A menina submersa

Ler sempre foi uma atividade extremamente pessoal na minha vida – quase sempre escolhia o livro pela capa, pelo título ou por alguma indicação aleatória. Entretanto, no início deste mês de Setembro surgiu,em um dos grupos que participo no Facebook, o convite para participar de um Clube do Livro, o Clube do Unicórnio – um espaço de interação muito legal criado pela Carol do Blog Ei Carol em que o objetivo é ler um livro por mês e discutir sobre a leitura com as outras participantes.

O escolhido para o mês de Setembro foi “A menina submersa” e eu não poderia deixar de falar um pouco sobre ele, não é verdade?

“A menina submersa” – Um título intrigante. Confesso que não gosto muito de ler sinopses, mas acabei lendo o que trouxe ainda mais expectativas – que foram superadas a cada página!

A trama, embora narrada pela personagem principal, não segue uma linearidade e alterna entre primeira e terceira pessoa numa construção primorosa, permeada por pequenas histórias escritas pela personagem, memórias da infância, reportagens e descrições de obras de arte além de uma intrincada relação entre a vida e os contos de fada. Pode parecer confuso e talvez por isso a sinopse oficial do livro não adentre em tais meandros sobre a narrativa.  A autora retrata o delicado tema dos transtornos mentais por meio da personagem principal- narradora Imp e de sua “história de fantasmas” – A arte é, portanto, a catarse pela qual a personagem tenta manter sua frágil sanidade mental. Outro ponto interessante: Imp leva uma vida relativamente normal, apesar da doença: Trabalha, pinta, namora, escreve – e retrata tudo isso em detalhes, que, entretanto, podem ou não ser factuais. Se ela consegue lidar com isso? Na maioria do tempo, sim. Se o leitor consegue? Sim, embora com certa inquietação.  E talvez seja essa inquietação um dos fatores que fazem a leitura tão irresistível, como uma sede que só aumenta a cada página e sacia-se no desfecho.

 

A Menina Submersa – Caitlín R. Kiernan
Número de Páginas: 320 páginas
Editora: DarkSide® Books

Conheçam também o Clube do Unicórnio:

Exibindo Banner projetos Clube do Unicórnio.png

 

 

 

Anúncios

20 músicas inspiradas em obras literárias

Estamos em Setembro – mês de entrada da primavera, mês de flores e calor voltando e, mês da nossa #PrimaveraLiterária (Conheça o projeto clicando aqui).  Então nada mais apropriado que falar muito de literatura aqui no blog.

Hoje eu separei uma playlist muito especial só com músicas inspiradas em poemas e livros, afinal, nossa #PrimaveraLiterária merece uma trilha sonora perfeita, não é verdade?

  • Amor pra recomeçar

A música eternizada na voz de Frejat foi inspirada no poema Desejo, de Vitor Hugo. A canção é, assim como o poema, uma expressão de desejos para a vida. Vale a pena ler e ouvir!

 

  • Monte Castelo

 

Renato Russo utilizou trechos do soneto 11 de Luís de Camões, juntamente com trechos bíblicos. É uma canção tocante.

 

 

  • Luzes

Arnaldo Antunes também transformou poesia em música – neste caso uma poesia de Paulo Leminski – Luzes. O ritmo da canção ficou bem interessante, instigante e gostoso de se ouvir!

 

  • Valsinha

Vinicius de Moraes escreveu em 1970 o poema valsinha, que foi logo adaptada por Chico Buarque, passando a fazer parte do repertório do artista.

 

  • Fanatismo

Fagner encarregou-se de transformar a poesia homônima de Florbela Espanca em uma canção romântica.

 

  • Funeral de um lavrador

Atire a primeira pedra quem não leu, amou ou odiou o poema Morte e Vida Severina nos tempos de colégio. A obra de João Cabral de Melo Neto foi inspiração para a canção Funeral de um lavrador, escrita por Chico Buarque um ano após o golpe militar

 

 

  • Medroso de Amor

O poema de Juvenal Galeano foi transformado em música pelo pianista Alberto Nepomuceno, ficando conhecida em 1968 na voz de Nara Leão.

 

8)Minha namorada

Outro poema de Vinicius de Moraes que tornou-se música.

 

9)The sound of silence

Paul Simon baseou a atmosfera pesada dos versos no recém lançado romance, Fahrenheit 451, do então jovem romancista  Ray Bradbury.

