Diários da poetisa – #365de365

Olha pra essa boneca, jeito de princesa

Ela descobriu que não cabe na caixinha

Que desenharam como um castelo da rainha

Come a maçã envenenada

Mas com ela não acontece nada

Porque ela tem jeito de menina e alma de Dragão

Ela traz mar e fogo em seu coração

Ela mandou o mundo se f*der

Quem disse que poeta não fala palavrão?

Ela foi logo ali viver

Ela foi logo ali viver

Espera o Sol nascer

De dois mil e dezenove, leva umas lembranças

Uns sonhos, algumas esperanças

Embalados com cuidado em forma de canção

Um amor transformado em poesia

Um sonho pra um novo dia

De resto, deixou tanta gente pra trás

Sem olhar uma vez mais

Ela foi logo ali ser feliz

Ela foi ali lutar pelo que acreditou

Ela andou, protestou, viajou

Foi um ano tipo: Wow

Tirou a roupa, perdeu a vergonha

Despiu a razão

Foi sonho louco e coração

E finalmente chegou, a última noite

O ano chega ao fim, fica pra trás

E ela vai logo ali dizer “bye, bye”

Perdida entre compassos, ela vai

Pela noite iluminada, ela vai

Molhar os pés na água salgada

Ela não precisa dizer nada

Já guardou o que importa

Já abriu a porta

Encontrou a estrada pro novo amanhecer

Chegou a tempo de dizer:

2019 é aquele livro que já acabou

Numa história que ainda não findou

Continua enquanto ela viver

E hoje ela vai escrever:

Diários da poetisa, #365de365

Amanhã ela começa a escrever com afinco

Será dia um de trezentos e sessenta e seis

Páginas em branco outra vez!

Em 2020 tudo muda!

Escolhi algumas palavras chave para o ano de 2020: Sustentabilidade, estudos, saúde, trabalho, militância, felicidade, blog. Como fazer tudo isso caber dentro de 24hs?

Sustentabilidade: Quem me acompanha sabe que eu sou vegetariana, mas sustentabilidade vai muito além de não comer carne. Sustentabilidade tem a ver com o que você escolhe comprar, o que você decide colocar na sua vida, seus atos no dia a dia. O que eu pretendo fazer para ter uma vida mais sustentável em 2020? Acredito que a primeira ação é diminuir o lixo. Esse ano ficamos 5 semanas sem coleta seletiva e eu pude ver quanto lixo produz uma casa com duas pessoas! Então, pelo bem do planeta, a meta é retirar o máximo possível os alimentos industrializados do prato: Bolacha? Faz em casa. Pão? Faz em casa ou compra em padarias que usem pacotes de papel. Refrigerante? Estou sem há 58 dias e não pretendo beber ano que vem. Serão muitas embalagens a menos. Ah, mas e chocolate, vai fazer em casa? Não! Mas posso comprar 400g de gotas 70% Cacau e levar na bolsa em potinhos, pelo menos é só uma embalagem e não um monte como numa caixa de bombons. Com certeza sustentabilidade será um tema freqüente aqui no blog e principalmente no Instagram.

Estudos: Essa tem sido uma preocupação. Quem me acompanha há um tempo sabe que eu moro em uma cidade, trabalho em outra e estudo em outra. E já recebi a notícia de que terei aulas todos os dias nesse próximo ano (2019 foram só três dias na semana). Vai ser exaustivo! Como fazer isso e ainda ter tempo para rever tudo em casa? E estudar para concursos, aprender idiomas, cuidar da saúde e fazer coisas que me são importantes como ter uma vida social, militar e manter o blog? Até uns meses atrás eu tinha muitos planos para 2020, mas essa mudança me reforçou algo que já estava me fazendo refletir: Não espere nada de um novo ano!

Saúde: Entrei na academia para cuidar melhor da saúde. Decidi cortar industrializados em prol da sustentabilidade, mas percebi que isso também iria se refletir na saúde. Agora estou aqui pensativa: Como encontrar um horário para a academia se dependo de ônibus para chegar ao trabalho? Impossível ir de manhã – afinal, para chegar as 6:30 na academia eu teria que acordar umas 5:30 da manhã, considerando que chego do curso por volta das 23hs e ainda preciso tomar banho e ajeitar minhas coisas, isso me daria umas quatro horas de sono. Tenho a opção de fazer os treinos a noite? Sim, entre 22:30 e 00hs, inclusive fiz isso algumas vezes esse ano, mas aí perderia as melhores aulas disponibilizadas (alongamento, fit dance, body combat) e uma vez que estou pagando para ser torturada nesses exercícios cansativos, quero fazer isso todos os dias!

