar
O Sol se apaga, a escuridão domina
E uma lágrima rola, solitária.
Quando minh’alma sangra
Apunhalada pela solidão, pela saudade
Quando a noturna solidão se desfaz
E dá lugar ao Sol
Que já não sabe mais iluminar a minha vida
Quem irá dizer que me ama?
A quem entregarei meus sentimentos?
Meu coração, meu corpo?
Se você não está comigo, viver não tem sabor
Não tem razão
Se você não está comigo, pra quê respirar?
Quem vai curar essa saudade
Que você deixa quando pra longe parte?
Que a noite escura venha e me arrebate
Que mergulhe na escuridão este mundo
Que me faça pelo menos por um segundo
Esquecer a sua ausência
E em meio a noite fria
Apareça a Lua, astro de quem ama
Lua! Ilumina a noite
Ilumina meus pensamentos
Embala esse coração
Já quase inerte
Triste coração valente
Lutador incansável!
Faça-o lembrar que um dia  sob o luar
Numa madrugada fria
Novamente me unirei a ti
Minha princesa amada
Donzela dos meus braços arrebatada
Amo-te
Preciso de ti a casa instante
Não tê-la me sufoca!
E a certeza de um dia tê-la novamente em meus braços
Me faz continuar respirando
Mesmo mergulhada na escuridão, me dá vontade de continuar
E como mitológico herói, vencer tudo que se interponha entre nós
E esperar pelo dia em que poderei tomá-la ao mundo
E trazê-la para mim
Fazendo de ti adorada esposa
Pela eternidade do nosso amor

(03-05-2010)

___________________

*Esta postagem faz parte do projeto BEDA*

** Ainda é dia 08-08-2019, mas o WordPress está fazendo a postagem como dia 09!**

Dicas: Aplicativos pra facilitar o seu dia

Hoje o texto vai ser um pouquinho diferente. Quem convive comigo sabe que não sou uma pessoa muito “antenada”, mas de uns tempos para cá acabei sucumbindo ao uso de alguns aplicativos para facilitar o dia a dia. Essa prática me trouxe algumas vantagens e desvantagens. Vamos começar pelas desvantagens:

  • Dependência: Infelizmente, organizar seu tempo, tarefas e até mesmo estudos através do celular te deixa refém do aparelho – Ou seja: Se a bateria acabar, se você perder o telefone ou for roubada, adeus organização.
  • Adeus agendas charmosas: Sabe o prazer de fazer a sua própria agenda ou comprar uma bem linda no inicio do ano? Então… Coisa do passado, infelizmente.

Vantagens:

  • Eficácia: Organizar o dia a dia faz o tempo render muito mais, e fazer isso através de aplicativos é bem fácil. E você não carrega mais uma coisa pesada na bolsa.
  • Sustentabilidade: Nada de usar papel desnecessariamente e depois jogar fora.
  • Economia: Não comprar uma agenda no inicio do ano significa uma economia de valores que variam entre R$20,00 e R$80,00, fora as tentações que encontramos nas papelarias e que fazem a conta ir lá pro alto.

Mas, afinal, quais aplicativos não saem do meu celular de jeito nenhum?

Pra organização e economia:

1) Dreamie Planner: Como o próprio nome já diz, é um Planer. Nele eu marco meus compromissos, as coisas que pretendo estudar, os prazos. Tudo. Ele tem uma interface muito fofa e é prático de usar.

2)Sua lista de compras: Você anota o que precisa comprar e, quando vai ao mercado, ao ticar o produto e marcar o preço, o aplicativo vai somando para você; também é muito bom pois possibilita que você compare os preços pagos desde a última vez em que comprou o produto.

3) Skoob: Leitores viciados devem conhecer essa rede social de livros, onde é possível organizar o que temos em casa, o que lemos e nossas resenhas.

4) Apps de supermercados e descontos: Esses exigem cuidado. Muitas vezes ver um produto em oferta leva você a comprar sem real necessidade, então sempre se questione antes de efetuar a compra. Tenho alguns apps no meu celular, como o Clube Dia e o Cuponeria, mas deixo as notificações desabilitadas e só entro neles quando preciso de alguma coisa.

Pra estudar

1) Duolingo: Um ótimo jeito de aprender novos idiomas. Como não estou com pressa no momento, estou estudando Inglês, Francês, Espanhol, Italiano e Alemão. Faço o possível para dividir a semana estudando 30 minutos de pelo menos dois idiomas por dia. Não vai fazer uma pessoa super fluente mas ajuda bastante no aprendizado.

2) Ouvido Perfeito: Outro aplicativo de estudo – Este ótimo pros estudantes de música

3)Dicio: Além de ser um ótimo dicionário, ainda te oferece todos os dias uma palavra diferente para ler e ampliar o vocabulário. Muito bom!

