Capítulo 6

Os dias passavam lentamente.
Valeska ficava longas horas no quarto, isolada. Ia ao colégio por obrigação, não conseguia se concentrar nas aulas. O ano estava chegando ao fim e suas notas eram péssimas. Se ficasse para recuperação, ao menos poderia escapar de passar as férias na fazenda. Várias vezes Melissa escrevera, dizia ter saudades. Valeska não respondeu suas cartas, no fundo a culpava por ter perdido o único amor da sua vida, apesar de saber que ela fora a maior culpada de tudo. Não se deixara levar pela vontade de viver uma aventura de verão? Não se deixara convencer a dividir Marjorie com Melissa por uma noite? Marjorie tinha razão, ela era a maior culpada pelo próprio sofrimento.
Apesar do péssimo desempenho no colégio, conseguiu passar de ano.  Fazia exatamente um ano que havia conhecido Melissa. Era uma data para ser apagada, não lembrada. Viajaram para a fazenda, como se opor aos pais?

Foram as férias mais estranhas de Valeska. Tentava não conversar com Melissa, mas não podia recusar-se a falar com ela, pois não tinha nenhuma justificativa que pudesse apresentar aos pais. Ah, a família, pensava, sempre nos obrigando a fazer coisas que não queremos. Levou muitos livros com ela… Passava os dias lendo e as noites escrevendo. Levava seu caderno de notas a todos os lugares, até mesmo à cachoeira. Não tinha o hábito de escrever um diário, mas ia anotando seus pensamentos de um modo desconexo e confuso. Em janeiro faria 18 anos, a sonhada maioridade, se ainda estivesse junto à Marjorie, talvez se casassem.
Seus pais começavam a estranhar o fato dela não apresentar nenhum namorado, não receber telefonemas de garotos, não freqüentar os lugares comuns à sua idade. Sua vida tornava-se cada vez mais difícil…
 
Trechos do Caderno de Notas de Valeska:

“Sobre as palavras”
O que são mesmo palavras?São conjuntos de letras…
E o que são letras? São sinais gráficos, apenas…
Sinais inventados por alguém há muitos séculos…
Lembro que quando comecei a freqüentar o colégio, não gostava das letras, achava-as difíceis, por causa da dificuldade de desenhá-las, acabava ficando de castigo, até aprender…
Aprendidas as letras, comecei a formar as primeiras palavras…
Nunca imaginei que um dia as palavras seriam minhas únicas companheiras… Nunca imaginei ficar tão dependente delas… Cada dia mais me isolo em mim mesma, cada dia mais expresso meus pensamentos e sentimentos através da palavra escrita…
O que seria de mim hoje sem um papel e uma caneta, ou lápis?
Se não pudesse escrever meus sentimentos, a quem contaria sobre a saudade que tenho de você, Marjorie?
Faz seis meses que nos vimos pela última vez, e no meu coração permanece a lembrança dos teus olhos tão doces… Esses olhos cor de mel onde muitas vezes mergulhei minha alma…
De tudo que fiz até hoje, só posso me arrepender de uma coisa:
De uma linda tarde de verão na qual concordei com minha mãe e fui até a cachoeira conhecer uma nova amiga… Daquela tarde em diante, minha vida tornou-se um pesadelo, duvidei dos meus sentimentos, do meu amor por você, me entreguei a braços frios e sem amor… E depois te entreguei a esses braços também. . Por que eu fiz isso?Agora estou aqui, mergulhada nessa solidão sem fim, escrevo tudo que gostaria de te falar… Mas sei que você nunca vai ler, pois já desisti de te mandar e-mails, você não responde e talvez nem abra…
Enfim, acho que meu futuro é a mais profunda Solidão…
Palavras, muito obrigada por serem minhas companheiras nessa jornada rumo ao Nada”
 

“Sobre o Amor”
 
O amor é um sonho que sonhamos acordados…
É um sonho real, e nós podemos encontrá-lo apenas nos olhos de uma pessoa, durante toda a nossa vida.
Durante esse percurso (da vida) encontramos paixões, muitas ou poucas, depende do Destino de cada um…
Algumas pessoas encontram muitas paixões, muitas vezes acham que amam quando somente estão apaixonados… Demoram até ver nos olhos de alguém aquele brilho especial, até sentirem num abraço a Paz que só o Amor puro poderá dar… E muitas vezes, essas pessoas estão tão calejadas, tão magoadas, que deixam seu Amor passar direto por suas vidas… e continuam a buscá-lo…
Outras pessoas encontram seu amor em tenra idade, mas a vida as afasta, para que possam seguir seus caminhos e unirem-se novamente quando for o momento certo.
Algumas encontram o amor em alguém que está sempre muito perto, sem tempo de viver paixões. Duas almas se encontram e descobrem que se amam, mas pode acontecer o que aconteceu com a gente, de num instante de fraqueza o coração de uma delas experimentar a paixão e se perder… E aí,quando vemos,já é tarde demais e nós então já perdemos o amor da nossa vida…
 

Natureza:
Em meio ao verde, aos pássaros, sob esse maravilhoso céu, vivemos nós… Simples e pequenos seres. Não percebemos o quanto somos submetidos à natureza e tentamos desesperadamente vencê-la, prever-lhe os movimentos, as mudanças…
Mas é nela que encontramos o maior abrigo para nossa alma magoada e cansada de sofrer…
Às vezes tenho vontade de me deitar na terra e ser engolida por ela, de misturar aos poucos meus átomos aos dela até que meu corpo desapareça e minha alma torne-se livre para voar, ou então, passe a viver através do “Corpo” de uma árvore, que solitária no meio do campo observa tudo ao seu redor…
Às vezes tenho vontade de me misturar também às águas desse rio que corre correr com elas conhecendo lugares diferentes, e um dia evaporar, subir até o céu, e depois desabar sobre a Terra, quero ser a água da chuva a molhar o teu corpo… Assim posso te tocar ao menos uma última vez, e quem sabe, em meio a esse ciclo infinito de evaporar e tornar-se água novamente, não conseguiria te esquecer, ou ao menos aplacar a dor em minha alma?
Tenho vontade de ser vento… Ser vento significa voar para a liberdade… Ser a brisa do mar a tocar seu rosto…
Ser fogo… Queimar meu coração em suas próprias chamas, até reduzi-lo a cinzas, e depois como uma Fênix, delas renascer… Não adiantaria muito, renasceria te amando do mesmo jeito… Mas a jornada seria interessante, pois ao queimar meu coração, talvez conseguisse purificar esse amor, deixando dele apenas as boas lembranças e queimando toda a dor… É, talvez a dor não renascesse comigo, talvez renascesse apenas o Amor”

Imagem: Internet

Anúncios