Trabalho: Sabe o que me irrita no sistema capitalista? Tudo! Mas principalmente o fato dele exigir sempre mais e mais. Eu tenho um trabalho que amo e que é regularmente remunerado, entretanto, estou estudando para outros concursos mesmo sabendo que ganhar mais vai me colocar em uma situação de completo desânimo. Algumas vezes as pessoas dizem que nós, socialistas, não gostamos de trabalhar, mas fica a reflexão: Quem não gosta de trabalhar é o capitalista, que sonha em lucrar muito fazendo pouco ou quase nada, enquanto eu, como socialista, sonho apenas em continuar prestando meu serviço com dedicação e ser bem remunerada para isso! Enfim, trabalho é algo resolvido nos primeiros meses do ano, visto que já estou empregada, mas que pode sofrer mudanças.

Militância: Uma coisa que não abro mão – Militância político partidária. Sabe uma coisa que você faz por acreditar? Então, essa é a minha relação com o PSOL e com outras causas. Acontece que novamente meus horários vão me deixar bem maluca, especialmente no segundo semestre quando começam os preparativos para as eleições e eu vou estar completamente dividida entre as aulas e a vontade de estar nas reuniões e eventos, ou aos fins de semana dividida entre o “preciso estudar” e o “então é hora de ir panfletar e falar com as pessoas”.

Felicidade: Difícil definir felicidade, mas posso dizer que experimentei vários momentos felizes esse ano, e espero que eles se estendam por 2020. Horários para isso? Ufah, boa pergunta!

Blog: Bom, já perceberam que vai ser mais fácil me acompanhar pelo Facebook e pelo Instagram esse ano né? Afinal, são redes mais fáceis para eu usar com textos breves e imagens do dia a dia. Mas calma! Eu amo esse espaço que venho construindo desde 2013 e definitivamente vou protegê-lo. Bom, desde agosto eu planejava os temas das minhas postagens, queria escrever pelo menos três vezes por semana, falar de tudo ou mais um pouco… QUERIA! Mas vamos se honestas? Não dá! Então vou deixar um gostinho para vocês sobre o que eu pretendia fazer – Lembrando que não iriam ser todos os temas todas as semanas, só três deles em dias variados:

SEGUNDAS FEIRAS: Segunda sem carne. Receitas com textos/crônicas. Na verdade, já tem um tempo que estou ensaiando para fazer isso, inclusive as últimas receitas que postei não foram simples receitas, e essa é a minha intenção: Falar sobre comiga veg e afeto.

TERÇAS FEIRAS: Foco na cultura, nas dicas de livros e filmes.

QUARTAS FEIRAS: Nos meus planos, seria um dia livre para postagens diversificadas.

QUINTAS FEIRAS: O famoso #tbt! Tenho tantos poemas antigos pra postar e planejei postar um a casa quinta feira.

SEXTAS FEIRAS: Outro dia que planejava deixar livre, para publicar coisas inéditas por exemplo.

SÁBADO: Novamente, foco na cultura! E também textos sobre comportamento, sociedade e política

DOMINGO: O plano de domingo seria fazer um giro da semana, com tudo o que aconteceu de bom ou ruim ou engraçado.

Enfim, há tempos eu estava refletindo sobre não esperar nada. Esperar é estar parada e pessoas paradas não vão a lugar algum. Mas olhando os planos para 2020 eu vejo que precisaria ter um dia com 48hs para cumprir tudo. Alguém tem ideias mágicas para colocar tudo isso em uma agenda só?

[Blogagem coletiva] Leituras Top 2019

Dois mil e dezenove foi um ano bastante introspectivo, então li muito apesar dos dias extremamente corridos que me fizeram optar, na maioria das vezes, por livros curtos e leves, fáceis de carregar na bolsa. Por outro lado, devido ao trabalho com crianças, acabei lendo muita coisa infantil, tentando me aproximar do mundo deles; também li muitos textos na web e seria injusto não citá-los na lista, sem falar no slam/poesia marginal que é uma forma incrível de resistência e existência através da arte. Tudo isso me fez pensar em uma formatação diferente para o meu “leituras top 2019”, separando as leituras por temas para não deixar ninguém de fora.

Top 5 livros infanto-juvenis:

  • Ponte para Terrabítia – Katherine Paterson

Meu número 1 desse ano na categoria infanto-juvenil. Ainda vou fazer um post resenha sobre ele! É uma história muito bonita sobre amizade, imaginação, lealdade e sentimentos. A autora surpreende no final após uma narrativa linear que não indica que haverá um clímax na história. Um livro que pode ser indicado para toda família.

