Maionese de Quinoa

Sempre gostei de maionese: No salgado, no lanche, na batata frita. Com o vegetarianismo e com a procura por uma vida mais saudável e com menos geração de lixo, veio a questão: Como substituir aquele sabor delicioso, calórico, rico em nutrientes e acondicionado num pote plástico poluente?

A resposta surgiu quando descobri essa maravilhosa receita de maionese de quinoa!


A receita resulta em uma maionese super versátil que se transforma em vários tipos de pastinha.

Receita:

Deixe de molho um pouco menos que meia xícara de quinoa crua de um dia pro outro (seis horas antes seria suficiente, mas é sempre bom deixar um pouco mais de tempo, apenas mantenha em local fresco para não fermentar) Cozinhe com pouco sal até ficar macia e o fundo da panela seco,como quando você cozinha arroz. Cozida, deve render uma xícara.
Bater a quinoa no liquidificador com 2 dentes de alho, 1/2 cebola roxa (pode usar normal mas fica mais ácida), 1 colher de sopa de vinagre de maçã ou de vinho branco, 2 colheres de sopa de limão, e duas colheres de sopa de azeite, sal e pimenta do reino a gosto. Bata aos poucos para não queimar o liquidificador. Ao obter uma pasta, bata continuamente enquanto despeja um fio de azeite até atingir a consistência desejada.

_______

Este post faz parte do Projeto BEDA (Blog Every Day August).

Participam também:

Adriana AneliRoseli Pedroso LunnaObdulioClaudia Mariana Gouveia

Sobre personagens e cajuzinhos

O cursor pisca na tela como um ponto de interrogação: Decifra-me ou te devoro. A história a ser contada pulsa no mundo das ideias, mas não encontra as palavras corretas para registrar-se no papel. Tudo parece desconjuntado, sem graça, atropelado. Um sem fim de digita-apaga. Posso imaginar a personagem me observando com olhar reprovador, ávida para continuar a cena-vida, indo e voltando para o mesmo lugar até as palavras se encaixarem numa cadência perfeita. Vida de personagem não deve ser fácil, sempre dependente do que a autora planeja. Quando a autora não consegue traçar palavras para delimitar os próximos passos, a personagem fica presa na última posição escrita – No caso, sentada no sofá, numa kitnet quente, com a blusa amarrada ligeiramente acima do umbigo. O olhar inquiridor acompanhando meus movimentos enquanto bato amendoim e passas no liquidificador para fazer um cajuzinho vegano e sem açúcar, receita da Vivi (@sosvegan). Docinhos são mimos que me permito em qualquer tempo – me recuso a deixar de lado o prazer de uma guloseima diária. Assim como a personagem que por ora ocupa meus dias, tenho essa relação especial com a cozinha: Um abrigo para o cansaço, uma estufa para o plantio de sonhos. Minha rotina passa por fogão, panelas e pratos. Só assim é possível engolir a dose diária de notícias ruins sem perder totalmente a esperança. Desisto de escrever, hora de fazer uma boa prática de yoga – O corpo merece atenção, principalmente nestes tempos de isolamento. Depois da prática, do banho e do jantar, voltarei a encarar a tela e o olhar da personagem…

Receita do cajuzinho vegan

1 e ½ xícara de amendoim torrado e sem pele

1 e ¼ xícara de uvas passas

2 colheres (sopa) de cacau em pó

2 colheres (sopa) de água.

Bata no liquidificador o amendoim e as passas até formar uma massa. Adicione o cacau em pó e continue batendo, acrescentando a água. Depois é só moldar os docinhos.

Este post faz parte do BEDA (Blog Every Day April)

Adriana Aneli – Ale HelgaClaudia LeonardiLunna GuedesMariana GouveiaObdulio Roseli Pedroso

Torta de grão de bico (Massa “podre” vegana)

Sabe aquela torta de boteco? Sim, aquela gostosa, que é crocante e ao mesmo tempo esfarela na boca e que muitas pessoas chamam “Massa Podre”? Pois é, eu adorava comer empadas com essa massa! Mas como ela é feita com banha eu pensei que jamais iria comer novamente uma vez que a banha pode ser substituída pela totalmente não-recomendada gordura vegetal hidrogenada. Entretanto, algum tempo atrás eu encontrei na internet a receita de uma torta de grão de bico que me surpreendeu, não só pela simplicidade no preparo como pelo fato de ter a textura super parecida com a massa de empada e, um sabor muito mais gostoso!

