Minha adolescente de 50 (e tantos) anos favorita

 

Hoje é um dia especial: Vou apresentar a vocês uma pessoa muito querida- Minha mãe.

Ela não é apenas mais uma mulher normal. Ela é uma mulher forte, bonita, incrível. Talvez um pouco fora de padrão – mas para que padrões? Quem precisa de padrão é produto industrializado, não gente. Ela não tem fricote, nem frescura..

Minha mãe cozinha como uma cheff. Pinta paredes e sabe fazer pequenos consertos domésticos também. E se derrete com cachorros e plantas.

Ela me ensinou a gostar de livros e quando eu cresci e cheguei na oitava série, dei o vídeo-game dela para outra criança e entreguei um livro em suas mãos – Afinal, temos que incentivar a leitura não é mesmo?

Ela me ensinou a cozinhar – Dom de família essa intimidade com o fogão.

Ela pode ser bem adolescente quando quer – Companheira de baladas, luaus, barzinhos. Companheira nas passeatas contra o Temer, nas paradas LGBT, nas manifestações e até mesmo na Marcha da Maconha. Amiga dos meus amigos – às vezes eles até dizem que ela é mais divertida que eu! Às vezes eu a deixo viciada em séries. E em receitas novas. Às vezes a gente briga (quem nunca, não é mesmo?), mas logo faz as pazes.

Ela é mulher de farra e de luta. Cheia de amor – mas ao mesmo tempo cheia de indignação com esse mundo maluco em que a gente vive e, conseqüentemente as vezes revoltada – minha jovem de 50 favorita!

E eu sempre digo que, quem casar comigo, leva a sogra de brinde (prometo que ela é um amor <3), porque afinal de contas, como eu vou privar meus futuros filhos da companhia diária de alguém como ela?

Mãe, amanhã é seu dia! Feliz dia das mães para nós!!! Amo você!

Design sem nome (1)4

Desafio Cinetoscópio #16: Um filme que você nunca assistiria de novo

50 tons de cinza (trilogia). Sei que esses filmes são os queridinhos de muitos leitores e leitoras, mas não é aquele filme para se assistir duas vezes. A obra cinematográfica apenas cumpre o que promete -Uma narrativa rasa, machista, que objetifica a mulher, banaliza o amor e o sexo e, para agravar ainda mais a situação, coloca a personagem em uma situação em que a violência do homem é “explicada” pela sucessão de traumas pelos quais ele passou na infância – muito embora traumas da infância possam ser sim fontes de comportamentos violentos, tais comportamentos não podem ser naturalizados e justificados por uma violência sofrida na infância. E a personagem feminina? Insegura, Anastasia navega entre submissão e momentos em que quer demonstrar personalidade forte e independente. Uma jovem inteligente, apática e muito atrapalhada. Por outro lado, a personagem masculina é dominadora, invasiva e bastante problemática. Em alguns momentos surge um humor ruim (relacionados em sua maioria ao sexo). No livro a descrição detalhada das cenas prende a atenção – é possível ler e imaginar um voo de ultra leve e outros cenários de muito de luxo -tais cenas poderiam ser mais bem exploradas no filme, bem como as citações literárias maravilhosas que constam no livro e não aparecem no filme. Com certeza vou assistir o próximo da trilogia, afinal, o elenco é bacana e eu estou curiosa para assistir ao desfecho, mas não assistiria novamente nenhum filme dessa saga.

 

Resenha: O Mandarim (Eça de Queiroz)

“No fundo da China existe um mandarim mais rico que todos os reis de que a fábula ou a história contam. Dele nada conheces, nem o nome, nem o semblante, nem a seda de que se veste. Para que tu herdes os seus cabedais infindáveis, basta que toques essa campainha, posta a teu lado, sobre um livro. Ele soltará apenas um suspiro, nesses confins da Mongólia. Será então um cadáver; e tu verás a teus pés mais ouro do que pode sonhar a ambição de um homem avaro. Tu, que me lês e és um homem mortal, tocarás tu a campainha?’ (Eça de Queiroz em “O Mandarim”).