  • Sangue na floresta – Vera Martín

É um livro um pouco antigo, mas voltado pro público jovem. Achei interessante por abordar questões como meio ambiente, demarcação de terras indígenas e exploração do trabalhador – Um livro fundamental no contexto político em que vivemos! Tem resenha dele aqui!

  • A marca de uma lágrima – Pedro Bandeira

O autor fala sobre temas como auto-estima e amor usando como pano de fundo o mistério causado por uma morte aparentemente natural. Há uma grande reviravolta e a tensão é latente durante toda a leitura. As personagens também são muito interessantes, capazes de despertar sentimentos de empatia e reconhecimento em quem lê. Tem uma resenha dele aqui.

  •  Ela – O mistério no coração da África – H. Rider Haggard

Trata-se de uma tradução/adaptação feita por Werner Zotz  para a Série Reencontro, que simplifica clássicos da literatura, adequando-os ao público infanto-juvenil. Tenho algumas ressalvas em relação a esse tipo de adaptação, acredito que estamos desenvolvendo muito pouco a capacidade leitora de nossas crianças e simplificar me parece um caminho para mantê-los dentro da zona de conforto, mas quem sou eu? De toda forma, o livro em comento é uma obra de aventura muito cativante, possivelmente voltada para o público adolescente. Tem uma breve resenha aqui.

  • O príncipe fantasma – Ganymédes José e Tereza Noronha

Um romance fofo cheio de suspense e mistério, que une na medida certa elementos como convivência familiar, descobertas e humor. O vocabulário chama a atenção por ser bastante rico, mas sem exageros que poderiam espantar um público mais jovem. Tem resenha aqui.

Top 5: Livros  adultos

Nesse tópico tenho que tomar muito cuidado para não colocar algumas releituras que fiz durante o ano! Em breve escrevo um pouco mais sobre cada um desses livros, prometo!

  • Comer, rezar, amar – Elizabeth Gilbert

Ainda vou escrever sobre esse livro com mais atenção no blog. A história é baseada em fatos reais ocorridos na vida da jornalista. É um livro longo, engraçado em alguns pontos e dá muita vontade de fazer as mesmas viagens! Infelizmente a grande maioria das mulheres não conseguirá se afastar de tudo por tanto tempo para buscar o equilíbrio – aliás a busca pelo equilíbrio é a melhor mensagem passada pelo livro. Vale a pena a leitura

  • Amos e Masmorras – Lena Valenti

Uma saga sobre o universo BDSM com muito mistério e ação, fugindo daquele padrão “mocinha indefesa e homem rico” uma vez que a personagem principal é uma aspirante ao cargo de agente do FBI que se envolve em um torneio de BDSM para descobrir o paradeiro da irmã desaparecida ao investigar uma rede de tráfico internacional de mulheres.  A autora soube dosar com perfeição as já esperadas cenas quentes (aliás, coloca quente nisso), a tensão da trama policial, as cenas de ação e o humor de uma personagem que inicia a trama um pouco atrapalhada e amadurece muito no decorrer da leitura.

  • A erva amarga – Marga Minco

História real de uma judia na Holanda ocupada pelos nazistas. A autora escreveu em capítulos curtos, lampejos de memórias bastante pessoais focando principalmente em si mesma e nas pessoas que amava e nunca mais viu – pai, mãe, irmã, cunhada e irmão, o que a diferencia de outros autores que escreveram sobre essa temática e acabam focando muito nas ações dos invasores nazistas.

  • Com licença, eu vou à luta. – Eliane Maciel

Em geral eu gosto de partir do pressuposto óbvio de que qualquer relação amorosa/romântica/sexual entre adolescentes e adultos é abusiva e criminosa, entretanto, o que pensar quando o a família na qual um adolescente está inserido é tão indiferente e abusiva que sua única saída é se entregar a uma relação com uma pessoa que tem mais do que o dobro da sua idade? Com licença eu vou à luta é a história real de Eliane Maciel que, aos quinze anos, se apaixonou por um homem desquitado de trinta e três anos. Durante a narrativa, é possível notar o comportamento abusivo da família que muitas vezes a trata de maneira humilhante até que ela decide fugir de casa, grávida, com medo de sofrer mais um aborto. O livro é bastante comovente e denuncia o quão opressor pode ser o ambiente familiar.

  • 24 horas na vida de uma mulher – Stefan Zweig

Durante uma discussão acerca de um escândalo ocorrido entre pessoas de alta classe, um homem toma partido da mulher, defendendo seu direito de escolher os próprios rumos sem ser julgada por isso. Tal comentário inicia a amizade entre ele e uma senhora idosa que decide lhe contar fatos ocorridos num lapso de vinte e quatro horas que mudaram para sempre sua vida.