Ingredientes:

3 xícaras de grão de bico

Sal à gosto

5 colheres (sopa) de azeite

Preparo:

Cozinhar o grão de bico em panela de pressão: Deixe cozinhar uns 15 minutos com a panela aberta e depois tampe, deixando mais uns 10 minutos na pressão, depois desse tempo desligue o fogo e deixe a pressão sair por completo naturalmente (não coloque nenhum tipo de tempero na água, nem mesmo sal ou vinagre) . Depois que sair a pressão escorra os grãos e espere ficarem mornos. Bata-os em um multiprocessador ou no liquidificador – você terá que ir colocando de pouco em pouco e transferindo para uma bacia na medida em que vai triturando. Depois que tudo estiver bem trituradinho, adicione o sal e o azeite e amasse bem. Forre uma assadeira (de preferência aquelas que soltam o forno) com a massa, coloque o recheio de sua preferência e cubra com outra camada de massa – Uma dica para facilitar na hora de cobrir é abrir a massa em cima de um plástico e depois “encaixar” essa massa aberta em cima da torta. Ajeite bem fechando as laterais, pincele azeite e leve ao forno até ficar bem dourada – É importante ter paciência e esperar para ter certeza de que o fundo esteja bem assado. Espere esfriar um pouco para desenformar.

Você pode fazer em forminhas de empadas individuais e congelar. É uma besteirinha bem saudável para comer quando bate aquela fome.

O recheio fica a seu critério, mas é importante ter em mente que não pode ser muito molhado e deve estar frio ou morno quando for colocar sobre a massa. Alguns recheios bem saborosos são: Brócolis, palmito, alho poró, escarola ou milho refogados e engrossados com um pouco de farinha de trigo (refogue com os temperos que mais gostar, quando estiver bem cozido, misture em um copo uma colher de farinha de trigo e uns 5 dedos de água, misturando bem pra não ficar pelotinas e coloque essa mistura na panela mexendo sempre. Quando ferver de novo e estiver grossinho, desligue o fogo).

Sobre a dica de não colocar temperos na água quando for cozinhar o grão de bico: A água do cozimento pode ser usada para o preparo de alguns doces bem interessantes e saborosos. Eu ainda estou testando as receitas e logo trarei muitas novidades por aqui, então, enquanto isso é bom ir se acostumando não temperar a água!

 

20160606_202622
Com essa receita é possível fazer duas tortas desse tamanho! 

Cozinha combina tanto com música… E hoje o dia cinza e chuvoso me deixou com vontade de ouvir algumas coisinhas bem suaves, como por exemplo esse álbum aqui.

 

 

Minha ceia vegana de Natal

Natal é uma delícia não é mesmo? Família reunida, aromas pela casa, correria para deixar tudo pronto a tempo… E por falar em ceia, vamos lembrar de algo muito importante: Por favor, não comam o presépio! Celebrar a paz e a vida ceifando vidas inocentes não faz nenhum sentido! Aqui em casa a família é pequena – apenas eu e minha mãe – o que não significa que não cozinhamos algo bem especial para esta data! E o melhor, o prato lindo que servimos aqui no natal pode ser usado para receber aquela pessoa especial em casa ou em qualquer outra ocasião.

O que vocês vão precisar?

1 peça de tofu – fiz só meia receita e usei uma peneira média e não muito funda como forma. (receita aqui)

8 pimentas cambuci (ou pimenta doce)

1/2 abóbora cabocha (ou abóbora japonesa) pequena cozida

2 mini-morangas

1 bandeja de shimeji (200g)

150g de cogumelos champignom

50g de alcaparras

1 limão grande

temperos: shoyu, azeitonas verdes, azeite, cebola e alho.

Preparo:

Perfure o tofu tomando cuidado para não desmontar. Esprema o limão e deixe o tofu mergulhado nele, virando cuidadosamente de vez em quando.

Numa panela refogue com azeite cebola, alho, azeitonas e um pouco de sal. Misture a esse refogado a abóbora japonesa picadinha, mexendo até formar um purê consistente. Acerte o tempero e desligue o fogo.

Abra as tampas das mini-morangas e retire a polpa com cuidado. Cozinhe-as até ficarem macias. Reserve.

Lave bem o shimeji e cozinhe por uns 20 minutos. Em outra panela refogue cebola no azeite, acrescentando aos poucos o shimeji picado e mexendo sempre. Acrescente shoyu a gosto e deixe mais uns 3 minutos no fogo baixo (cuidado para não queimar). Reserve.

Abra as tampas das pimentas doces, retire cuidadosamente as sementes, lavando bem por dentro e deixando escorrer toda a água com a boca para baixo.

Recheie as pimentas doces com o purê de abóbora japonesa. Coloque-as em uma das pontas de uma assadeira grande. Com certeza vai sobrar purê de abóbora, reserve-o na geladeira! Ele é uma delícia mesmo puro.

