Capítulo 20

Marjorie e Christopher eram felizes, apesar de seu casamento não ser baseado no Amor romântico e sim na amizade, no carinho, no respeito mútuo e na necessidade natural do ser humano de ter companhia e afeto.
Anne Camille já estava com 14 anos. Era uma jovem especial. Ao mesmo tempo sedutora e delicada, com seu jeitinho de garota pura e seu olhar de mulher. Era uma das únicas garotas de sua sala que ainda não havia beijado ninguém, não por falta de oportunidades, mas por falta de vontade… Apenas uma pessoa prendia-lhe a atenção: Luana.
O início da oitava série trouxe uma surpresa boa para Anne, o retorno de Valeska.
Luana e Anne eram amigas inseparáveis, haviam estudado juntas desde a infância, iam juntas para todos os lugares, dormiam uma na casa da outra. Luana era filha de um dos gerentes do Bingo Sete Mares, suas famílias eram muito amigas.
Suas personalidades eram opostas. Enquanto Anne era doce, delicada, Luana dizia tudo o que queria dizer sem rodeios, não se importava com o que as pessoas pensariam a seu respeito. Era tão paquerada quanto Anne, e, em boa parte das vezes aceitava “ficar” com os meninos, apesar de ser muito seletiva e escolher apenas os mais belos, aqueles que todas as outras meninas desejavam.
Anne sentia uma grande paixão por Luana. Morria de ciúmes ao vê-la sempre cercada de rapazes. Talvez, esse amor fosse o único segredo existente na amizade de Anne e Luana.
Um dia, Luana chegou ao colégio especialmente feliz. Naquele dia, iria encontrar-se com Rodolfo, que estudava no 3° ano do ensino médio; após as aulas, iriam para a casa dele, aproveitar que seus pais não iriam para lá durante todo o dia. Passariam a tarde toda juntos e sozinhos e, provavelmente, Luana poderia provar sua primeira noite de amor. Isso deixou Anne triste e mais agitada do que o habitual. Ela sabia que amava Luana, mas não entendia, não era certo amar uma garota. O normal é que meninos amem meninas e meninas amem meninos. Nunca havia conversado sobre isso com ninguém, e, pela primeira vez sentia necessidade de falar, se abrir. Era hora do intervalo, e ela foi procurar Valeska, para conversarem.
Contou a ela tudo o que estava se passando em sua vida, em seu coração, que, pela primeira vez despertava. Mas, dessa vez, Valeska não poderia ajudar.. O que ela poderia dizer àquela criança? Incentivá-la a lutar por seu amor não seria antiético?Afinal, estavam dentro de um colégio e Valeska era professora. Seu coração ficou apertado quando pediu que Anne procurasse outras pessoas, talvez seus pais, ou um psicólogo para ajudá-la. O intervalo acabou e todos voltaram às suas salas.
Luana estava cada vez mais ansiosa, seu grande momento estava chegando. Anne estava decidida a não deixá-la se entregar. Não sem antes saber sobre seu amor. A penúltima aula era Educação Artística, realizada em duplas. Luana e Anne sentaram-se juntas, como sempre.
-Luana…
-Que foi Anne?
-ah… Não, nada…
-Agora fala. Que aconteceu?Você hoje está tão estranha…
-Estou apaixonada…
-Sério?Até que enfim, hein?
-Mas acho que não sou correspondida.
-Ah… Que pena… Mas você acha ou tem certeza que não é correspondida?
-Tenho certeza…
-Por quê?
-Por que meu amor vai ficar com outra pessoa hoje.
-Ele estuda aqui?
-Sim…
-E vão ficar que horas?Na saída?
-Sim.
-Então, impeça !Lute por ele.
-Acha que eu devo realmente fazer isso?
-Lógico.
-Mas como?Como você faria para evitar?
-Na hora em que ele estiver saindo, corra atrás, diga que precisa falar com ele, olhe em seus olhos e diga que o ama… Depois, roube um beijo!
-Luana… Eu não sei beijar…
-Isso eu não vou poder te ensinar… Mas tenho certeza que você vai conseguir aprender!Quantos anos ele tem?
-14.
-Então, ele também não deve beijar tão bem assim… Vai fundo!