Top 5 blogs

  • Catarina – Lunna Guedes

Blog da escritora e editora Lunna Guedes, Catarina é um Oasis de textos capazes de transportar o leitor através do tempo e espaço, trazendo sabores, cores e sensações. Visite clicando aqui

  • A estranhamente – Maria Vitória

Além de textos incríveis e intensos, a autora dá dicas sobre novas autoras, concursos literários e todo o universo que envolve a atividade do escritor. Visite clicando aqui

  • Produtivamente – Juliana Sales

Esse blog é excelente para aprender mais sobre organização e produtividade sem aquele ranço de que essas coisas precisam ser necessariamente chatas ou voltadas apenas para o trabalho e o crescimento de empresas em detrimento da vida pessoal, na verdade, bem o contrário: O blog ajuda a ter uma visão sobre o quanto a organização pessoal é importante para que realmente sobre tempo para as coisas que desejamos fazer sem deixar de lado o que é necessário fazer. Visite clicando aqui

  • Laboratório dos sentidos – Fabiana Turci

O blog não tem recebido muitas atualizações, porém é um dos meus favoritos, unindo deliciosas histórias e receitas. Vale  muito conhecer, é só clicar aqui!

  • Leitura enigmática – Gustavo

É resenha literária que vocês procuram? Então a dica é esse blog incrível com resenhas e fotos que deixam um gostinho de “preciso criar um biblioteca enorme”. Ficou com a curiosidade atacada? Clica aqui pra conferir!

 

Top 5 slam/Poesia Marginal

Poesia marginal ou slam, em geral, é apresentado em batalhas faladas, mas sempre temos a oportunidade de ler os livros, zines e fanzines onde a galera reúne seus trabalhos, então vou colocar aqui os links das páginas/youtube ou Facebook pra vocês conhecerem, também estou evitando ao máximo citar nomes quando coloco o link dos slams pois é simplesmente impossível definir os melhores, cada um que assista e veja pra entender que não dá pra escolher.

  • Pira VDC – Respeita nóis que nóis respeita você

Esse foi meu primeiro contato com o slam – Um slam que começou dentro de uma escola aqui na baixada santista e está ganhando o mundo! Quer conhecer mais? Olha o Facebook!

 

  • Slam ZN – Poesia grita, a alma sente

Outro slam cheio de gente com garra de mostrar pra esse mundão que a poesia grita na alma de cada um! Também aqui de Santos! Aproveita e faz uma visita na page deles!

 

  • M10 – Poeta Matheus e Slam das Favelas – Poesia, cultura e reflexão

Baixada santista é berço de poetas, só pode! Essa Page é do Matheus, conhecido como M10. Dá uma lida nas ideias e assiste os vídeos!

  • O poeta Gabriel – Slam dos Andradas

Esse manda um Freestyle monstro! Muito fera! E ele tem um canal no youtube!Segue lá!

 

  • Slam SP

Esse link é de uma pesquisa do youtube com as palavras slam SP. Batalhas entre poetas de várias cidades que tiram o fôlego de todo mundo!

 

 

 

Carta do Papai Noel

“ Boa noite queridos, queridas e querides! Como vocês estão? Aposto que surpresos por encontrar esta cartinha nas meias que deixaram penduradas na janela, ou na árvore de Natal ou em qualquer outra parte onde esperem receber correspondências ou presentes. Tentarei ser breve em minhas palavras e ideias – Afinal, por aqui as coisas estão caminhando em grande velocidade com a aproximação da “Noite Feliz”. Não sei se vocês lembram, mas eu moro em um lugar repleto de neve, lembram? Pois é, estou muito preocupado, pois nos últimos anos a neve está desaparecendo… Isso me fez observar com muita atenção a sociedade na qual vocês vivem ( A internet chegou por aqui já tem um tempinho, sabiam?) e sabe o que eu percebi? Vocês estão se comportando muito mal! E o comportamento de vocês está poluindo, estragando e aquecendo muito o planeta – As renas mal agüentam sobrevoar a cidade tamanha quantidade de fumaça pelo ar! E os peixes? Eles estão morrendo por comer… Lixo! Diante de tudo isso, quero conversar com vocês sobre essa época de Natal e algumas tradições que vocês poderiam modificar um pouco para garantir que seus filhos, netos e bisnetos tenham a chance de viver natais em um planeta saudável, pode ser?