Recheie as mini morangas com o shimeji. Também sobrará um pouco dele. Guarde! Coloque as mini morangas ao lado das pimentas na assadeira e não esqueça de colocar a tampa nelas!

Por fim, coloque o tofu e o caldo de limão na mesma assadeira. Regue tudo com azeite e leve ao forno por uns 15 a 20 minutos (eu usei forno elétrico! Se usar forno a gás, vá verificando o ponto para não queimar as pimentas).

Em uma panela pequena, refogue com azeite cebola a gosto, o cogumelo champignom cortado ao meio e as alcaparras.

Retire do forno e ajeite em uma travessa redonda o tofu ao meio, cercado pelas pimentas e pelas mini-morangas. Cubra o tofu com o refogado de champignom com alcaparras (como na foto) e sirva!

Como eu disse no início do texto: A família aqui em casa se resume a duas pessoas, então esse pratinho foi suficiente para alimentar muito bem as duas e as sobras de purê e shimeji se tornaram o almoço do dia seguinte. Se sua família é maior, você terá que adaptar as quantidades.

Espero que gostem e me perdoem por não ter um nome para batizar as receitas que eu mesma inventei de improviso para o Natal.

natal

Hambúrguer de Ervilha Seca

Tempos atrás postei aqui uma receita de hambúrguer de grão de bico, lembram? Então, esses dias eu testei substituir o grão de bico pela ervilha seca e ficou simplesmente fantástico! Vou passar a receitinha pra vocês e espero que gostem – e como ilustração a foto de um lanche gigante que eu devorei com este hambúrguer incrível! 2 Xícaras de ervilha seca cozida e escorrida (irá render aproximadamente 4 xícaras após cozinhar) 10 Colheres de Azeite 1 Cenoura ralada ½ Cebola picada 1 dente de alho grande picadinho Salsinha à gosto Salsão (opcional) 3 Colheres de Aveia em flocos ½ xícara de gérmen de trigo 2 colheres de farinha de rosca Sal e pimenta à gosto. Preparo: Refogar no azeite o sal, a pimenta, o alho, a cenoura, a cebola, o alho, a aveia e o gérmen de trigo. Reservar. Bater a ervilha cozida sem o caldo no multiprocessador. Colocar em uma bacia e juntar os ingredientes refogados, mexendo bem. Acrescentar a salsinha e a farinha de rosca para dar liga (ver dicas) Dividir em bolas e moldar os hambúrgueres, levando-os para a geladeira por no mínimo uma hora. Untar uma chapa/grelha antiaderente com óleo e fritar os hambúrgueres. CAM01193

*** O lanche da foto foi montado com: Hambúrguer de ervilha seca, tofu passado na frigideira só pra dourar, cebola dourada na grelha com molho shoyu e alface… Ficou muito bom!

Tofu

Ingredientes:

1 kg de soja
1/2 xícara de vinagre
1 limão

Utensílios:

3 panos limpos e sem cheiro de sabão/amaciante
Uma peneira/escorredor de macarrão

Preparo:

Leite de soja: Coloque a soja de molho por umas 8 horas. Lave bem e tire toda a casca com o auxílio de um pano ou manualmente esfregando os grãos entre as mãos e separando a casquinha. Lave bem os grãos e bata no liquidificador na proporção de dois copos de água para um de soja.
Utilizando uma peneira ou escorredor de macarrão forrado com um pano, vá coando o leite de soja aos poucos, espremendo bem no pano e descartando o resíduo.
Após coar todo o leite, retire com uma colher a espuma que se formou. Leve a uma panela e deixe ferver (só um ou dois minutos após entrar em ebulição). Desligue o fogo e espere começar a esfriar (o leite deve estar por volta de 80 graus, então não é necessário esperar esfriar por muito tempo). Coloque o vinagre, mexendo levemente. Em seguida coloque o limão. O leite começará a coagular. Deixe em repouso por uns 15 minutos.
Forre um escorredor de macarrão ou peneira com um pano. Com uma escumadeira, vá retirando a parte coagulada e coloque na peneira. Feche com as beiradas do pano e coloque um peso (pode ser um prato pequeno). Deixe algumas horas até escorrer todo o soro. Desenforme num prato.
Dura por cinco dias na geladeira.

CAM01188

Nhoque de Biomassa

CAM01180

Ingredientes – Biomassa

8 bananas nanicas bem verdes

Modo de preparo:

Cozinhar tudo em panela de pressão por 8 minutos e depois desligar e deixar mais uns 12 minutos cozinhando somente na pressão. Descascar e bater ainda quente no liquidificador. Deixar esfriar e depois levar à geladeira por uma hora.