O romance, com pouco mais de 150 páginas, é o relato da vida de um rapaz português, Teodoro que se vê diante da questão proposta no parágrafo acima. Ele relata sua decisão e as conseqüências a que tal decisão o levou. Trata-se de um livro leve que traz em si uma proposta reflexiva profunda – Se você pudesse ganhar toda a riqueza que almeja tirando a vida de alguém que você não conhece o que faria? Apenas a vida de um idoso desconhecido separa você do dinheiro que deseja e você não irá sujar as mãos, não irá ver sua vítima, apenas sabe que ela irá morrer em um suspiro. Apertaria a campainha?

Em tempos como os que vivemos, onde a vida tem sido cada vez mais banalizada, essa é uma reflexão válida, importante, até mesmo urgente: O dinheiro é mesmo o mais importante? Qual o limite da ambição? Quais as consequências de ceder às tentações?

Título: O Mandarim

Autor: Eça de Queiroz

Ano:1880

TAG do Mês: Desafio Vegano dos 30 dias

Sabe aquela pergunta chatinha “mas vegano come o que afinal?”, que tal respondê-la com uma TAG divertida no seu perfil do Facebook, Instagram ou outra rede social? Vi essa ideia em uma página norte-americana (não me lembro o nome da página), e decidi criar uma versão brasileira! Já comecei a postar no meu perfil pessoal e já falei sobre a TAG na página do Facebook, agora estou dividindo com vocês! E sabe outra boa notícia? Em breve eu volto a postar receitinhas veganas aqui no blog! Delícia né?

Enfim, é isso! Desculpem o post rapidinho e, se ainda não curtiram a page do blog lá no face, deem uma curtida! Lá tem conteúdos exclusivos como fotos do meu dia-a-dia, mensagens, brincadeiras e TAG’s como a #músicadomundo, corre lá!

Desafio #30VeganDays

Desafio Cinetoscópio #15: Um filme de animação

Uma misteriosa garrafa com um pedido de socorro chega aos simpáticos ratinhos do mundo inteiro que mantém um salão no prédio das Nações Unidas. Bianca, uma chamosa ratinha, oferece-se como voluntária para resgatar a menininha Penny, autora do bilhete e, para acompanhá-la, escolhe Bernardo, o zelador. Inicia-se aí uma aventura de tirar o fôlego e arrancar muitos risos.

É uma das minhas animações preferidas da Disney, pois além de ser fofinha e divertida, também consegue incluir uma dose de romance sem cair na velha fórmula do “príncipe encantado” e da “princesa” – As personagens femininas da animação tem ações próprias, são inteligentes, tem personalidade forte, são corajosas nos momentos certos, demonstram medo em outros momentos, não por serem mulheres, mas por ser o medo uma emoção humana (apesar da personagem ser uma ratinha, ela é humanizada, apresenta comportamentos humanos). Uma animação de 1977 que certamente marcou gerações! Vale muito a pena assistir!

Quer saber mais sobre o Desafio Cinetoscópio dos 30 filmes? Acesse aqui!

Feliz Ano-Novo! Blessed Samhain!

Hoje lares pagãos/wiccanos de todo o hemisfério Sul comemoram o Samhain. É um festival que celebra a última colheita antes do inverno. É tempo de guardar o que será imprescindível à sobrevivência pelos próximos meses gelados que se aproximam. O Deus-Sol morre, tornando-se O Senhor das Sombras, e a Deusa está em sua face anciã, cheia de recolhimento, mistério e sabedoria. Ela sabe que em seu ventre há a centelha de vida do Deus que irá renascer em Yule.

Considera-se o Samhain como o Ano-Novo dos bruxos, uma noite em que os véus que separam o mundo espiritual e o mundo material se encontram mais tênues, facilitando o contato com os antepassado – por isso nessa data é costume que se homenageiem aqueles que já nos deixaram. No hemisfério norte  o Samhain é comemorado em 31 de Outubro, o que acabou originando o Halloween (Dia das Bruxas), e o “Dia de todos os Santos”, introduzido pela Igreja Católica para cristianizar as festividades pagãs que ela não conseguia retirar dos costumes populares.

É um tempo de reflexão e de estabelecer metas para o próximo ano que entrará.