A primeira tradição que muito me intriga é a das árvores de Natal: Vocês estão usando árvores de plástico? É isso mesmo? Acham bonito poluir durante a produção e transporte do material e, em janeiro jogar tudo fora? Vamos combinar uma coisa? Pinheiro de Natal só se você puder plantar um no seu jardim/quintal. Se não tem esse espaço, tem duas opções: Uma é reunir a criançada e confeccionar sua própria árvore com sucata, usem a imaginação e passem um tempo juntos! O mesmo vale para os enfeites de Natal – Faça os seus. Se já comprou em natais anteriores e mantém guardado, use até não poder mais, guarde sempre e repasse pras próximas gerações. Ah! E quando for fazer alguma árvore ou enfeite, NÃO USE GLITTER! Glitter é lindo, mas é basicamente microplástico! Poluente pra caramba!  A outra opção é: Use um vaso que caiba na sua casa com uma planta bem bonita e viva! Imagina: Um cactus de Natal, uma violeta de Natal, qualquer plantinha viva e bem cuidada já vale! Depois da árvore, acho que vocês imaginam o próximo item né? Isso mesmo, os aguardados presentes! Sério, parem de me pedir um monte de tranqueiras que irão quebrar e parar no lixo durante os primeiros meses de uso! Procurem opções entre produtoras locais – Tem tanta gente se virando pra garantir um jantarzinho melhor pra família, fazendo panetone, doces, artesanato, cosméticos… Compre dessas pessoas e as incentive a usar embalagens simples, com pouco ou nenhum plástico! Você pode comprar utensílios que deixem a vida das pessoas mais fácil e sustentável: Existem kits para levar na bolsa e evitar o uso de copos/plásticos e talheres descartáveis, existem sapatos feitos com lona e pneu reciclado, pras crianças tem opções como bonecas de pano, jogos de fantoche feitos de pano também, brinquedos artesanais feitos de madeira sustentável. Aproveitem os presentes diferentes e conversem sobre a motivação deles: Conservar o planeta! Presente lembra o que? Embalagem! Aqueles sacos de plástico enormes e coloridos que vão pra onde? Pro lixo! Não! Opte por não embrulhar ou use a imaginação e embrulhe em algo útil: Dá pra embrulhar presentes em panos de prato presos com uma fita ou alfinete, em uma fronha, em jornais ou páginas de revistas ou pode colocar em uma sacola dessas reforçadas ótimas para ir ao mercado sem pegar saquinhos plásticos. Ah! E se você receber presentes embrulhados abra com cuidado e depois use o plástico para embrulhar livros, cadernos, forrar prateleiras ou gavetas. O cartãozinho de Natal também pode ser dispensado ou substituído por um papel mais simples, sem gliter e tinta em excesso, afinal, vale a sinceridade do que você escreveu nele, certo?

Agora que falamos das árvores, presentes e cartões é hora de falarmos da ceia! Não exagere na comida! A produção de alimentos polui. O transporte do campo para a cidade polui e você gasta muito dinheiro para jogar tudo no… Lixo? Não! Planeje um cardápio adequado: Se você mora no hemisfério norte, comidas pesadas, adequadas ao frio. No hemisfério sul, onde o Natal acontece no verão, invista em alimentos e frutas leves e coloridos. Prepare o máximo de coisas em casa ou compre de produtores locais – Panetones, biscoitos e tortas podem ser comprados na sua própria vizinhança, não precisa ir no freezer do mercado comprar coisas industrializadas! Tão logo termine o jantar, transfira tudo para recipientes adequados, congele em pequenas porções os pratos que puderem ser congelados (Inclusive isso vai facilitar a sua vida em dias mais corridos): Arroz à grega, peru, tender, pernil (Eu sou vegetariano, mas sei que você pode não ser), tortas salgadas e alguns doces são alimentos que podem ser congelados (hey, não é pra congelar em potes descartáveis! Tem que poder reutilizar várias vezes). O que não puder ser congelado deve ser acondicionado adequadamente para consumo no almoço do dia seguinte. As bebidas também requerem atenção: Prefira água filtrada gelada servida em jarras, sucos naturais e chás gelados. Se fizer questão de refrigerante, use os que possuem garrafas retornáveis e não se esqueçam de jogar as tampinhas no lixo reciclável e tirar aquele anelzinho do gargalo, abrindo-o em dois antes de encaminhar para a coleta seletiva. Ainda sobre o jantar: Estou sem palavras ao observar pessoas comprando pratos, copos e talheres descartáveis para a ceia! Até taça descartável! Não é possível que de repente todo mundo desaprendeu a lavar louça! Combinem uma organização onde cada pessoa lava a própria louça. Quem tem criança e prefere não arriscar copo de vidro,leve copo adequado para uso que possa ser lavado. A natureza agradece!

