Sonho [BEDA 13]

Eu havia preparado um post para hoje, mas infelizmente meu computador decidiu travar, por isso vou compartilhar aqui o vídeo de uma modalidade de dança que eu quero muito dominar: O pole dance. Neste vídeo temos uma das nossas campeãs mundiais, que é brasileira! Espero que gostem!

Esse post faz parte do BEDA (Blog every day April). Participam também:

Lunna Guedes Claudia LeonardiAle HelgaAdriana AneliMariana GouveiaObdulio Roseli Pedroso

Pra se movimentar!

Chegando na reta final do BEDA a inspiração pras postagens começa a falhar um pouco – Eu poderia fazer um super texto sobre a importância de se movimentar e bla-bla-bla, mas prefiro ser bastante sincera em dizer para vocês que não consegui pensar em nada para postar hoje e não estava com vontade de revirar meus papeis antigos procurando escritos ainda inéditos. Então vou compartilhar alguns vídeos que tem feito parte da minha sequencia de exercícios pela manhã.

1- Yoga: Geralmente eu começo com a yoga para relaxar, despertar o corpo, aquecer e alongar. Uso sempre o Canal da Pri, no youtube. Tem vários vídeos para quem nunca praticou e é uma delícia ver as mudanças no corpo, principalmente aumento da flexibilidade e equilíbrio. Aproveitem que o canal tem muita coisa boa! Algumas vezes eu coloco rammstein para tocar de fundo enquanto pratico, quando escolho uma aula que já sei fazer sem precisar aguardar as instruções da Pri Leite, mas eu não aconselho ninguém a fazer isso, principalmente no início.

2) Dança do ventre

No início da quarentena eu estava dançando fitdance (que é basicamente funk e sofrência e eu não vou colocar o link aqui por acreditar que todo mundo conhece) todos os dias, agora dei uma mudada e tenho feito exercícios de dança do ventre. Vou compartilhar aqui o canal que tenho usado para relembrar os passos básicos (eu já fiz aulas quando era mais jovem) e que acredito que é ótimo para quem quer iniciar a aprender o básico em casa – Esse vídeo é o básico, mas tem muitos outros para explorar e aproveitar.

Para quem sabe inglês e já tem mais flexibilidade, esse outro vídeo é incrível, também estou tentando aprender os movimentos dele:

E essas são as músicas que estou tentando dançar do meu jeito, sem copiar as coreografias (que são lindas). Vou compartilhar para vocês verem e se encantarem:

3) Burlesco/Chair Dance

Eu sou apaixonada por danças sensuais, então vou compartilhar com vocês algumas rotinas de treino – Lembrando aqui que estou compartilhando as minhas favoritas mas que os canais são incríveis e tem MUITA coisa, então explorem e se divirtam. Infelizmente não achei nada em português então estou sofrendo com o meu inglês horrível e precisando olhar atentamente para o vídeo até decorar os passos.

Estou tentando fazer essa coreografia igual a elas – O que dificulta um pouco é a falta de espaço.
Aqui tem um super treino para quem quer fazer Chair Dance!
Pode parecer estranho no início, mas depois de alguns dias tentando, você vai se sentir super bem! E esse vídeo está em espanhol, o que facilita muito!

Agora mais três coreografias LINDAS que eu estou tentando fazer igual em casa (por enquanto mais falhando que conseguindo, mas me divertindo muito)

E para fechar duas músicas que estou usando para tentar criar coreografias com burlesco e chair dance ❤

Vocês podem encontrar mil defeitos em “50 tons de cinza”, mas jamais poderão dizer que a trilha sonora não é boa!

Para fechar: Quem for tentar Chair Dance, escolha uma cadeira forte, não muito alta e começa a testar o peso nela devagar! Não existe a cadeira perfeita, nas aulas geralmente usa-se as desmontáveis, tipo de bar, mas eu morro de medo e uso uma comum mesmo.

Gostaram da minha rotina matinal de quarentena? Me contem o que vocês tem feito para manter o corpo em movimento? E que música tentariam dançar?

Esse post faz parte do BEDA: Blog Every Day August. Participam também

Lunna Guedes – Ale Helga – Adriana – Mariana GouveiaDrica ObdulionoClaudiaChrisViviane

À vida breve e brava (Por Paula D’Albuquerque)

Depois de alguns anos, calcei os sapatos e me arrisquei a dançar novamete. Planta, taco, golpe. Os pés queimavam como fogo. Quantas coisas a gente abandona pelo caminho?
Um senhor se aproxima, tira a boina, com uma expressão bonita de respeito, e passa a observar a dança. Intervalo. Puxamos assunto: com o sotaque carregado, ele conta das saudades . Diz que é da Andaluzia e que também dançava. “Agora já não dá mais, né?” – e ri, apontando as pernas velhas. Cansadas, suponho. Sobre os motivos que o trouxeram da Espanha ele disse ser melhor não mexer nessas lembranças. E terminou dizendo que sente falta da dança todos os dias, que entregou parte importante de sua vida a coisas que não valeram a pena. “Não façam o mesmo”. Não vou fazer. Ou ao menos me esforço. Mas quanta gente não está com as pernas cansadas, mesmo jovens? Isso me incomoda mais que os pés em brasa e martela na cabeça: quantas coisas a gente abandona pelo caminho?
– Puedo seguir el paso sola, pero, y tu? Cuando vienes, mi amor, a bailar? –
Colocou a boina (nesse momento me pareceu que ele tenha ficado meio amuado, engolindo seco. Ou talvez estivesse feliz e seja essa minha mania de roteirizar o drama. Tomara.)
Com um sorriso onde faltavam alguns dentes, levantou o braço e deu 2 palmas.
“Sigam o baile. ¡Olé!”. E saiu.
O poeta está certo: A vida é brevíssima.
Bailemos.

(05/08/2018)

Gratidão Paula D’Albuquerque por me permitir postar esta linda reflexão no meu espaço, mas, principalmente, gratidão por compartilhar teus pensamentos e me fazer lembrar que muitas vezes eu me vejo com “as pernas cansadas” e me fazer refletir sobre as coisas que deixo passar e não deveria!

Grande abraço!