 

10) A revolta dos dândis

Humberto Gessinger (Engenheiros do Havaí) se inspirou no capítulo “A revolta dos dândis”, do escritor francês Albert Camus, para escrever a canção homônima.

 

11) The trooper

Quem disser que rock não é cultura só pode estar mentindo. Há várias canções famosas que foram inspiradas em obras literárias. The trooper, por exemplo, foi inspirada no poema The Charge of the Light Brigade, de Alfred, Lord Tennyson. Aviso que a letra é bem pesada, tensa mesmo.

 

12) Amor I Love You

Marisa Monte canta trechos do clássico “O Primo Basílio” nesta canção romântica e bastante conhecida!

 

13) Admirável chip novo

Quem gosta de literatura e distopia já consegue perceber que uma das músicas mais conhecidas da cantora Pitty foi inspirada no livro Admirável Mundo Novo, de Audous Huxley

 

14) Animals

Novamente o rock mostra que também é cultura! O disco Animals, da banda Pink Floyd, foi inspirado no clássico “A revolução dos bichos”, do escritor George Orwell.  O livro concentra-se no comunismo, já o álbum é uma crítica direta ao capitalismo.

Deixou aqui a música Dogs, mas vale a pena ouvir o álbum inteiro!

 

15) The phantom of the Opera

A banda Nightwish buscou referências no romance O fantasma da ópera, de Gastón Leroux.

 

16) O gondoleiro do amor

Castro Alves escreveu este belo poema, que faz parte do único livro que o autor pôde revisar em vida, Espumas Flutuantes. Anos depois ele ganhou uma versão musical bastante melodiosa. Deixarei aqui minha interpretação favorita, na voz de Dilermando Reis e Francisco Petrônio

 

17) The Death Of Manfred

Para os amantes de música instrumental, deixo esta obra prima de Luís de Freitas Branco , composta em 1906 inspirada na obra de Lord Byron (um dos meus poetas favoritos). Como se poderia esperar, a música tem tons sombrios!

 

18) My lost Lenore

A banda Tristânia se baseou no poema Lenore, de Edgar Allan Poe, para compor a canção My lost Lenore. O poema fala sobre a morte e casou muito bem com os acordes do rock/metal

 

19) The Raven

Outra canção inspirada em Edgar Allan Poe, desta vez de autoria da banda The Alan Parsons Project e com estilo Rock Progressivo.

 

20) Elvenpath

Como deixar de fora Nightwish e sua relação com J.R.R Tolkien, autor da trilogia “O Senhor dos Anéis”. Elvenpath, cuja tradução é “A trilha Élfica” faz referências diretas ao universo de Tolkien.

 

Gostaram? Comentem o que acharam! E não se esqueçam de participar da Primavera Literária dia 23 de Setembro!

 

 

 

Primavera Literária

Livros devem ficar sempre presos em estantes? Ou cumprem melhor sua missão quando passam de mão em mão? A resposta é quase unânime – Livros devem ser lidos. E depois? Doar? Guardar em uma estante empoeirada?

Existem alguns projetos interessantes para colocar os livros em movimento – Livro livre, livro viajante, liberte seus livros. E inspirada nesses projetos e também na chegada da Primavera, criei o projeto “Primavera Literária” – A ideia é que dia 23 de Setembro, comemorando a chegada da estação das flores, espalhemos livros pela nossa cidade – Não apenas abandonar um livro por aí, mas deixá-lo com um bilhetinho sugerindo que, quem o encontrar, leia e depois recoloque o livro em circulação com outro bilhete e assim por diante.  Sinceramente, não sei o quanto as pessoas estão dispostas a aderir a um evento assim, mas decidi tentar e descobrir no que vai dar.

E você? Topa participar? Dá uma olhadinha lá no evento que criei no Facebook, confirma presença e convida os amigos e amigas – É só clicar aqui para fazer uma visitinha!

 

 

TAG: Versatile Blogger Award

Nos  últimos meses fui indicada para responder algumas TAG’s, sei que demorei bastante, mas finalmente tirei um tempo para responder.

Versatile Blogger Award

Inicialmente quero agradecer ao blog Feira dasPoesias e ao blog Por que não? pela indicação ao Versatile Blogger Award! Sei que demorei muito para responder e juro que não foi falta de vontade, apenas falta de tempo mesmo! Aliás aproveitando deixo a dica para meus leitores e leitoras: Visitem os blogs Feira das Poesias e Por que não! Ambos são espaços muito legais e agradáveis onde você vai encontrar poesias, dicas para o dia a dia e muitas outras coisas interessantes!