No mais, é isso: Aproveitem o Natal, pensem nessas dicas e comecem a aplicá-las no dia a dia de vocês e anotem outras: Reciclem o lixo, descasquem mais e desembalem menos, usem produtos cosméticos naturais, analisem sua casa e seus hábitos constantemente, sempre é possível mudar alguma coisa para criar um mundo sustentável! Inclusive essa cartinha parece de papel mas não é. Ela é fruto da magia de Natal e irá se destruir em poucos minutos após a leitura, então espero que tenha lido com atenção e guardado as informações!

Abraços e luz! Dia 24 estarei nas suas casas observando se meus conselhos serão cumpridos!

Com carinho

Papai Noel”

Brasil, 2019 – Caos e pesadelo

Tem um mar de lama lá no rio

Tem um rio de lama lá no mar

Floresta arde, fumaça pelo ar

Restam as cinzas espalhando o vazio

Seria um pesadelo essa pintura sinistra?

Tem natureza morta nesse quadro surrealista!

Labirinto de concreto, futuro incerto:

Tem criança na rua, na noite paulista

Dormindo em papelões quem pode sonhar?

Olha pro prato do povo: Cada vez mais vazio

Gourmetizado, tempero fino de agrotóxicos

Tantos (des)governos de (des)humanos tóxicos

Bala perdida encontra corpo de estudante

Enquanto a justiça dança trôpega, errante

Dizendo que assassinato é só um acidente

Colapso, fome, caos, destruição

Esperanças vendidas, vidas perdidas

Progresso a todo custo, é o eles dirão

Mas progresso pra quem, afinal?

Pro empresário? Pro milionário?

Carniceiros, abutres do metal vil

Espalham sangue e desilusão

Quando se reúnem em seu covil

Planalto luxuoso no coração do Brasil

 

___________________________________________________________________________

Poesia autoral apresentada no encontro de slams realizado na Biblioteca Silvério Fontes, Zona Noroeste de Santos, em 14/12/19

Quer assistir?

Filmes TOP 2019

O ano já está acabando! Que tal fazer aquela retrospectiva e de quebra fazer indicações legais? Um super TOP10 filmes assistidos nesse ano!  Aliás, fazendo essa lista, descobri que meu 2019 praticamente só teve filmes super clichê!

  1. Batalhas

A vida da jovem bailarina Amalie é virada de cabeça para baixo com a falência do pai, entretanto, ela vai descobrir um novo caminho ao conhecer o hip-hop e se apaixonar por Mikael. Pode parecer um filme clichê, mas faz com que caminhos sejam repensados e faz pensar sobre a constante necessidade de ter para ser algo.

2) O date perfeito

O jovem Brooks, desejando juntar dinheiro para a faculdade, cria um aplicativo e oferece seus serviços como namorado de aluguel, acompanhando pessoas com diversos tipos de interesse. Parece a idéia genial até ele se apaixonar. Outro filme clichê com a mensagem sobre a importância de ser quem você é.

3) Naomi, Ely e a lista de não beijos

Naomi e Ely são melhores amigos e, para proteger essa amizade, criam uma lista de quem jamais poderiam beijar. Tudo se complica quando Naomi começa a se envolver com o porteiro do prédio – que estava dentro da lista de não beijos, e Ely se envolve com o então namorado de Naomi. Será que essa amizade sobreviverá a essa grande confusão? Um filme bem bacana.

4) Um amor inesperado

Filme argentino sobre um casal de meia idade que se divorcia após o filho sair de casa para cursar a universidade. O filme narra os encontros e os desencontros de um casal que, após uma vida em comum, decide se divorciar e começa a buscar novos pares. Engraçado e surpreendente no final.

5) Comer, rezar, amar

Em geral, gosto muito de assistir aos filmes baseados em livros que li, então, quando vi que Comer, rezar, amar ganhou adaptação cinematográfica, não pude deixar de assistir

6) Elisa e Marcela

Um filme baseado em fatos reais ocorridos em 1901, quando Elisa adota uma identidade masculina para poder se casar com Marcela, a mulher que ama.

7) Apenas duas noites

Megan acabou de sair de um noivado. Desempregada e deprimida, passa noite após noite dentro de casa, até que seus amigos finalmente a convencem a sair e conhecer pessoas. Após se cadastrar em uma rede social, ela vai a um encontro, sem saber que uma nevasca irá fazer com que a noite se transforme em duas noites. Um filme muito engraçado.

8) A secretária

Quando a jovem Lee Holloway recebe alta dos hospital psiquiátrico, sua vida parece estar se encaixando: Arranja um emprego e um namorado. Entretanto, suas relações com o seu chefe, o Sr. E. Edward Grey, irão ultrapassar os limites, envolvendo-a em um romance sadomasoquista.