 Ingredientes massa:

Uma receita de biomassa

5 colheres de aveia em flocos finos

Temperos a gosto (Curry, alho moido, sal, pimenta, o que preferir)

Farinha de trigo

 Preparo:

Misturar a biomassa com os temperos, a aveia e a farinha até ficar num ponto firme, mas ainda grudento. Espalhar farinha numa superfície lisa, colocar uma porção generosa de massa, enrolar formando uma “cobrinha” com a massa. Cortar em pedaços. Numa panela, ferver água com um fio de óleo e sal. Cozinhar o nhoque nessa panela colocando os nhoques de pouco em pouco – o ponto de tirar ele da água é quando começar a flutuar. Ao retira-lo da água fervendo, colocar numa assadeira com água fria. Depois de cozinhar todos, escorrer e servir com molho de sua preferência.

Pimentões recheados com PVT

Pimentão cheio com carne de soja e arroz (9)

Quem disse que comida vegana tem que ser sempre gourmet, cara e difícil de preparar? A receita de hoje é super fácil, barata, simples e saborosa. Uma dica é servi-los como na foto: com arroz e feijão branco (pode ser outro de sua preferência).

INGREDIENTES:

3 pimentões pequenos
¾ de xícara de PVT (proteína vegetal texturizada) fina
1 tomate picadinho
1 cebola picadinha
1 dente de alho
12 vagens picadinhas
Azeite
Temperos à gosto (eu uso curry e sal)

PREPARO:

Hidrate a PVT deixando-a de molho em água até dobrar de tamanho. Escorra e esprema bem pra tirar todo o líquido. Numa panela, coloque um fio de azeite e refogue o alho, metade da cebola e os temperos, coloque a PVT e refogue bem. Depois que a PVT já estiver refogada, coloque metade do tomate e as vagens picadinhas. Coloque água e deixe cozinhar até a vagem ficar macia (e até a PVT estar seca).
Lave bem os pimentões, retire uma “tampa” deles com cuidado, retire as sementes e lave por dentro. Escorra. Recheie com a PVT e coloque a “tampa” prendendo com palitos de dente.
Numa panela, coloque um fio de óleo ou azeite e frite os pimentões delicadamente até soltarem a pele. Retire-os da panela e raspe-os até sair toda ou a maioria da pele.
Em outra panela, refogue o restante do tomate e da cebola e azeite pra fazer um molho acebolado. Sirva os pimentões com esse molho.

Homus (Pasta de grão de bico)

Ingredientes:

  • 2 xícaras de grão de bico já cozido
  • 2 dentes de alho descascados
  • Sal a gosto
  • Azeite

Preparo:

Bata tudo no liquidificador até formar uma pasta homogênea. Guarde em potes limpos na geladeira (rende mais ou menos 600gs de pasta).

Essa receita é ótima para degustar com pães, torradas e bolachas. Por ser uma receita árabe, a original levaria óleo de gergelim e não azeite, entretanto, como o azeite é mais acessível, costumo colocar azeite mesmo.

Arroz frito com abacaxi

INGREDIENTES:

  • 2 xícaras de arroz cozido
  • 1 e ½ colher de óleo
  • ½ pimentão vermelho grande cortado em cubos
  • 2 ramos de cebolinha verde em fatias finas
  • 1 e ½ colher sopa de gengibre fresco picado
  • 1 pimenta vermelha pequena
  • 1 xícara de abacaxi fresco em cubos
  • 2 colheres de shoyu
  • ½ xícara de castanhas de caju torradas
  • 1 colher (sopa) de óleo de gergelim (opcional)

 PREPARO:

Numa panela de fundo largo, aqueça o óleo. Adicione a cebolinha, o pimentão, o gengibre e a pimenta. Refogue por 1-2 minutos e adicione o arroz cozido, mexendo sempre por 3-5 minutos. Junte o abacaxi, o shoyu e as castanhas e mexa sempre, por mais 2 a 3 minutos. Desligue, regue com o óleo de gergelim e sirva imediatamente.

  • Dicas:
  • Na falta de castanhas de caju, amendoim torrado sem casca e sem sal e picado fica bem saboroso.
  • Polvilhar um pouco de gergelim fica bem saboroso.
  • A pimenta vermelha é opcional.
  • A receita pede duas colheres de shoyu, mas essa quantidade varia de acordo com cada pessoa. Só deve-se ter cuidado para não exagerar na quantidade, pois o shoyu é rico em sódio.

04-12 Arroz frito com abacaxi (2)