Após a aula de Educação Artística, veio uma aula de História. Anne não conseguia se concentrar… Pensava na hora da saída, como seria? Ainda faltava tempo para o final da aula, mas o material de Luana e Anne já estava todo guardado, Luana porque queria encontrar Rodolfo logo, Anne por que queria fazer o que Luana lhe disse.
Mal o sinal tocou, elas saíram correndo da sala. Misturaram-se à multidão de alunos que iam saindo… Ainda estavam no corredor, dentro do pátio, quando Luana e Rodolfo se encontraram. Anne se colocou entre eles, segurou as mãos de Luana e, olhando em seus olhos:
-Luana, eu nunca pensei que fosse ter coragem de fazer isso… Mas, eu te Amo… Não posso deixar que você fique com ele sem antes saber disso.
-Anne!Isso só pode ser alguma brincadeira, e de muito mau gosto!
-Não Luana… Eu te amo… Estou seguindo seu conselho, você falou para eu correr atrás do meu grande amor… Aqui estou eu (ajoelha-se e segura as duas mãos de Luana), pedindo que você fique comigo. Luana, chocada, tenta libertar-se das mãos de Anne, que, sem pensar em mais nada, levanta-se e a beija.
Alguns alunos que estavam ao redor haviam parado para observar a cena. Logo, vários as observavam. Rodolfo, indignado com o que via, saiu e deixou Luana ali, entregue àquela situação no mínimo estranha.
A inspetora de alunos chegou bem na hora em que Anne havia agarrado Luana e a beijado. Após o susto que levou ao vê-las aos beijos, leva-as até a diretoria.

Marjorie atende um telefonema. Deve comparecer com urgência ao colégio da filha. Preocupada, pede para sair mais cedo do trabalho e vai averiguar o que aconteceu… No caminho, vai pensando em como tem sido ausente nos últimos anos… Faz tanto tempo que não vai ao colégio saber como a filha tem se saído nas aulas. Sempre é Christopher que resolve tudo. ela não sabe nada,absolutamente nada da vida de sua própria filha,uma menina de 14 anos.
Na sala da diretora, o clima é tenso. Luana, nervosa, chora. Anne também está aos prantos. Tatiana, mãe de Luana, e Marjorie chegam praticamente juntas. Dentro da sala, estão Anne, Luana, a diretora e a inspetora. Após saberem o que aconteceu as mães de ambas ficam muito nervosas. Luana jura que nunca mais irá falar com Anne, diz que a odeia e que tem nojo dela. Isso deixa sua mãe mais aliviada. A diretora sugere que Marjorie leve sua filha a um psicólogo quem sabe assim não resolvem esse pequeno desvio de comportamento. Marjorie sente-se pessoalmente ofendida pelas palavras da diretora. O que há demais se a filha é homossexual? Ela tem o direito de escolher, de ser feliz. Então, se ela tivesse beijado um garoto dentro do colégio, não seria repreendida, mesmo que ele não quisesse ser beijado por ela, mas, por se tratar de uma menina, está sendo suspensa por três dias? Não era justo. Marjorie não podia reverter a suspensão de Anne, mas jamais deixaria de apoiá-la em suas escolhas. A diretora aproveita para lembrar-lhe o fato de ela nunca ir ao colégio, nem conhecer a maioria dos professores de Anne. Então é assim, distante que pretende apoiar a filha em alguma coisa?
No caminho de volta, Anne e Marjorie foram conversando. Fazia tanto tempo que não tinham um momento para conversarem. Marjorie nem sabia que aquele beijo roubado havia sido o primeiro de sua filha.
Anne não esperava tanto de Marjorie, mas ficou feliz. Christopher, apesar de ficar um tanto chocado com esse amor de Anne por Luana, também garantiu a ela que a amava do mesmo jeito, e que não havia nada errado em amar alguém do mesmo sexo. Porém, ressaltou, não é correto beijar essa pessoa dentro do colégio, principalmente sabendo que ela gosta de outra pessoa.
Os três dias de suspensão passaram-se rapidamente.
Valeska sentiu-se um pouco culpada pelo que havia ocorrido. Deveria ter tentado conversar com Anne, ao menos distraí-la.
Tatiana mudou Luana de período, e, no final do ano a mudaria de colégio, caso Anne fosse fazer o primeiro ano do ensino médio de manhã.
Os pais de Luana aconselharam Christopher e Marjorie a tentarem “cuidar” da filha deles. Muito preconceituosos, não acreditavam que duas mulheres juntas pudessem ser felizes, formar uma família. Isso acabou gerando um atrito entre as duas famílias, mas como tinham bom-senso, não deixaram que esse problema pessoal interferisse em suas vidas profissionais.
Foi muito difícil para Anne acostumar-se à ausência de Luana, mais difícil ainda foi acostumar-se ao ódio que a amiga passou a ter por ela. A maioria dos colegas a olhava desconfiados, como se fosse completamente anormal,deixou de ser uma das meninas mais populares do colégio, de estar sempre cercada de amigos. Mas, pensando bem, não sentia mesmo tanta falta deles. Até gostava de estar sozinha, na maioria do tempo.