Bom, as regras do prêmio são:

Agradecer ao blog que me indicou e compartilhar o link: Já fiz isso no parágrafo anterior! Mas vamos lá!

Feira das Poesias é como o próprio nome já diz, um blog de poesias.  A autora Kariane é uma jovem muito talentosa que escreve com o coração e com a alma! Kariane, fiquei muito feliz com o convite! Obrigada mesmo!

Por que não? é um guia para o cotidiano: Fala sobre tudo – música, decoração, moda, comportamento, filmes… Enfim, uma surpresa a cada dia! A autora Joyce é uma mulher inteligente, cheia de boas energias e muito simpática!

– Indicar 10 blogs para receber o prêmio: Como faz mais de um mês que não consigo colocar a leitura em dia e não sei quem respondeu ou não, deixo essa parte em aberto e não indico ninguém!

–  Revelar a pessoa que me indicou 7 fatos sobre mim:

  1. Gosto de sair pela cidade apenas para observar as ruas, os prédios, as pessoas passando. Gosto de pensar que dentro de cada janelinha tem vidas que são um universo imenso em si mesmas!
  2. Sou militante do PSOL, tento manter a militância e a literatura separadas, mas muitas vezes não consigo e acabo falando sobre isso nos textos.
  3. Além do blog, tenho uma página no facebook- É só curtir naquela janelinha ali do lado
  4. Estudo música no Conservatório Municipal de Cubatão e, das mil coisas que faço no dia a dia, essa é a que mais gosto. Espero um dia poder me dedicar apenas a música e literatura.
  5. Tenho um apelido masculino e adoro: Muitos amigos e amigas me chamam apenas de Bob
  6. Sou formada em direito e consegui passar na prova da OAB na primeira tentativa e sem cursinho – achei a prova até fácil demais para falar a verdade – mas ainda assim não morro de amores pela profissão e não estou exercendo no momento.
  7. Acredito no amor verdadeiro e único, depois que você ama alguém, nunca mais esquece – pode até ter paixonites no meio do caminho quando não correspondida – mas amar de novo? Nunca!

 

 


Meninas, obrigada pelas indicações ❤ Amei participar mesmo que tarde hahahah

E Juju do blog Patinatrix: A próxima TAG é a que você me indicou! Não esqueci não moça!

 

 

 

 

Primavera Literária

Livros são flores

Que das almas desabrocham

Das mãos tomam forma

Do coração se nutrem

Livros são flores

Que se abrem em perfume:

Perfume de sabedoria

Perfume de imaginar

Perfume de sonhar

Livros são flores

Aprisionadas em estantes

Empoeiradas

Flores tristes não lidas

Flores esperando oportunidade

De viver sua primavera,

Cumprir sua missão:

E florir em vários jardins

E conhecer várias mãos e olhos

E viver em comentários, citações

Flores a desabrochar – de corações para corações!

02/08/2017

(Poema de improviso)

c094b-tumblr_l3305bdwq41qbp0e3o1_500_252812529

 

 

Agosto, mês do…

Há um dito popular que diz “Agosto, mês do desgosto”.  Pessoalmente, prefiro lembrar que Agosto é o mês que já se inicia com um Sabbath: Imbolc. É o Ápice do Inverno, o tempo em que a Deusa já deu à luz o Deus no Sabath de Yule (21 de Junho). O frio já vai diminuindo e a luz pouco a pouco aumenta – É o Deus-Sol que cresce forte! Nessa época comemorava-se o festival do fogo, em honra à Deusa Brigit. Há inúmeros rituais a serem feitos- Desde trançar os cabelos fazendo pedidos até acender uma vela que deverá permanecer acesa até o próximo Sabbath.

Imbolc celebra a maternidade ao mostrar-nos a Deusa em sua face mãe, cuidando do Deus, seu filho e futuro consorte, por isso nessa época celebra-se a fertilidade e a maternidade. As cores para decorar os altares de rituais, bem como a casa e o vestuário neste período são aquelas que lembrem as cores vivas do fogo: Laranja, vermelho, amarelo, branco e azul – Use e abuse delas para atrair toda a energia e prosperidade neste período. Invoque Deuses e Deusas ligados ao Amor, à prosperidade, representados pela luz crescente e, logicamente, a própria deusa Brigit. Outra dica: As ervas deste Sabbath são a angélica, manjericão, louro, benjoin, salgueiro, mirra, alecrim, dill e trevo. Tenha-as sempre à mão! Caso goste de utilizar pedras, este período é ligado a Água Marinha, Ametista, Granada, Turquesa, Granada e Ônix. Muito embora o principal alimento deste Sabbath seja o leite, prefiro pedir licença aos Deuses e servir coisas feitas com leites vegetais, por acreditar que não é necessário nem indicado causar sofrimento aos animais apenas para obter deles o leite que deveria ser exclusivamente de seus filhotes.