Algumas atividades típicas dessa data são:

Queimar pedidos para o próximo ano

Confeccionar um Jack O´Lantern

Fazer oferendas de maçãs e pães de grãos nos Jardins dos Ancestrais

Rituais divinatórios (Tarot, caldeirão, espelho, runas)

Confeccionar vassouras, bastões, cordas de bruxa e outros objetos mágicos

Acender uma vela laranja à meia-noite para atrair sorte

As cores usadas nesse Sabath são o Preto e o Laranja. Já as ervas são a nós-moscada, sálvia, menta, mirra, patchuli, artemísia, alecrim, musgo, calêndula, louro, mandrágora. Pedras também devem ser utilizadas durante os rituais e nesse período, como fontes de proteção e energia – as que se relacionam ao festival são: obsidiana, floco de neve, ônix, cornalina, turmalina negra, âmbar, granada, hematita.

Tenham todos e todas um abençoado Samhain e um novo ano cheio de paz, luz e amor!

Como a reforma trabalhista vai afetar a sua vida?

Ontem foi mais um dia histórico para o Brasil: Dia de Greve Geral. Milhares de pessoas foram às ruas numa tentativa de barrar a contra-reforma imposta pelo (des)governo Temer e por um congresso corrupto, imundo e que, muito embora tenha se elegido com os nossos votos, pouco ou nada se importa em nos representar.

Infelizmente houve trabalhadores que não aderiram à greve – não por não desejarem aderir – mas por terem sido coagidos por seus patrões a estar no local de trabalho, inclusive utilizando serviços como Uber e taxis. São em geral trabalhadores de empresas menores onde a adesão a uma greve seria levada pelo lado pessoal gerando perseguição e mal-estar no ambiente de trabalho, ou de empresas grandes, mas pertencentes a categorias sindicais fracas, como o comércio por exemplo. Diante disso, faz-se necessário o uso de táticas de força: Queimar pneus impedindo o trânsito e fechar vias de acesso, além de impedir a circulação de meios de transporte públicos inviabiliza a ida dessas pessoas ao trabalho, possibilitando que participem da greve sem se prejudicar em seu ambiente de trabalho.

Outros trabalhadores não aderiram à greve por acreditar ser um movimento desnecessário movido por “sindicatos e políticos”. O que é um grave engano. Sindicatos são centralizadores do poder de luta do trabalhador. Sem o surgimento dos sindicatos nossas condições de trabalho seriam ainda piores do que já são.

Mas afinal, quais são as reformas trabalhistas que motivam tantos protestos? Esse é outro ponto interessante: muitos trabalhadores e trabalhadoras simplesmente não sabem o que lhes aguarda e por isso não deram a devida atenção aos movimentos!

O que muda?