9) Byzantium – Uma vida eterna

Uma história muito interessante que recria o universo dos vampiros como um espaço que permite apenas a presença de homens – Há apenas duas exceções: Uma mulher que roubou o segredo da transformação e anos depois transformou sua filha em vampira. A menina usa seu tempo escrevendo a própria história e desejando uma vida normal.

10) Um passado de presente

Eu não poderia terminar essa lista sem incluir um clichezão de natal não é mesmo? Esse filme estrelado por Vanessa Hudges (High School Musical) é o tipo de fofurinha que merece ser vista e revista diante de uma bela tigela de pipocas.

 

E vocês? Quais os filmes favoritos desse ano?

 

Faço de ti poesia

Faço de ti poesia
Quando nossos olhos se cruzam
Quando nossas mãos entrelaçam
Quando raia um novo dia

Traço no papel nossa história
Te imortalizo em meus versos
Adentro teus universos
Te guardo na memória

Perdida em teu corpo, descubro quantas sou
Atada em tuas masmorras, minh’alma alça voo
E voando em teu céu
Colho teus beijos, me embriago em teu mel

Faço de ti poesia
Quando as horas lá fora correm
E meus beijo te percorrem
Navegando em calmaria

Faço de ti poesia
Quando a entrega do corpo é urgente
Quando te ver me faz lago fervente
E nos perdemos em desejo e fantasia

Faço de ti poesia
Quando meus olhos se enchem d’água
Nos momentos de despedida
Quando a saudade inunda, deságua
Poucos momentos após a partida

Faço de ti poesia
No encontro, na partida, na distância
Guardo teus traços e nossos momentos
Te escrevo em meus sentimentos

Faço de ti poesia
E em meus versos
Te entrego meus universos
No anoitecer de mais um dia

Dica Literária: Cem escovadas antes de ir para a cama – Melissa Panarello

Lembro de estar folheando uma revista qualquer quando me deparei com uma pequena resenha sobre o livro da italiana Melissa Panarello. Eu tinha dezessete anos e pouco interesse por sexo ou erotismo – Confesso que já havia lido alguns livros considerados “quentes”, como Sidney Sheldon , D.H Lawrence ou a francesa Régine Deforges com seu “Diário Roubado” ou sua coletânea “A bicicleta azul” – Inclusive, acredito que apesar de serem livros considerados “impróprios”, não representaram um dano para a minha formação – Eu apenas lia desatentamente as cenas mais românticas/eróticas, como quem pensa “mas o que leva dois adultos a fazerem isso?” e não raro, eram as represálias de professores ou familiares que me diziam que o livro não era para a minha idade (não adiantava nada, afinal, minha mãe e eu sempre tivemos ótimas conversas e eu jamais fui proibida de ler algo). Voltando ao livro da Panarello: Eu, em meus dezessete anos, após ler a resenha na revista, comecei a procurar pelo livro. O motivo? A autora, ainda adolescente, foi expulsa do colégio onde estudava pelo fato de ter escrito a obra. Trata-se de um diário e, na conservadora cidade italiana onde vivia, causou choque e comoção. Eu precisava ler! Pela primeira vez, não estava buscando títulos entre os livros da minha mãe ou os da biblioteca, nem procurando ler as obras exigidas nos vestibulares. Eu queria ler o livro considerado erótico e chocante, escrito por uma menina apenas um ano mais velha que eu! Afinal, já nessa época, eu escrevia meus primeiros rascunhos e sonhava me tornar escritora! Como ela havia conseguido? O que eu precisaria fazer para completar uma história? A ansiedade pela leitura era enorme. E assim, após uma pequena procura e pouco antes dos meus dezoito anos, ganhei o livro e li em uma única tarde. Li outras vezes com calma. Guardei por um tempo e depois doei na biblioteca da escola em que eu estudava – Confesso que guardo curiosidade de saber se ainda está lá. Ontem, ao visitar a 9ª Festa do Livro, encontrei um exemplar na banca para “adoção”. Não peguei. A história já não me diz nada, tantas foram as leituras e releituras. Mas tirei uma foto para publicar na página junto com o resumo.

         A história é chocante por ser real. Melissa é uma menina tímida, insegura e acaba pulando várias etapas que deveriam ser de descobertas poéticas e corações partidos, caindo direto no redemoinho intenso do sexo casual e de diversos fetiches. O erotismo é latente, permanente, mas não vulgar – Melissa consegue escrever de uma forma ao mesmo tempo elegante e instigante e isso faz o leitor prender o fôlego. O filme, lançado anos depois, modificou a história e retirou a sensibilidade do texto, deixando uma pornografia sem graça – foram quase duas horas perdidas diante da televisão! Portanto, se você leitor ou leitora, se interessou pela obra, leia o livro, passe longe do filme. E depois me conte o que achou!