Se em Yule o momento foi de recolhimento e introspecção, Imbolc é um período de traçar novos planos – por isso muitos feitiços lançados nesta época possuem o propósito de atrair prosperidade e também afastar pessoas invejosas.

Feliz Imbolc e que Agosto seja sempre um mês de muito gosto!

____________________________________________________________________________________________

*Agosto é também o mês onde vários blogueiros e blogueiras se dedicam ao projeto #BEDA (Blog Every Day August), não prometo, mas tentarei fazer parte deste projeto pela primeira vez este ano!

 

15 músicas para conhecer um pouquinho do mundo!

Cada país tem uma cultura diferente, e isso se reflete em seus costumes, em sua cultura e, consequentemente em sua música. Na minha página do Facebook eu iniciei um #Tag #MúsicadoMundo, onde pesquiso um pouquinho sobre os países (bem pouco mesmo infelizmente) e compartilho uma música de lá que tenha me agradado (sei que é super personalista escolher o que eu mais gosto em vez de pesquisar mais sobre críticos influentes e etc. então me perdoem essa falha), enfim, deu vontade de postar alguns dos primeiros vídeos que compartilhei no Facebook por aqui, para que conheçam um pouco!

  1. Africa do Sul
África do Sul ou República da Africa do Sul é um país localizado no Extremo Sul da África. O país possui três capitais: Pretória (capital executiva), Cidade do Cabo (Legislativa) e Bloemfontein (capital judiciária) e reconhece 11 idiomas oficiais, sendo os principais o africâner e o inglês sul-africano

Música:  Vulindlela (Brenda Fassie)

 

2. Benin

Benin ou República do Benin é um país Africano, cuja capital é Porto Novo. Sua história é bastante triste, tendo-se em vista ter sido conhecida como “Costa dos Escravos” até a abolição da escravatura. Após esse período, Benin foi batizada como Daomé Francesa, permanecendo colônia da França até sua independência em 1960, com o nome de “República de Daomé”, e, somente em 1975 adotou o atual nome. Atualmente o país é uma república presidencialista, cujo idioma oficial é o Francês. O país apresenta um IDH considerado baixo, com sua atividade econômica baseada principalmente na agricultura de subsistência, exportação de algodão e têxteis, além de cacau. Em questão de religião, convivem no país muçulmanos, cristãos e praticantes de outras tradições religiosas locais, dentre elas o vodun.

Música: Malaika (Angelique Kidjo)

 

3- Botswana

A música do país é uma mistura animada de sons, misturando tradição e influências internacionais como o rock, o soul e até mesmo a rumba.

Música: Tsala (Dikakapa)

 

4- São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe é um Estado insular localizado no continente africano; foi colônia portuguesa até 1975, por isso o idioma oficial é o Português. O país tem como moeda oficial a Dobra, e sua principal atividade é o turismo. É uma república semipresidencialista e, em relação a religião, possui maioria católica, mas há espaço para diversas vertentes  Religiosas

 

5- Canadá

É um país que ocupa grande parte da América do Norte, é o segundo maior país do mundo. O Canadá é uma federação composta por dez províncias e três territórios, uma democracia parlamentar e uma monarquia constitucional, com a rainha Isabel II como chefe de Estado — um símbolo dos laços históricos do Canadá com o Reino Unido — sendo o governo dirigido por um primeiro-ministro. Sua capital é Otawa e seus idiomas oficiais são o francês e o inglês.

Música: Loreena Mckennitt (All Souls Night)

 

6- Antígua e Barbuda

País independente constituído por 37 ilhas localizadas entre o Mar do Caribe e o Oceano Atlântico. Seus primeiros habitantes surgiram há mais de 4000 anos. Descobertos em 1493 por Cristovão Colombo, foram colonizados pela Espanha, sendo vendidas em 1667 para a Grã-Bretanha. O país só se tornou independente em 1981. Apesar de independente, o país reconhece a Rainha Elizabete II como Chefe de Estado. O país tem o inglês como idioma oficial e sua capital é Saint John’s. O país possuí dois ritmos típicos – o calipso e a soca.