  1. Verbas que integram o salário: Atualmente, toda ajuda de custo integra o salário para fins de INSS e FGTS, ou seja: Prêmios, ajuda de custo para viagens feitas a serviço da empresa, valores relativos a assistência médica e odontológica incidem sobre INSS e FGTS. Com a reforma não irão mais incidir, ou seja: O EMPREGADOR PODERÁ PAGAR UM SALÁRIO PEQUENO E “COMPLEMENTAR” COM ESSAS VERBAS SEM QUE ISSO SEJA CALCULADO NO INSS E FGTS!  Péssimo né?
  2. Equiparação salarial: Sabe aquelas pessoas que exercem a mesma função na prática, mas são registrados de forma diferente na CLT e por isso recebem salários diferentes? Atualmente elas podem pedir a equiparação salarial mesmo que as funções sejam exercidas em diferentes estabelecimentos do grupo econômico. Com a mudança da regra, essa pessoa tem que trabalhar no mesmo estabelecimento para poder solicitar esse benefício.
  3. Cargos de confiança: Quem trabalha sabe que os cargos considerados “cargos de confiança”, como gerentes e supervisores, não recebem horas-extras, nem feriados, mas recebem um salário maior. Após um tempo exercendo esse cargo de confiança, esse acréscimo passa a integrar o salário para finalidades relativas a FGTS e INSS. Após a reforma esses valores não irão mais integrar o salário. Agora reparem bem: Bancos por exemplo, registram muitos funcionários como “gerentes” e isso não é um acaso! É uma manobra para retirar direitos trabalhistas básicos como as horas extras ou acréscimo por feriados.  Menos qualidade de vida para o trabalhador.
  4. Rescisão de contrato de trabalho: Atualmente precisa ser feita pelo sindicato. É uma forma de garantir que os trabalhadores recebam as verbas que lhes são devidas. Com a reforma, quem for demitido após mais de um ano de trabalho não precisará mais ter sua rescisão homologada pelo sindicato.
  5. Demissão em massa: Atualmente deve haver participação do sindicato nessas situações. Após a reforma a empresa poderá demitir em massa sem dar satisfação a ninguém.
  6. Plano de demissão voluntária: Quem aderir não poderá requerer direitos trabalhistas depois. Vamos pensar o seguinte: A empresa apresenta o plano ao trabalhador e pergunta “aceita ou não”. O trabalhador aceita sem se dar conta de cláusulas que o prejudiquem pois muitas vezes ele simplesmente não sabe seus direitos. Atualmente ele pode socorrer-se na justiça trabalhista. Após a reforma ele não poderá mais. E nós sabemos como funciona o empresariado: O patrão jamais irá apresentar o plano de demissão voluntária e dar tempo do funcionário ir até um advogado e perguntar “está tudo certinho? Estou sendo prejudicado ou devo aceitar?”
  7. Aviso Prévio Indenizado: Com a reforma o empregado poderá receber apenas metade do aviso prévio tendo liberado 80% do FGTS (lembrem-se que o valor do FGTS será menor já que conforme o item 1 e 3 muitas verbas não incidiram mais sobre ele) e perderá o seguro desemprego.
  8. Arbitragem nas relações de trabalho: A justiça do trabalho deixa de ser a única competente pare resolver questões trabalhistas, podendo ser contratados árbitros para solucionar tais questões. Isso é precarizar a relação de trabalho jogando por terra garantias históricas!
  9. Contribuição sindical facultativa para empregados e empregadores: Isso irá enfraquecer os sindicatos – e sindicatos enfraquecidos irão perder a capacidade de proteger suas categorias – categorias mais desprotegidas não irão conseguir lutar por melhores condições de trabalho e serão cada vez mais exploradas.
  10. Jornada e intervalos de trabalho: Atualmente são consideradas normas de saúde do trabalhador e não podem ser negociadas. Com a mudança poderão ser negociadas. Muitos podem achar isso bacana, mas na realidade não é. Pensem o seguinte: Hora extra não é obrigatória mas todo mundo que trabalha faz – e é bem difícil você falar para o patrão que não irá fazer sem acabar sendo penalizado ou mesmo demitido na primeira oportunidade. Uma hora de almoço também é direito do empregado, mas muitas empresas mandam você engolir a comida em 15 minutos e voltar ao posto de trabalho (eu passei por isso no Extra e sei o quanto me estressei brigando pelo direito de ter a dignidade de parar para comer e descansar). Se estes intervalos forem flexibilizados, o patrão poderá impor isso aos funcionários e eles por dependerem economicamente de seus empregos, irão aceitar, mesmo ficando mais sujeitos a adoecimento por excesso de trabalho. E por falar em hora extra, a jornada de trabalho que atualmente é de 8 horas diárias com no máximo 2 horas extras passa a poder ser de até 12 horas diárias! Absurdo!
  11. Validade das normas e convenções coletivas: Além das leis trabalhistas há normas e convenções coletivas negociadas entre patrões e sindicatos. Atualmente, quando a validade dessas convenções expira, elas continuam valendo até serem rediscutidas. Com a proposta de reforma isso não irá mais ocorrer, deixando de ser aplicadas até que haja nova discussão (e lembrem-se: sem o imposto sindical o sindicato estará mais fraco e com menos força para negociar). Ainda sobre acordos e convenções, com a nova regra, os acordos coletivos (entre empresa e sindicato) irão valer mais que as convenções coletivas. Agora dá uma olhada na diferença entre acordo e convenção coletiva para entender o motivo de ser importantíssimo que as convenções sobreponham aos acordos coletivos:

ACORDO – CONVENÇÃO – DISSÍDIO COLETIVO DE TRABALHO

 O artigo 7º, inciso XXVI da Constituição Federal, estipula que são direitos dos trabalhadores urbanos e rurais o reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho.

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

 O artigo 611 da CLT, define Convenção Coletiva de Trabalho como o acordo de caráter normativo, pelo qual dois ou mais sindicatos representativos de categorias econômicas e profissionais estipulam condições de trabalho aplicáveis, no âmbito das respectivas representações, às relações individuais de trabalho.

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO

É  o acordo que estipula condições de trabalho aplicáveis, no âmbito da empresa ou empresas acordantes, às respectivas relações de trabalho. A celebração dos acordos coletivos de trabalho é facultado aos sindicatos representativos das categorias profissionais, de acordo com o art. 611 § 1º da CLT.

