Capítulo 15

Por mais que tentasse Valeska não conseguia sair de seu isolamento emocional. Procurava sair com os amigos, dançar, divertir-se, mas, no fim das longas noitadas, apenas a solidão a aguardava em casa de braços abertos. Chegou a aceitar namorar uma amiga da faculdade, mas em menos de três meses terminaram.
Seu corpo tinha sede de prazer, mas seu coração queria amor, o amor de Marjorie. E, nesse jogo de forças,seu coração predominava, mantendo-a afastada de envolvimentos amorosos.
Para Melissa, os dias não foram melhores. Não quis comemorar seu aniversário na fazenda, ao lado da família, pois sabia que não poderia convidar Gabi. Lembrou-se que a havia conhecido em uma  festa de aniversário. Desde então, sua vida e seus sentimentos pareciam ter sido revirados, seu mundo estava de cabeça para baixo. Onde estava aquela garota atrevida, que lia contos eróticos  e libertava seu lado animal? Por mais que a procurasse, Melissa não conseguia mais encontrá-la.
 
 Correspondência de Valeska e Gabi.
 

“Querida Gabi…
Espero que esta carta a encontre na mais perfeita paz e saúde.
Fiquei feliz com sua última carta, onde me falava de sua intenção de vir morar com sua tia em Santos ano que vem para terminar seus estudos em um bom colégio. Prometo conseguir um dia, um fim de semana, e ir visitá-la.
Tenho que contar a você. Não sei por onde começar, mas preciso falar: Deveria ter conversado com você quando esteve comigo na fazenda, mas sua namorada estava perto e agora por carta é bem mais difícil…
Lembra aquele dia que você e a Melissa se encontraram em minha casa?Ela ficou muito alterada. Acabou adormecendo a beira da cachoeira. Eu a encontrei lá, adormecida, já quase de noite. Passou vários dias com febre, e chamando por você. Os pais dela não aceitam de nenhum jeito a idéia de ter uma filha lésbica. E ela está sofrendo muito por saber que é quase impossível tornar-se sua namorada, e posteriormente, sua esposa.
Esse sentimento a fez mudar muito – Quase não saí de casa. Acho que finalmente percebe uma pequena parte do que eu sofri quando perdi Marjorie, pois acha que perdeu você. Espero que não seja tarde demais para vocês, como é tarde para mim.

Beijos,
Com carinho,
Sua amiga, Valeska”

 

“Valeska…
Tudo bem?
Ficarei muito feliz em recebê-la em minha nova casa, em Santos.
Fiquei impressionada com o que me contou sobre Melissa. Você sabe que eu ainda não consegui esquecê-la. Mas, fico imaginando se vale a pena abandonar alguém que me ama para me envolver novamente com alguém que já me fez sofrer, que recusava meus carinhos, dizendo que o amor é um sonho no qual temos que ser muito tolos para acreditar. Talvez ela tenha realmente modificado seus sentimentos mas não sei, estou confusa, acredito que seja realmente muito tarde, mas pensarei,é tudo o que posso dizer,pensarei…

Beijos
Gabi”

 

Finalmente, chegou o final do ano.
Na fazenda, Melissa procurava ficar o máximo de tempo possível na companhia de Valeska, para tentar encontrar-se com Gabi. Valeska percebia a situação, mas não fazia comentários.
Finalmente, um dia, no final da tarde, Melissa chegou à casa de Valeska e encontrou Gabi, mas esta estava com a namorada. Imediatamente, seus olhos encheram-se de lágrimas. Saiu devagar, sem ser vista, afinal, ninguém a tinha visto chegar. Não faria mal sair sem despedir-se.
Para Melissa, o restante das férias perdeu o sabor. Não havia mais prazer algum em estar em casa. Queria voltar logo para São Paulo e deixar-se levar pelo destino. Estaria iniciando o segundo ano de sua faculdade. Mais três anos e estaria formada e livre, mas livre para quê? Para entregar-se a quem?
Marjorie e Christopher nunca haviam falado sobre o que havia acontecido no aniversário de casamento. Já estavam a caminho do segundo aniversário, e mantinham-se apenas amigos. Muitas vezes, era necessário controlar seus impulsos – formava-se entre eles uma energia sensual. Nessas horas, não eram os amigos Marjorie e Christopher, mas sim Marjorie e Christopher, um homem e uma mulher, carentes do prazer que não podiam encontrar em abraços amigos.
 