 

7- Argentina

A Argentina, oficialmente República Argentina, é o segundo maior país da América do Sul em território e o terceiro em população, constituída como uma federação de 23 províncias e uma cidade autônoma, Buenos Aires. É o oitavo maior país do mundo em área territorial e o maior entre as nações de língua espanhola, embora México, Colômbia e Espanha, que possuem menor território, sejam mais populosos. O país tem como idioma oficial o espanhol, sua capital é Buenos Aires e sua moeda é o peso argentino.
Confesso que é difícil escolher apenas um artista para postar! Amo a música argentina, amo a sonoridade do espanhol falado/cantado por lá. O país é marcado musicalmente pelo tango e, apesar de gostar imensamente de Carlos Gardel, hoje decidi compartilhar uma banda de rock bem atual que conheci em companhia de um amigo muito querido e que hoje se tornou uma das minhas bandas internacionais favoritas: La Franela.

Música: Fue tan bueno (La Franela)

 

8- Peru

O Peru (capital Lima), oficialmente República do Peru, é um país latino-americano banhado pelo Oceano Pacífico e com relevo bastante variado – que vai de planícies áridas a picos nevados e florestas. Sua população, estimada em mais de 30 milhões de pessoas, é de origem multiétnica, sobrevivendo principalmente de atividades como a agricultura, a pesca e a exploração mineral, além da manufatura de produtos têxteis. Apesar de o idioma oficial ser o espanhol, idiomas típicos como o quíchua são muito utilizados.

Música: Te quiero (Susana Baca)

 

9 – Afeganistão

O Afeganistão,oficialmente República Islâmica do Afeganistão é um país de clima desértico que está localizado no centro da Ásia, possui cerca de 29 milhões de habitantes, tem uma área de 647 500 km², sendo o 40.º país mais populoso do mundo. O país possui dois idiomas oficiais: pachto e dari e se divide em 34 províncias, sendo Cabul sua capital.  Pesquisando um pouco sobre o país, descobri que a música e as artes em geral foram banidas da vida da população pelo Taleban.  Descobri também que o próprio Taleban produziu músicas que a população poderia escutar: Utilizando-se de canções folclóricas no país, eles criaram músicas com mensagens que incitam as pessoas a se sacrificarem na Jihad (Guerra Santa). Infelizmente é bem difícil encontrar as músicas tradicionais afegãs traduzidas e, para não divulgar acidentalmente as versões alteradas de tais canções, decidi escolher uma música mais moderna, de um dos poucos cantores afegãos que consegui encontrar.

Música: Waqte Arosi Aftaw Az Khana Mebarya ( Farhad Darya Nashir)

 

10 – Emirados Árabes Unidos

Os Emirados Árabes Unidos são a união de sete emirados (emirados é o equivalente a principados):  Abu Dhabi, Dubai, Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujairah localizados no Sudeste na Península Arábica. Sua capital é Abu Dhabi, sua religão oficial é o Islamismo e o idioma oficial é o árabe.

Música: Boshret Kheir (Hussain All Jassmi)

11 – Arábia Saudita

A Arábia Saudita localiza-se na Península Arábica. O país, cujo nome oficial é Reino da Arábia Saudita, possui o maior território da Ásia Central e, apensar de relativamente jovem , uma vez que oficialmente foi fundado em 1932, possui uma ecomonomia classificada como de alta renda, baseada principalmente no petróleo. Sua capital é Riade, a moeda oficial é o Riyal e o idioma o Árabe. Seu sistema de governo é uma monarquia absolutista e teocrática e não possui uma legislação independente da religião – o Alcorão, livro sagrado do islã, é também a lei aplicada no país.  Infelizmente não encontrei nenhum artista de nacionalidade Saudita, é uma pena não ter nada tradicional para compartilhar com vocês. Quem sabe um dia?

12- Vietnã

O Vietnã, ou oficialmente, República Socialista do Vietnã, é um país localizado no sudoeste asiático, na península da Indochina.   O país é um estado unitário, governado pelo presidente e primeiro ministro, possui idioma próprio – o vietnamita, moeda própria – o Dong e uma longa história, infelizmente marcada pela colonização francesa e por guerras sangrentas. Em relação à religião, convivem no território vietnamita o Budismo, o Taoísmo,  o confucionismo e o catolicismo predominantemente, além de outras religiões como o Hao-Hao, por exemplo. O país é culturalmente rico, com trajes, culinária, música e literatura tradicionais.