4) Metronome, tuner e piano: Outro aplicativo querido pra quem estuda música! Metrônomo e afinador juntos, além de piano virtual.

Saúde e qualidade de vida

1) My fitness pall: Estou na luta pra perder uns quilos e esse app tem me ajudado bastante. Não sou aquela pessoa super viciada em controlar o que como, gosto de ter prazer com a comida, e esse app ajuda a contar as calorias e ver os alimentos ingeridos, então dá pra ter um controle sobre o que está comendo, se está exagerando nas besteiras… De vez em quando eu acabo excedendo a contagem calórica, mas faz parte. Comecei a usar em Junho e emagreci 2 kilos. Em julho não usei muito (sabe como é: Férias, acampamento e tudo mais),mas consegui não engordar.

2) Clue: Esse aqui é dica pras leitoras! Um app pra monitorar o ciclo menstrual, período fértil, peso, remédios e outras situações. Vale lembrar que ele não é um método contraceptivo, então, por favor, meninas: Usem camisinha sempre!

3) Forest: Quer ler um livro, conversar com os amigos ou assistir um filme sem cair na tentação de olhar pro celular? Forest é um aplicativo onde você planta arvores virtuais que demoram um tempo (escolhido por você) pra crescer. Se você usar o celular antes desse tempo, sua árvore morre. É uma forma divertida de se livrar no vício em celular, e ainda colabora com o reflorestamento (A empresa criadora do App planta árvores de verdade conforme as pessoas ficam longe do celular).

Mobilidade:

1 ) EMTU oficial. Esse aplicativo da empresa metropolitana de transportes urbanos permite que você acompanhe pelo mapa onde está o seu ônibus, o que é ótimo pra evitar ficar sozinha no ponto por horas sem necessidade. Como cada lugar tem sua empresa de transportes, não é um app que dê pra usar em todo o país, então tem que pesquisar na sua região

2 )Nautide: Aplicativo ótimo pra quem gosta de pescar (não é meu caso). Uso pra saber sobre as marés, pois quando a maré sobre minha rua alaga um pouco, então é bom prevenir

3) Maps: Aplicativo clássico do Google, te ajuda a chegar onde você precisa.

4)Uber: Esse todo mundo conhece. Sempre salva no momento em que você precisa chegar rápido em algum lugar ou mesmo quando pode dividir a corrida com mais pessoas e pagar barato indo com mais conforto que o ônibus.

Vida online

  • WordPress: Prefiro escrever diretamente no computador, porém, nos dias mais corridos, tenho utilizado esse app para gerenciar o blog.
  • Instagram: Confesso que não gostava muito do Instagram até o ano retrasado. Hoje em dia uso com mais freqüência, sigo perfis dos meus amigos e alguns com temas que me interessem como ecologia, educação, feminismo…
  • Gerenciador de páginas: Mesma situação do WordPress. Muitas vezes não tenho tempo de usar o computador e acabo apelando pra aplicativos de celular para criar postagens em qualquer lugar – Já escrevi poemas no meio de atos contra a reforma da previdência, por exemplo.
  • Facebook lite: Um aplicativo leve para usar sua rede social favo

Bom, esses são os apps que estão no meu celular. E vocês? Costumam usar alguma coisa pra facilitar o dia? Contem pra mim!

____________________________

*Esse post faz parte do projeto BEDA*

Poesia Urbana II

Malabarismos no farol
Guardar carros Sol a Sol
A cidade, a rua, o morro
Gritos mudos de socorro

Pessoas, carros, pressa
O dinheiro acima de tudo
Todo mundo se faz surdo
A vida pouco interessa

Sonhos desfeitos pelas ruas
Prostitutas semi nuas
Caos, medo e confusão
Nas avenidas sem coração

Nossa dignidade foi roubada
Agrotóxicos em escalada
Morte por bala ou doença
Tá mais perto do que você pensa

E um falso mito na televisão
Veja só que sem noção:
Quer mais armas e menos educação
Quer menos índios e mais destruição

Que país se constrói assim?
Destruindo vidas dia a dia?
Na cidade, no campo, nas matas sem fim
A vida se acaba em tragédia

É só olhar ao redor e observar
Há tanta coisa pra mudar
Tanta história pra contar
Tanta lágrima pra secar

É só ter boa vontade
E começar a unir as pessoas pela cidade
Derrubando reformas e mitos
Tirando do poder os malditos

Revolução das ruas, dos becos e vielas
Hora de ouvir as Marias das favelas
Hora de dar poder ao trabalhador
Pra que se construa um país com mais amor

____________

*Esse POST faz parte do projeto BEDA*