Desta vez, nada impediu Marjorie de ir pessoalmente até o colégio no dia da reunião de pais e professores. Apesar da maioria dos professores acharem errado o apoio que os pais davam a Anne no tocante à sua opção sexual, não houve críticas quanto a esse fato, tampouco houve reclamações em relação ao comportamento ou desempenho de Anne nas aulas, ela ainda era uma das melhores alunas daquele colégio. Cada professor entrava na sala, apresentava seus comentários sobre o desempenho dos alunos, respondia as perguntas dos pais e retirava-se, dando lugar ao próximo. Faltava apenas Valeska, que seria a última das professoras da 8°série “A” a apresentar aos pais o desempenho dos alunos em sua matéria.
Valeska entrou na sala, percorreu o olhar pelo rosto de cada um dos pais de alunos, estranhou não ver Christopher na sala. Foi quando seus olhos cruzaram-se com os de Marjorie. Imediatamente, ambas se reconheceram. Valeska, muito nervosa, apresentou os resultados que deveria apresentar os comentários, as dúvidas dos pais. Após o término da reunião, pediu para ter uma palavra a sós com Marjorie.

Caderno de notas de Valeska:

 

(carta à Marjorie)

Minha amada,

Sei que mil páginas não conseguiriam expressar um amor como o que sinto por você, tão grande que já não cabe em minha alma e transborda pelos meus gestos, palavras e pelo meu olhar… mesmo sabendo que palavras não são suficientes,resolvi escrever essas linhas para você saber que eu te amo.
 Encontrar-te e me apaixonar por você foram os momentos mais mágicos da minha vida, pois desde a primeira vez que eu te vi o doce fulgor dos olhos teus foi despertando em mim o Amor: forte, doce, sublime, arrebatador, repentino e duradouro, que traz ao mesmo tempo a alegria e a dor.
 Não posso comparar esse amor que nasceu em meu peito ao Sol que nasce no horizonte, pois o Sol nasce,nos aquece,ilumina e depois vai embora, para voltar no dia seguinte, o amor não, ele nasce e fica para sempre ardendo em nossa alma, sem nos deixar um instante; poderia talvez comparar o amor à uma rosa que brota no coração: Bela, fresca, perfumada, colorida e cheia de espinhos que machucam e faz sofrer, e cujo único remédio é o teu carinho. Mas,não,não posso comparar o Amor que sinto por você a nada,pois esse sentimento é tudo em minha vida,é a aurora dos meus dias onde os raios de Sol são teus olhos e o ar que respiro é o teu perfume.meu coração chama teu nome,cada pulsação é um sussurro,chamando por você….
Gostaria de tê-la ao meu lado, ao menos, poder saber se neste momento você está pensando em mim, como eu penso em você a cada segundo.
O tempo é inimigo dos que amam cada hora a teu lado passada, me parece um breve momento, e cada instante distante de você me parece um milênio.
Às vezes, choro de saudades, lágrimas molham meu rosto, meu olhar… Lágrimas que mostram o sabor de amá-la e não tê-la perto de mim como eu desejo ter… São noites em claro, sem dormir… Já não diferencio os dias e as noites… Meus dias sem você são escuros como noites sem luar… Quando durmo, você é a rainha que domina meus sonhos, meus sentidos e me leva além deste mundo frio e triste…
Ah, como eu quero ao menos poder ouvir tua voz, espero o telefone tocar…
Acordada, sonho com a possibilidade de, andando por aí, encontrá-la, mesmo sabendo que estás tão longe… Mesmo assim, sonho… Imagino que estou andando na rua, e vejo você… Mesmo que rapidamente, mesmo que apenas para num rápido cumprimento, tocar tuas mãos macias como veludo e suaves como a leve brisa noturna no Verão.
Fecho os olhos tentando sentir o sabor dos teus beijos que eu ainda não tive a honra e a alegria de provar, mas sei que terão aos meus lábios a doçura que o néctar tem aos Deuses.
Poderia escrever tanto… mil palavras,mil páginas,mil cartas de amor,escritas com o sangue de meu coração solitário,e,ainda assim,não expressaria mais do que estas três palavras:
Eu te Amo.
Deixo aqui um pedido: A cada momento de sua vida, lembre-se que há alguém que te ama infinita e incondicionalmente e deseja muito estar ao teu lado, alguém que apenas aguarda uma chance de invadir teu coração e lhe dar todo o Amor do Universo.
Beijos, abraços e carinhos,
De uma amiga que a ama, que, mesmo sem você saber, está aqui, entregando-lhe para sempre o espírito e o coração, deixando-os a teus pés…
Por favor, não os abandone em qualquer canto… eles precisam apenas estar a teu lado,para serem felizes,pois foram criados pelas Forças do Universo para estarem ao teu lado,para sempre….
“Amo-Te”

Anúncios