Música : Vê Vói Dông (Hông Nhung)

 

13- Albânia

A Albânia oficialmente República da Albânia é um pequeno país montanhoso da península Balcânica, no sudeste da Europa. Tem uma área total de 28 748 km² e uma população de cerca de 3 milhões de pessoas. A capital, Tirana, é a maior cidade do país. Economicamente, é um dos países menos desenvolvidos da Europa, mas seu IDH é superior ao brasileiro. A moeda oficial do país é o Lek. Um dado interessante: Em 1967 todas as igrejas e mesquitas foram fechadas e as práticas religiosas proibidas e, apenas em 1990 o governo passou a permitir práticas religiosas particulares. A maioria da população do país é muçulmana. Dentre tantas vozes bonitas que encontrei na pesquisa sobre o país, escolhi a cantora Emmy (nome artístico de Elsina Hidersha), uma linda jovem assassinada em 2011 pelo ex-namorado. Infelizmente o machismo e a violência contra a mulher fazem vítimas todos os dias e cabe a cada uma de nós lutar pela construção de uma sociedade livre e pela desconstrução do machismo e dos preconceitos que causam tantas vítimas a cada dia

Música: A ma jep (Emmy)

https://www.youtube.com/watch?v=sbOWHMcy9A0

14- Andorra

Andorra,  Principado de Andorra ou Principado dos Vales de Andorra é um país europeu localizado entre o noroeste da Espanha e o sudoeste da França. É um país com a expectativa de vida alta – 83,52 anos. Sua lingua oficial é o Catalão, mas também tem como idiomas o castelhano, o português e o francês. É o sexto menor país da Europa e sua capital é Andorra la Vella (Andorra – a – velha).

Música: Jugarem a estimar-nos (Marta Roure)

 

15- Lituânia

Localizada no continente europeu, a  Lituânia é uma das três Repúblicas Bálticas. O país fundado em 1253, sofreu ocupações pela Rússia/Prússia, em 1795, posteriormente foi ocupada pelos soviéticos (1940), pelos Nazistas, novamente pelos soviéticos (1944), tendo sua independência restaurada em 1990. Sua população apresenta índices decrescentes de crescimento. O país é uma república semipresidencialista, cuja moeda oficial é o Euro, o idioma oficial é o Lituano e sua capital, Vilnius é a cidade mais populosa do país.

Música: Saules Miestras (Andrius Mamontovas)

 

16- Tuvualu

Tuvalu, localizado ao Sul da Oceania,  é um Estado da Polinésia, formado por um grupo de nove ilhas e atóis. Sua capital é Funafuti. Seu território é pequeno, e corre risco de desaparecer devido ao aquecimento global. O país é uma monarquia constitucional, cujo idioma oficial é o Inglês tuvualano e a moeda é o Dólar de Tuvalu ou o Dólar Australiano. Noventa e sete por cento da população é protestante.  O país tem apenas um hotel, não possui museus ou emissoras de TV. Curiosamente é o país do mundo que menos polui, apesar de ser um dos que mais sofre as conseqüências da poluição. Pesquisando por músicos de Tuvualu, só encontrei um – Afaese Manoa. Ele é escritor e músico e compôs o Hino Nacional de Tuvualu  “Tuvualu mo me Atua” na ocasião da independência do país, que, como a maioria das obras do autor, é marcado pela religiosidade. É a única música disponível no youtube!

17 – Jordânia

A Jordânia está estrategicamente localizada no cruzamento da Ásia, África e Europa. Sua capital e cidade mais populosa é Amã.  O país tem como idioma oficial o Árabe e como moeda oficial o Dinar Jordaniano. O país é uma monarquia unitária e a religião é majoritariamente o islã sunita, havendo também cerca de 6% de cristãos.

Música: Mind Controller (Ayah Marar). Aviso: A artista foge completamente do que se esperaria de países Árabes!

 

Gostaram? Em breve posto mais vídeos de artistas mundo a fora!