 

 

Vida de estudante 1 – Divisibilidade

Boa noite leitores e leitoras! Hoje vamos iniciar mais um tema aqui no blog: Dicas para quem está estudando ou para quem gosta de manter a cabeça em dia, sem esquecer tudo ou quase tudo que passou anos aprendendo no colégio.

O tema da primeira postagem é Divisibilidade – Ou seja – Como saber se um número é divisível por outro gerando um resultado exato. Bacana né? Vamos lá:

Divisibilidade por 2: Essa é fácil! Um número é divisível por 2 quando é um número par.

Divisibilidade por 3: Um número é divisível por 3 quando a soma de seus algarismos produz como resultado um número múltiplo de 3. Exemplo: 36. 3 + 6= 9. Como 9 é múltiplo de 3, sabemos que 36 é divisível por 3.

Divisibilidade por 4: Um número é divisível por 4 quando os dois últimos algarismos formam um número divisível por 4. Exemplo:840. 40 é divisível por 4, portanto, 840 é divisível por 4.

Divisibilidade por 5: Um número é divisível por 5 quando termina em 0 ou 5. Fácil né?

Divisibilidade por 6: Um número é divisível por 6 quando é divisível por 2 e 3 ao mesmo tempo.

Divisibilidade por 7. Essa é mais difícil, mas vou tentar explicar, usando como exemplo o número 315:

1º passo. Separe a casa das unidades

31 – 5

2ºpasso: Multiplique o algarismo da direita (unidade que está separada) por 2 e subtraia o resultado do algarismo da esquerda:

5 x 2= 10

31 – 10 = 21.  Se o resultado dessa operação for divisível por 7, então o número original também é! Ou seja, no exemplo o resultado foi 21 que é divisível por 7, portanto 315 é divisível por 7.

Divisibilidade por 8: Um número é divisível por 8 quando os três últimos números formam um número divisível por 8. Exemplo: 12.160. Observe os três últimos dígitos, 160, é divisível por 8,

Divisibilidade por 9: Um número é divisível por 9 quando a soma dos seus algarismos forma um número divisível por 9. Exemplo: 297. 2+9+7= 18. Como 18 é divisível por 9, 297 também é.

Divisibilidade por 10: Um número é divisível por 10 quando termina em 0. Fácil.

Divisibilidade por 11: Um número é divisível por 11 quando a diferença entre a soma dos algarismos de ordem par e a soma dos algarismos de ordem ímpar é divisível por 11.

Exemplo: 14.927

Soma dos algarismos de ordem par: 4 + 2 = 6

Soma dos algarismos de ordem ímpar: 1+ 9+ 7= 17

Diferença entre os resultados acima: 17-6= 11.

11 obviamente é divisível por 11, então 14927 é divisível por 11.

E aí, gostaram das dicas? Lembram de ter aprendido isso na escola?

(Texto adaptado do Manual Estudefácil –Concurso Oficial de promotoria/ Não tenho o ano pois as páginas estavam soltas aqui em casa)

 

Bolo de saudades e especiarias

“Domingo de manhã, aquecido de Sol e saudade. Aquele desejo infinito de amanhecer dentro de um abraço com cheiro de café e olhos de mistério. Abro a geladeira. Tem maçãs, laranja, passas. Ralo duas maçãs, espremo uma laranja junto e coloco uma colher de chia. Deixo num canto. O aroma das frutas traz lembranças doces. Em uma xícara, coloco metade de passas brancas picadas, metade de água. Pego uma bacia e misturo 1 xícara de farinha de arroz, 1/2 xícara de farinha de aveia, 1 colher de sopa de linhaça, 4 colheres de xerem (castanha de caju triturada), 1/2 colher de sopa de canela, 1/3 de colher de cravo em pó, kummel (mas poderia ser erva doce) e gengibre ralado. Misturo bem e depois acrescento os ingredientes úmidos que já estavam preparados, 2 colheres de óleo (se tiver de Coco, melhor), e por último o fermento, misturando bem. Despejo em uma forma untada e levo pro forno pré-aquecido. A casa toda é tomada por esse aroma de amor – Afinal, cozinhar é a arte de transformar afetos e saudades em poesia, nutrindo corpo e alma. O bolo cresce enquanto escrevo – penso sobre o título da receita: Bolo de saudades com especiarias.
Prepare com amor e uma dose de sonho”

#comidavegana #veganfood #comidaafetiva
#improvisos #diáriosdapoetisa #300de365