Caderno de notas de Valeska:
 
(acredito que esta tenha sido a primeira carta de amor que escrevi para você, Marjorie)
“Quero tomar-te em meus braços com a leveza da brisa quando toca seus cabelos…Colocá-la-ei num leito de pétalas de rosas, e, ,quando aos poucos minhas mãos forem te despindo, quero que meu olhar aqueça suavemente teu corpo, como o sol aquece as flores na primavera.
Meus lábios deslizarão sob teu colo macio como o orvalho desliza sobre as folhas delicadas e pequeninas. Quero fechar meus olhos e deixar meus sentidos te descobrirem.
Sentir do teu corpo o sabor… Deixar minhas mãos tocarem seus pontos mais ocultos; quero ouvir tua respiração arfante e profunda, cada vez mais acelerada, viajar contigo às estrelas, tocar o céu, nossos corpos fundidos de tal forma a ser uma nova estrela no firmamento e, ao mesmo tempo, seremos, apenas eu e você, duas mulheres satisfeitas na leveza e doçura de seu amor…”
 
Valeska e Melissa voltaram a São Paulo. Gabi embarcou para Santos.
Marjorie tinha cada vez mais dificuldade de resistir aos seus desejos. Os anos em que se mantivera isolada começavam a pesar-lhe na alma, e ela sentia um desejo intenso e cruel de entregar-se a Christopher. Completaram dois anos de casamento.
Era o último ano de Valeska na faculdade, e ela tratou de aproveitá-lo ao máximo. Era a melhor aluna de sua turma, mas mesmo assim aproveitava ao máximo as oportunidades de divertir-se com os amigos.
Antes das férias de Julho, viajou até Santos, para visitar Gabi. Teve a esperança de reencontrar Marjorie, mas foi uma esperança vã.
Gabi havia pedido à Valeska que não levasse Melissa com ela, ainda não estava preparada para reencontrá-la.
Foi difícil, mas Valeska acatou a decisão da amiga. Gostaria de vê-las felizes, pois sabia que se amavam.
Agora eram duas garotas que retornavam à fazenda nas férias. Melissa para a casa dos pais, Gabi para a cidade vizinha, mas ambas inevitavelmente encontraram-se na casa de Valeska. Era possível sentir a atração de uma pela outra mas nem assim elas decidiam unir-se e em seu amor enfrentar os obstáculos que as separavam.
Elisa havia se separado de Gabi quando essa decidiu morar em Santos – o que a deixou extremamente triste pois esperava que a namorada ao menos tentasse esperar por ela, afinal, quem ama espera.
Ao reencontrar Elisa, Gabi descobriu que esta já estava com outra namorada. Fazia apenas seis meses que haviam terminado o namoro. Valeska, como sempre, procurou consolar Gabi de mais essa decepção. Quando ela seria consolada por alguém?Seria possível que seu destino fosse consolar e nunca ser consolada? Precisava de alguém que a amasse. Queria ser feliz, mas não conseguia tirar Marjorie de seu coração. Não conseguia e não queria, apesar de saber que não havia mais esperanças.
Como estaria Marjorie? Elas amavam os meses frios, ambas ficavam muito sensíveis em dias nublados e chuvosos..Valeska pegava-se pensando em quem estaria dando carinho à Marjorie em seu lugar. Nos braços de quem ela estaria adormecida nas noites escuras e frias do inverno.
Em Santos, Marjorie dormia nos braços de Christopher, sempre imaginando que Valeska já a havia esquecido nos braços de outra mulher, ou quem sabe até mesmo de um homem. O tempo encarregou-se de fazê-la perder os contatos com os amigos de São Paulo. Sentia saudade de seus pais, que nunca haviam ido visitá-la.
Melissa continuava esperando uma chance de conversar a sós com Gabi. Mas essa estava dificultando as coisas, sabia que acabaria cedendo e não queria. Tinha medo de sofrer.