12. Honorários nas ações trabalhistas: Atualmente o empregado não paga honorários quando perde a ação contra o empregador. Com a mudança serão devidos honorários entre 5% e 15% do valor da ação.

13. Férias: Atualmente as férias de 30 dias podem ser fracionadas em até dois períodos – um deles não inferior a 10 dias. 1/3 do período pode ser pago em forma de abono. Na prática isso resulta em muitos empregadores forçando a situações para dividir o período de férias e pagar esse abono ao funcionário, diminuindo seu período efetivo de descanso. Isso resulta em menor convívio familiar e social, prejudicando a saúde do trabalhador. Com a reforma poderá ser fracionado o período de férias em três períodos: um não inferior a 14 dias e outros dois não inferiores a 5 dias. Imagina só o seu patrão (que em geral já escolhe o período em que você irá tirar férias sem te consultar ), te coagindo a tirar essas férias em três períodos (escolhidos por ele)?

14. Terceirização: Passa a ser irrestrita; pela lei antes da reforma, somente poderiam ser terceirizados funcionários que não servissem às atividades-fim da empresa: por exemplo, uma escola poderia terceirizar equipes de cozinha ou limpeza, mas não professores. Com a nova lei, qualquer atividade poderá ser terceirizada. E aumentou também o tempo de contrato do funcionário terceirizado.

15. Transporte: Se a empresa em que o trabalhador atua fica em locais distantes e não atendidos pelo transporte público, o tempo em que o empregado fica dentro do meio de locomoção fornecido pela empresa conta como hora trabalhada. Com as alterações, esse tempo não será mais contabilizado como jornada de trabalho. Menos tempo livre para esse trabalhador conviver com sua família ou estudar.

16. Gravidez: Atualmente é proibido o trabalho insalubre para mulheres grávidas ou lactantes. Com a reforma isso passa a ser flexibilizado, portanto, mulheres grávidas podem trabalhar em ambientes insalubres se a empresa atestar que isso não representa risco – vamos concordar que ambiente insalubre, por si, já é um risco. Em relação à demissão, não havia prazo para mulheres demitidas avisarem suas empresas sobre a gravidez. Com a nova regra esse prazo passa a ser de 30 dias. O legislador não pensou que há mulheres que não percebem a gravidez com tanta rapidez. Uma busca no Google é capaz de mostrar mulheres que descobriram estar grávidas só quando o bebê nasceu!

17. Seguro – Desemprego: O direito a ingressar no programa Seguro-Desemprego passa a ser decidido por trabalhadores em conjunto com o empregador, não sendo mais um direito garantido aos que foram demitidos após determinado período de trabalho.

18. Registro de Ponto: Atualmente as empresas devem ter ponto eletrônico, mais difícil de fraudar ou alterar. Com a nova regra, isso pode ser definido em acordo coletivo (novamente lembrando: Os sindicatos estarão enfraquecidos e não poderão lutar com a mesma força de agora). Vamos pensar o seguinte – papel aceita qualquer coisa. O ponto eletrônico é uma segurança! Ponto em papel pode ser alterado.

Por esses e outros motivos é URGENTE a adesão dos trabalhadores às greves. Não se trata de uma discussão entre os grupos que se acostumaram dizer-se “coxinhas” e “mortadelas”. Trata-se de uma luta por direitos que são de todos e todas, independentemente do posicionamento político, aliás, o posicionamento político pode ser  discutido em outro momento, depois que a CLT e a previdência estiverem salvas. E se você ainda não trabalha, lembre-se que essa luta também é sua, pois cedo ou tarde você irá enfrentar o mercado de trabalho!

ctps

TAG: Coisas que amo

Mês passado lancei a TAG “Coisas que detesto” . Foi uma experiência divertida e, por isso decidi criar mensalmente uma nova TAG! Esse mês de Março o tema será “Coisas que amo” e vai funcionar do mesmo jeito: Só postar (ou compartilhar) a imagem no seu Facebook ou outra rede social e esperar os amigos comentarem. Aí você comenta as respostas deles em um texto no blog!
Tenho que confessar que essa TAG me surpreendeu – Tenho uma página do blog no Facebook onde posto conteúdos rápidos, fotos, etc. Até semana passada eu tinha 531 curtidores nessa página e, após lançar a TAG por lá, o número chegou a 15mil! 15mil pessoas curtindo a minha página é algo que ainda me assombra, mas estou muito feliz! Enfim, vamos lá comentar as respostas das coisas meus amigos acham que eu amo!