 

O que eu vou fazer com essa tal liberdade? #FériasQG

Julho – Mês frio, com noites longas e um toque de saudosismo. Quem não sente saudades da infância, quando a única tarefa dos primeiros meses do ano era conseguir notas boas na escola para poder aproveitar as férias julinas? Pois é, julho, para nós que já somos “grandinhos” e trabalhamos é somente mais um mês, amontoado de dias frios e tarefas para cumprir. Mas não precisa ser sempre assim! Aliás, não deve ser assim, afinal, se não aproveitarmos cada segundinho, em breve o mês de agosto irá chegar e trazer de volta a velha rotina e com ela aquela sensação de que os dias que se passaram deveriam ter sido melhor aproveitados.   Julho é o primeiro mês da segunda metade do ano, é um período bacana para verificarmos aquela listinha de metas – o que conseguimos fazer, o que não conseguimos e por qual motivo, o que ainda podemos correr atrás antes que o ano termine. Também é uma boa época para tirar as roupas de frio do guarda roupa e fazer doações para quem não tem com o que se aquecer. Aproveite e tire livros e outros objetos que não está utilizando, isso dá uma leveza na casa! É também oficialmente a época das diversões relativamente baratas: Sempre tem uma quermessezinha rolando em alguma parte da cidade! Aproveite!

Para quem além de trabalhar também é estudante, o período chega a ser “mais ou menos férias” – livres das aulas, mas com a obrigação diária de comparecer ao trabalho, muitas vezes não valorizamos adequadamente esses dias quase livres que o meio do ano nos trás e nem percebemos que nos sobra um tempinho para passeios rápidos, caminhadas, maratonas de séries e outras coisinhas que surjam de repente! Tudo bem que a crise político-financeira que o país atravessa tem feito as noites longas e a grana curta, mas vamos concordar: Com um pouquinho de esforço e imaginação, dá para aproveitar e renovar as energias!

Mas afinal de contas – o que fazer com essa tal liberdade que as férias ou quase férias estão nos trazendo?

A lista é bem grande – desde ler um livro ou assistir uma série apenas pelo prazer de ler ou assistir, até fazer coisas importantes como turbinar os estudos (isso mesmo, rever aquela matéria na qual você não está indo assim tão bem no colégio), organizar o quarto (sim, isso inclui aquela gaveta de papéis velhos) ou iniciar uma dieta, atividade física, parar de fumar, enfim, dá para fazer muita coisa! Ainda quer dicas? Acompanhe a página do blog no Facebook – Além daquela mensagem diária para você compartilhar e desejar um ótimo dia aos amigos e amigas, também haverá mensagens com dicas legais para as férias!

 

1-2

 

Todas as cores do amor

O mês mais romântico do ano é também o mês de celebração do Dia Internacional do Orgulho LGBT, que ocorre em vários países do mundo no dia 28 de Junho. Mas a existência desta data não tem absolutamente nada a ver com o romantismo que impera neste conhecido “mês dos namorados”.  Trata-se de uma celebração de resistência que ocorre desde 1969 nos Estados Unidos.

Para quem não sabe nada sobre a origem da data:

Até a década de 60 os Estados Unidos tinham uma legislação rígida contra a comunidade LGBT – amar alguém do mesmo sexo podia levar a castração química, prisão ou mesmo lobotomia, que é a retirada de uma parte do cérebro. Isso era insustentável e, com o advento dos direitos humanos começando a despontar, foi surgindo também espaço para uma organização da comunidade LGBT. Em 1969 já havia alguns poucos estabelecimentos que recebiam freqüentadores “marginalizados” como gays, bissexuais e transexuais – e de quebra recebiam também ações truculentas da polícia. Em 28 de Junho de 1969 num bar chamado Stonewall Inn ocorre mais uma tentativa de repressão policial – mas desta vez gays, lésbicas, bissexuais e transexuais estavam preparados: Eles resistiram por dias confinados no bar e cercando o local pelo lado de fora. A mídia não pode ignorar e o movimento ganhou as páginas do New York Times. Era o inicio de um movimento de luta por direitos. Em 1970, no dia 28 de Junho, comemorando o aniversário de um ano da resistência em Stonewall, a primeira Parada do Orgulho Gay (a sigla LGBT é relativamente atual) toma as ruas de Nova York, Los Angeles e Chicago e o dia 28 de Junho é instituído como Dia Internacional do Orgulho Gay.

No Brasil a primeira Parada Gay foi realizada em 1997 na Avenida Paulista, em São Paulo. Na época o evento era chamado “Parada GLT” (GLT = Gays, Lésbicas e Travestis) e contou com adesão de 2 mil pessoas. Com o passar dos anos esse número mais que triplicou e chegou a 2 milhões e meio de pessoas entrando pro Guines Book!

