06 on 06 – A gosto

Pra alguns, desgosto

Como se o azar

Morasse no calendário

Agosto

Mês oito, faltam quatro

Pra mais um Feliz ano novo

De novo

Agosto

A gosto

Ao gosto

Que a vida tem.

06 fotos de alguns Agostos idos…

2014 – Luta pelo elementar direito de existir e demonstrar afeto, “beijaço” LGBTQI+ em Santos, em protesto contra a expulsão de um casal gay de um bar. Noite em que conheci pessoas incríveis ❤

2018 – Mais que amigos, camaradas! Reta final da campanha eleitoral 2018 #PSOL
Agosto/2017: Como diria Chorão “tão natural quanto a luz do dia”
Agosto/2019: Flores no quintal de casa ♡
Agosto/2019: Conhecendo um pouco mais sobre o alfabeto ❤ Exposição maravilhosa, na melhor companhia ♡
Agosto/2019: Te transformo em poesia…

Também participam do 06 on 06

ObdulionoMariana GouveiaLunna Guedes Ale Helga

Este post faz parte do BEDA – Blog Every Day August. Também participam:

Obduliono – Mariana Gouveia – DricaChrisClaudiaViviane – Lunna Guedes – Ale Helga

Cores do tempo

Olho para trás e posso ver as cores do tempo que se passou: O verde broto da infância, delicado, inocente e cheio de esperanças. As alegres cores do florescer róseo da juventude – lampejos sensuais e igualmente doces. Vivo agora o outono de cores pálidas onde os sentimentos intensos da moça que fui vão, pouco a pouco, caindo ao chão, como folhas secas ao vento, levadas de um canto para outro, se desfazendo em pedaços que sujam insistentemente as calçadas. Vão ficando espalhados como folhas despedaçadas a inocência, a esperança, os sonhos – Mas observe: De tudo que os anos levam, há algo que permanece: O amor que sinto por você sobrevive agarrado em minha alma como o broto agarra-se a um ramo em dia de vendaval. Passam-se os anos e o amor continua a ser um broto verde que trás esperança ao coração, uma flor que enfeita a vida, ilumina e a cada dia, me mostra o verdadeiro motivo de estar aqui, de recomeçar, de renascer juntamente com o Sol… Renascer com o luar… Muitos anos ainda se passarão até que eu atinja o inverno da vida, e mesmo assim, quando as cores obscuras dominarem meu espírito, quando todas as folhas já estiverem caídas ao chão, o amor permanecerá em meu coração. Pois o amor é uma flor que desabrocha para nunca mais secar e seus brotos sempre serão verdejantes, fortes! Invencíveis e imortais brotos de amor, cheio de esperança, colorindo minha vida e dando força e alegria ao meu coração, que ainda estará esperando por você em meio às últimas nevascas que chegam pouco a pouco para finalizar uma vida mais ou menos longa.

Somente um segundo

Somente um segundo - Publicada

Somente um segundo
Um último toque
Um último suspiro
Um último olhar

O tempo passa…
Não, não desista,
Não sem antes me dar
Um último adeus
Um último olhar

Somente um segundo
É tudo, tudo o que preciso
Pra mostrar
Que o amor não morreu

Somente um toque
Um último toque
Pra te incendiar

Um último suspiro
Esperança
Um olhar
Lágrimas

Somente um segundo
Um toque, um suspiro
Um olhar antes do Adeus
Pra lembrar teu coração
Que ele jamais deixou de me amar.

Lembranças

         Algumas memórias

               Já dizia o poeta Alfred Musset*  “Uma lembrança feliz é talvez sobre a Terra mais verdadeira que a felicidade”. Li esta frase há tempos e, desde então, fotografar os momentos felizes se tornou um hábito. É bem verdade que, fechando os olhos, sou capaz de lembrar vários momentos tão felizes que me enchem a alma de comoção… Mas a vida sempre pode nos surpreender e levar para longe aquelas pessoas que amamos, e de repente, não será mais possível olhar nos olhos com tanta freqüência… Dar risadas… E pode ser que o tempo passe e essas lembranças fiquem soterradas entre tantos acontecimentos, entre a pressa do dia a dia, compromissos, distância… Ou simplesmente, pode ser que você queira olhar nos olhos daquele amigo que te faz tão bem, e não possa fechar os olhos e lembrar ou então chamá-lo para perto de si durante um expediente super estressante… Aí você apela para aquela lembrança doce: Aquela foto onde vocês aparecem sorrindo num momento qualquer. E isso vai te fazer sorrir também e tornará o seu dia melhor.

             Faça uma lista: Quais momentos você gostaria de ter eternizado e não fez porque teve vergonha? Cinco pequenos momentos em que seu coração quase parou de bater de alegria e, ainda assim, você ficou estático, sem coragem de falar “vamos tirar uma foto?”:

1)      Aquele momento em que você fez o (a) seu (sua) melhor amigo (a) sorrir com uma brincadeira boba e achou o sorriso dele (a) a coisa mais linda do mundo e não disse nada para não parecer boba (o)

2)      Aquele momento em que você estava com a pessoa que você ama dentro de um carro e viu pelo retrovisor os olhos de vocês brilhando lado a lado e não disse nada porque teve vergonha ou medo. (E para piorar, tempos depois vocês já não estão mais juntos, mas você adoraria poder ver novamente aquela pequena imagem das janelas das suas almas lado a lado)

3)      Aquele momento em que você estava com os amigos e disse “ah, deixa pra lá… temos tantas fotos juntos, tantas fotos até com essa mesma roupa, estou sem maquiagem etc etc”.

4)      Aquele momento em que você vê um pássaro, uma borboleta, uma flor e isso te emociona – mas você não quer parecer bobo ou sensível demais para admitir.

5)      Aquele dia em que “pagou um mico” gigante e engraçado e novamente a vergonha te impediu de registrar… e lembrando tempos depois, percebe como seu sorriso estava espontâneo naquele momento…

            Certamente você consegue listar uma, senão várias, experiências que se enquadrem nos exemplos acima. Ou não? Ter imagens desses momentos por perto não faria seus dias mais suaves?

            Tudo isso que eu disse é válido para os amigos, familiares, animais de estimação. Fotografe momentos sem se importar com a falta de maquiagem ou o cabelo despenteado. Fotografe seu cãozinho dormindo. Fotografe lugares que te fazem sentir bem (só tome cuidado com a segurança porque hoje infelizmente é muito perigoso sofrer um assalto). Fotografe o que te surpreende! É verdade que as melhores recordações muitas vezes não poderão ser fotografadas: O toque das mãos da pessoa amada nas tuas pela primeira vez. O primeiro suspiro. São coisas sutis que jamais poderemos guardar em arquivos… Serão nossas lembranças felizes que jamais poderemos compartilhar profundamente. Mas as outras… Podemos revivê-las através daquelas fotos. Podemos mostrá-las no futuro às novas gerações… E se, um dia, num grande azar, sofrermos um acidente, batermos a cabeça e não nos lembrarmos de mais nada, aquelas meras imagens podem ser mostradas para nós, para que lembremos que tivemos uma vida, uma família, amigos e, ainda que isso não nos faça lembrar tudo o que vivemos, certamente irá reviver em nosso coração aquele calor gostoso de sentir que foi amado (a) verdadeiramente…

 

* Alfred Musset: Poeta francês, nascido em  1810, falecido em 1857, foi um dos mais conhecidos expoentes do romantismo. 

Imagens: Arquivo pessoal