1) Ataulfo Alves: Ok, eu gosto de músicas antigas,mas dizer que eu AME Ataulfo Alves é forçar um pouco a situação… Podia ser ao menos Carlos Galhardo ou Frank Sinatra, não é Daniel Prates? Afinal, você é cantor e eu nunca lhe pedi Ataulfo Alves em nenhum show! Kkkk
2) Jiló: Meu amigo Josué Pedrozo errou muito feio!
3) Ana Marques disse violão. Sim. Amo violão, levava pra faculdade para tocar no intervalo inclusive!
4) Lamartine Babo: Também é exagero dizer que está no rol das coisas que amo. Ele ficou conhecido pelas marchinhas e pelo carnaval e eu não sou assim muito carnavalesca, então para mim é indiferente… Vera não acertou!
5) Pakalolo: Eita assunto tenso de se comentar em público não? Humberto foi bem espertinho em sugerir essa!
Amor próprio: Sempre importante. Foi um comentário inusitado do Marcelo Inácio, mas interessante.
6) Verônica Nascimento: Escreveu “Eu”. É, como não amar as amigas?
7) Amor Vampírico: Minha amiga Chuana acertou! Não resisto a uma boa história de amor entre vampiros ou vampiros e humanos.
8) Escrever: Amo muito! E alguns amigos meus lembraram de dizer isso! Demorou, mas lembraram! Mario Rezende e Lili Maria acertaram!
9) Conversar: Gosto e como gosto! João acetou!
10) Bruxas: Minha amiga Jackeline lembrou muito bem esse detalhe! Sou Wiccana e adoro bruxas!
11) Liberdade, Igualdade e Fraternidade: A querida Rose Magalhães disse as três coisas que eu gostaria de saber que existem para todos e todas.
12) Atum: Só o Renisson! Piada pessoal pelo dia há anos atrás, em que quase tive uma pequena recaída do vegetarianismo comendo uma torrada com patê de atum… Não gosto nem de lembrar! Amo Atum, desde que esteja vivo. #GoVegan
13) Música: Rosa, Lili e Pontes acertaram essa! Amo muito, tanto que estudo música!
14) Cantar: Uma lembrança muito boa da Raquel! Sim, amo cantar!
15) Amigos: Novamente a Raquel lembrou algo importante! Amo meus amigos
16) Batata Doce: kkkk A Kuka lembrou de algo engraçado! Batata Doce? Eu não posso amar batata doce… Mas ao mesmo tempo, por que não? Sim, eu amo batata doce, principalmente doce de batata doce.
17) Dançar: Dox acertou também, amo dançar e meu sonho antes da música era fazer faculdade de Dança!

Meus amigos provaram que me conhecem bem, tanto nas coisas que odeio quanto nas que amo, mas fiquei bastante decepcionada: Ninguém citou “Livros”, “Frio”, “Chuva”!
Bom, ficam convidados para responder a TAG:

Hello

Patriamarga

Vivimetaliun

Pitacos e Achados

COISAS QUE AMO

 

 