Mudou-se também a nomenclatura do evento que passou a ser conhecido como “Parada do Orgulho LGBT (L= Lésbicas, G= Gays, B= Bissexuais, T= Transgêneros).

Infelizmente o grande número de freqüentadores do evento não torna o Brasil um lugar mais acolhedor para a população LGBT: Assassinatos e agressões são uma constante no país, alguns tornam-se manchetes, como o assassinato da transexual Dandara no início deste ano. Outros ficam no silêncio. Falta incluir na educação de uma vez por todas as questões relativas a gênero e orientação sexual de forma a matar o preconceito desde a mais tenra idade. Faltam leis que criminalizem a homofobia. No mundo o panorama não é tão diferente – A Chechênia choca o mundo com seus campos de concentração voltados à tortura de gays e lésbicas. Ano passado um homem entrou atirando em uma casa noturna de público LGBT nos Estados Unidos. Além destes casos, há também as vítimas silenciosas – pessoas que cometem suicídio por não conseguirem lidar com a pressão e preconceito da família e dos amigos devido a sua orientação sexual. É um panorama extremamente triste!

Se junho é o mês do amor, que seja o mês do amor para todos e todas: Que o amor possa ser simplesmente amor! É hora de desconstruir esse conceito de família como sendo um núcleo formado por homem, mulher e filhos. Que família seja um núcleo de amor entre homem e mulher, mulher e mulher, homem e homem  e, porque não, até mesmo entre mais de duas pessoas! E que venham com seus amores, sua felicidade, seus laços, suas proles! Que o Arco-Iris, hoje usado como bandeira de luta, possa ser visto como um símbolo do amor em sua diversidade.

lgbt-rainbow-flag-e1484638782320

#DiaDoAmorQG: As cartas que você não leu – Mensagem no Dia dos Namorados.

Quando eu vi teus olhos pela primeira vez, eu soube que iria ficar perdida para sempre naquele doce labirinto. O som da tua voz, teu sorriso, tudo me fazia acreditar que você era especial, um anjo de luz nesse mundo de sombras. Quando você me beijou pela primeira vez eu chorei de emoção tão logo me vi a sós. E eu ousei sonhar com um futuro – nós dois descalços pela casa, te acordar de manhã com um café, morar no abrigo dos teus abraços. Sonhei risos, sons, cores e deixei meu coração viver a alegria desse amor milagrosamente correspondido. Você nunca me enganou – você nunca disse que me amava, embora dissesse gostar da minha companhia. E eu que já te amava desde aquele primeiro dia em que o vi, me deixava levar a um futuro que poderia ser o céu ou o abismo e ousava ter esperança de que o destino não seria cruel me tirando os sonhos mais doces que havia em minha alma. Foram dois meses e sete dias de uma alegria tão intensa que chegava a ser impudica – e hoje, lá se vão quase seis meses que você encontrou outro amor e seguiu uma estrada que não é a do amor que eu tinha a lhe oferecer. Estou feliz por você. Não vou mentir e dizer que não estou – ver teus olhos brilhando me conforta a alma e me faz saber que a vida ainda tem um motivo. Mas não posso dizer que a saudade tenha dado uma trégua e que as lágrimas não rolam quando escuto a música que tocava no momento do nosso primeiro beijo. Seria mentira, Bambino, dizer que não gostaria de ter uma máquina do tempo para reviver o momento em que eu te vi naquela sala. E o que mais machuca não é o adeus, a separação. O que machuca é saber que eu jamais fui uma opção real na tua vida. Que aquele beijo foi um carinho real de alguém que gostava da minha companhia, mas não correspondia ao amor. Machuca pensar que jamais passou pelos teus sonhos a ideia de um futuro aconchegante ao meu lado. Confesso que eu nunca passei um Dia dos Namorados ao lado de alguém e pela primeira vez isso me faz falta – Quando eu leio homenagens, poesias e todo esse clima de romance pelas ruas, os olhos deixam escapar as lágrimas que em vão eu venho tentando represar na alma. Bambino, o que estaríamos fazendo hoje para comemorar? Uma caminhada? Ouviríamos música? Eu não sei e você nunca deve ter pensado nisso. Eu nunca saberei. Você nunca irá ler esta carta. E apesar de tudo, entre dor, saudade e alegria, a felicidade ainda prevalece: pelos momentos que passamos, pela amizade que restou, pelos momentos que ainda iremos passar, por saber que você existe.

(12-06-14)