Mas, e as proteínas?

Você já reparou que tornar-se vegetariano/vegano faz com que nove em cada dez amigos onívoros tornem-se, repentinamente, nutricionistas? É sério! Enquanto você mantém aquele padrão “normal” de alimentação, consumindo carne, leite, ovos, fast-food e tudo mais, raramente alguém irá se intrometer dizendo “mas você vai adoecer!”, “você está deixando de ingerir nutrientes suficientes” (mesmo que quase todo dia você troque o almoço por um fast-food). A partir do momento em que se anuncia a novidade “decidi me tornar vegano/vegetariano”, surgem mil pessoas falando sobre o risco de ter anemia, desnutrição, falta de proteínas, aliás, a frase mais comum é justamente essa “Mas, e as proteínas?”. Não sou nutricionista, mas andei pesquisando um pouco aqui, um pouco ali para tecer alguns comentários acerca do assunto!
O dr. George Guimarães, nutricionista especializado em nutrição vegetariana, explica que com o planejamento adequado, uma dieta vegana é capaz de fornecer toda a proteína necessária em qualquer fase da vida! Tal informação encontra-se no site da empresa de consultoria em Nutrição Vegetariana Nutriveg (o site é uma boa dica de lugar para pesquisar caso queira saber mais sobre nutrição vegana).
Infelizmente a realidade de muitos brasileiros não permite o luxo de uma consulta com um bom nutricionista vegano – não é tão fácil encontrar esses profissionais em algumas partes do Brasil, e, quando encontramos, dificilmente estão atendendo no serviço público de saúde. O importante é não desanimar! Observe seu corpo, sua saúde, se for o caso, vá a um médico normal e faça exames de sangue para se certificar que está tudo bem. E pesquise muito em sites e revistas voltados para o público vegan, pois eles acabam sendo uma das melhores fontes de informação disponíveis.
Sobre as proteínas, por exemplo, há diversas fontes fáceis de se incluir na alimentação: Soja – e consequentemente tofu e leite de soja, brocolis, couve-flor, amendoim, feijões, lentilha, grão de bico. É só aumentar um pouco o consumo desses alimentos.
Tem dúvida sobre o valor nutricional de algum alimento específico? Pesquise na TACO (Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos). Lembre-se também que é muito importante também seguir a pirâmide alimentar.

piramide-alimentar-vegana-640x438
E vamos colorir nossos pratos e nossas vidas, sem crueldade ou exploração com animais!

Publicidade

Um conto de Natal diferente

“Há 2014 anos vagavam em busca de abrigo uma mulher grávida prestes a parir e um pobre marceneiro. Tendo-lhes sido negado abrigo por diversas partes, abrigaram-se em um estábulo, em meio aos animais. Ali mesmo a moça, Maria, deu à luz seu filho. Era a criança que pagaria os pecados do mundo e por isso uma estrela guiou três reis magos até o local de seu nascimento. Ao chegarem lá, carregando seus presentes ao menino Jesus, surpreenderam-se ao verificar a enorme quantidade de fumaça desprendida por uma fogueira. Ao se aproximarem, verificaram que alguns dos animais do pequeno estábulo estavam mortos, alguns já estavam sendo assados em uma fogueira, outros jaziam a um canto, destrinchados. Um pequeno cordeiro balia tristemente – havia escapado à chacina, pois ainda não tinha carne suficiente. Maria, apesar de ter dado à luz há poucas horas, ignorava o balido aflito do pobre cordeiro e concentrava-se em comer um grande pedaço de carne ainda mal passada. José cuidava dos pedaços que estavam na fogueira para que não se queimassem. Ofereceram aos reis magos pedaços generosos de carne e assim banquetearam-se por toda aquela noite (que deveria ser) feliz”.

Achou algo estranho na história? Pois é… Até onde nos consta, Maria e José não promoveram uma chacina entre os animais do estábulo onde conseguiram abrigo, não é mesmo? Então, porque insistimos, ano após ano, em comemorar o Natal com a morte de animais inocentes? Já parou para pensar na grande contradição que é comemorarmos um nascimento através da morte? Quantos seres perdem a vida para a mera satisfação de um capricho de uma sociedade egoísta e hipócrita? Aproveite sim o final de ano, o espírito natalino. Reúna familiares ao redor de uma mesa farta. Troque presentes, e acima de tudo, troque carinhos, abraços e sorrisos e, lembre-se: neste Natal, não coma o presépio! Há varias e deliciosas opções veganas e vegetarianas para deleitar seus olhos e seu paladar.

Seguem alguns links de receitas natalinas sem carne:

http://www.cantinhovegetariano.com.br/2011/12/receitas-para-o-natal-e-ano-novo.html

http://www.veggietal.com.br/cardapio-vegano-festas/

http://www.menuvegano.com.br/article/show/739/ceia-de-natal-vegana-natal-vegano

As abóboras nossas de cada dia

A abóbora é fruto da abobreira e acredita-se seja nativa do México e do Sul dos Estados Unidos. Há vários diferentes tipos de abóboras, cujos formatos são diferentes bem como as cores da casca que variam do alaranjado ao verde. Em alguns lugares do Brasil, a abóbora é conhecida como jerimum.  A abobreira espalha-se pelo chão e para os que podem plantá-la é possível aproveitar até mesmo seus brotos – conhecidos como cambuquira – para preparar deliciosos refogados.

Como característica comum aos frutos, tem-se que a casca é em geral dura,  grossa e com algumas nervuras. Sua polpa é saborosa, nutritiva e adequada a preparação de diversos tipos de pratos – saladas, bolos, doces e outros quitutes. Por ser bastante nutritiva é recomendado que faça parte do cardápio cotidiano. É de se notar que o consumo na forma de saladas é mais adequado uma vez que mantêm nutrientes e é relativamente pouco calórico. Por outro lado, é possível preparar quitutes mais elaborados para degustar vez ou outra, sabendo que, mesmo um pouco mais calóricos serão opções saudáveis.  E por falar em nutrientes, isso a abóbora tem de sobra! Como todos os alimentos alaranjados, é rica em vitamina A, pouco calórica, apresenta nutrientes como cálcio, cobre, zinco, manganês e outros, que variam muito de acordo com o tipo ingerido – por isso é importante variar o consumo.

Outra parte aproveitável da abóbora são suas sementes, que podem ser consumidas torradas e salgadas ou como leite vegetal.  São fonte de fibra, proteína e vitamina E.

Tipos mais conhecidos de abóbora:

Abóbora Moranga

2)Abóbora Japonesa ou Cabótia

Abóbora seca

Abóbora japonesa ou cabótia

Há várias receitas saborosas que podem ser preparadas com as abóboras… Em breve postarei algumas por aqui! Enquanto isso, aproveitem para consumi-las em saladas com muito limão! Fica uma delícia!