17/04/16: O dia que historiadores terão dificuldade de explicar no futuro

Em 17 de Abril de 2016 votava-se no Congresso o afastamento da Presidenta Dilma, que posteriormente sofreria o impeachment. Foi o início de um período nebuloso que perdura até os dias atuais: O atual presidente aprofunda ainda mais o abismo social já existente no país através de reformas que precarizam o trabalho, o ensino, os serviços públicos e até mesmo a aposentadoria. É uma realidade assustadora, especialmente para as camadas sociais menos favorecidas economicamente e para as minorias. E isso tudo está sendo vendido e maquiado pela mídia de forma a levar uma parcela da população a acreditar que esta é a única maneira de sair da atual crise é a implementação de tais medidas que trarão resultados desastrosos para o futuro do país. É impressionante o silencio ou mesmo a fala em negação da grande maioria dos legisladores quando o assunto é taxar as grandes fortunas, exigir que as propriedades cumpram sua função social, priorizar o meio ambiente ao lucro das grandes empresas.  É deprimente vermos dívidas de teleoperadoras sendo perdoadas enquanto direitos básicos são massacrados.  Mas essas questões não são a parte mais nojenta e indigesta do período em que vivemos! Ao escrever este texto, recordo-me de estar assistindo à votação dia 17/04/16: Inicialmente foi chocante reparar na quantidade de deputados e deputadas que orgulhosamente diziam ter votado a favor do Impeachment do Collor! Eles simplesmente esqueceram que cargos políticos são temporários e se perpetuam no poder (com a ajuda dos votos da população que eles sistematicamente prejudicam)! Além disso, houve tantas citações religiosas (ignorando o fato de vivermos em um país laico), tantas falas “dedicando” o voto ao futuro de filhos e netos (como se o futuro dessas crianças, nascidas em berços regados a dinheiro e corrupção estivesse em risco). Houve também falas imundas e uma funesta homenagem a um torturador. Sim, essa votação deveria envergonhar a todos – até mesmo àqueles que discordam do governo Dilma. Aliás, certas falas deveriam especialmente envergonhar àqueles que se dizem “defensores de um país melhor, com mais igualdade e sem corrupção”. O Impeachment não se baseou em leis – não houve crime comprovado! O impeachment foi um acúmulo de forças corruptas que , em conchavos pretendiam barrar investigações antes que nomes importantes da direita caíssem e foi fortalecido pelo machismo e pela intolerância – dos nossos representantes e, infelizmente, de uma parcela da população que insiste em acreditar no que lhes é vendido por eles.

Fico imaginando como os futuros historiadores conseguirão explicar esse dia histórico para o nosso país: A retirada de uma presidenta do poder por motivos meramente políticos através de um circo de horrores.

Um ano depois, o que nos resta é buscar formas legitimas de organização para lutar pelos direitos que nos estão sendo tirados e pela melhoria geral da qualidade de vida neste continental país, mas isso só será possível quando cada um e cada uma se derem conta que política não é “aquele troço que acontece a cada quatro anos onde decidimos quem irá ocupar o poder” e sim uma atuação constante, diária, de cada um.

E, por falar em direitos e lutas: Dia 28 de Abril é dia de Greve Geral. Independentemente da opinião de cada um sobre o Impeachment (que foi tema inicial deste texto), a participação no movimento de greve é imprescindível para barrar a reforma trabalhista e previdenciária.  Se houver protestos na minha cidade, estarei na rua! E vocês?

#nenhumdireitoamenos #ForaTemer #PrevidênciaFicaTemerSai #DiretasJá

Páscoa ou Ostara?

Sei que o tema é delicado e, de antemão já adianto que não tenho a intenção de ofender meus leitores e leitoras cristãos – Acredito que religião e crença são coisas extremamente íntimas e respeito muito cada uma delas. Entretanto, não poderia deixar de escrever este pequeno texto falando sobre o paganismo, afinal, mesmo afastada da Wicca há algum tempo, ainda trago no coração o chamado da Deusa.

Páscoa. Aquele dia gostoso, domingo festivo e cheio de chocolate. Para os cristãos, a comemoração da ressurreição de Cristo. Para o comércio, a chance de vender ovos, doces, pelúcias. E de onde surgiram esses símbolos afinal? Ovos? Coelhos?

Nos panteões de deidades anglo-saxãs e nórdicas, Eostre (ou Ostara) era tida como a deusa da fertilidade, do renascimento, e, durante a primavera, a essa deusa eram associados símbolos de fertilidade – como ovos coloridos e coelhos  Havia festividades em e, a Deusa acabou por dar seu nome ao Sabbat Pagão. É importante ressaltar que a festividade de Ostara é celebrada no final de março (durante a Primavera), no hemisfério Norte – Aqui no hemisfério Sul há quem siga a mesma data, e há quem comemore em Setembro (na nossa primavera). Aqui em casa, costumo comemorar em Setembro, mas confesso que não abro mão de aproveitar esse clima de gula, paz e amor que chega todos os anos durante a Páscoa – afinal, é sempre bom aproveitar as datas especiais, ir pra cozinha, fazer ovos, bombons, bolos e mimar muito as pessoas que amamos, não é? E em Setembro é só fazer de novo e está tudo certo!

Ah, e não vamos esquecer: Ovos de chocolate vegano, afinal, não vamos maltratar animais para celebrar nossas crenças!

Feliz Páscoa para quem é de Páscoa; Feliz Ostara para quem é de Ostara!