Era uma tarde de agosto, um domingo chuvoso, Marjorie e Christopher estavam assistindo TV no sofá. Marpher dormia no tapete. Christopher estava quase dormindo, Marjorie o acariciava delicadamente. Beijaram-se…Não conseguiram evitar, amaram-se com ternura. O amor passou a fazer parte do dia-a-dia do casal.. Nenhum deles se enganava, Marjorie não havia deixado de amar Valeska, apenas havia cedido às necessidades de seu corpo.
Chegou o final do ano, Valeska terminou a faculdade como a melhor aluna de sua turma. Convidou todos para a sua formatura. Mandou um e-mail para Marjorie, convidando-a também. A resposta foi o mais profundo silêncio.
Melissa não queria viajar para a fazenda, estava muito magoada com sua família, mas o fato de Valeska lembrar que Gabi iria para a casa durante as férias, o que facilitaria um encontro entre elas, fez com que Melissa mudasse de idéia.
O mês de Dezembro estava como sempre muito quente, favorecendo o contato com a natureza, longos banhos de cachoeira. Muitas vezes, Gabi ia até a casa de Valeska, passavam a tarde juntas, cavalgavam, Melissa ficava sempre à espreita. Escondida entre as folhagens, vendo sua amada. Valeska sabia disso, e não fazia nada para evitar. Queria deixá-las sozinhas, mas não sabia como.
Um dia, Valeska ligou para o celular de Gabi, disse que iria estar na cachoeira no dia seguinte pela manhã e precisavam conversar.
Gabi foi ao encontro, nem passou pela casa de Valeska, tomou um atalho que a levou diretamente à cachoeira. Ao chegar lá, não encontrou a amiga. Passou-se uma hora. Onde foi que a Valeska se enfiou?Tentou telefonar..Nada.
De repente, Melissa senta-se ao lado de Gabi.
Perto de Gabi, Melissa torna-se tímida, não consegue expressar o que sente por palavras. Seus olhos rebrilham. Percebe-se o Amor… No entanto, Gabi não a perdoa pela frieza com a qual foi tratada após a primeira noite que passaram juntas, e o fato de conhecer a história de Marjorie e Valeska também não a faz ter boa impressão sobre a pessoa de Melissa. Mesmo assim, acabam beijando-se. O clima começa a ficar quente. Elas aos poucos entregam seus corações, sem palavras, apenas seus corpos demonstrando o que se passa escondido no fundo do peito.
Quando finalmente Gabi decide ir embora, Valeska aparece pela trilha. Finge-se chocada ao encontrá-las ali, aos beijos. Havia planejado tudo, para que elas ficassem sozinhas e conversassem.
Gabi não percebe o plano de Valeska, mas arrepende-se de ter ficado com Melissa.
Gabi não resistia, e, da mesma forma que Melissa ia observá-la, ela também passava horas rondando a casa de Melissa, apenas para vê-la, antes de ir visitar Valeska. Mas, mesmo assim, insistia em manter distância.
Na noite de ano-novo, todos se divertiram muito. A ceia foi realizada na casa de Valeska, os pais de Melissa estavam presentes, por isso Gabi e a família não haviam sido convidados.
Marjorie e sua família estavam unidas e felizes, ela havia perdido qualquer resquício exterior daquela Marjorie isolada e triste. Sua beleza estava resplandecente, apenas no fundo de seu coração estavam as dores de não ter perto de si seu grande amor, seu relacionamento com Valeska ainda era uma ferida profunda, machucava. Christopher sabia disso, e sofria, pois queria ver Marjorie feliz, mais feliz do que qualquer outra pessoa no Universo. Sabia que ele a fazia feliz, mais sabia também que sua maior felicidade seria encontrada nos braços de Valeska.
Caderno de notas de Valeska
(poema sobre nossa primeira noite, nunca tive coragem de entregá-lo a você, Marjorie)
“De repente, não havia mais nada ao nosso redor…
Éramos apenas nós e a energia dos elementos e do Amor
… Trêmulas de emoção…
Luz apagada… Pele na pele, apenas um abraço…
Um beijo suave faz com que nos percamos…
E perdidas em nosso amor, começamos a nos buscar…
Em seus braços encontro abrigo, encontro paz
Fecho os olhos… Quero te abraçar forte,
Parar o tempo nesse instante mágico…
Impedir que a Vida a leve por um instante que seja de perto de mim…
Sei que partirás no dia seguinte,
Sei também que brevemente retornarás…
Sei que vencerei a distância para te encontrar…
Mas mesmo assim, quero prende-la para sempre junto a mim…
Em seus braços, me perco para me reencontrar…
Perco-me e me acho em teu olhar… Em teu cheiro…
Em tua pele…
E ao mesmo tempo em que me abrigo em você,
Sei que estás abrigada em mim também…
Momentos mágicos…
Vida…
Amor…
Eu e você…
Você me toma em seus braços e me faz sua…
Toma para si meu corpo…
O corpo que abriga esse coração que é só teu, que atravessou a Eternidade e seus Mistérios para te encontrar…
Toma-me…
Faz-me tua…
Leva-me às nuvens…
Nosso Amor é luz… É paz… Doçura…
Nosso amor nos guia…
Quero tomá-la também…
Fazê-la minha,
Mas nessa noite,
Quero apenas ser tua…
E depois,
Dormir em teus braços… E ao amanhecer,
E acordar junto a ti… Beijá-la
Ver as marcas que nosso amor deixou em meu corpo…
Saber que você me fez mulher…
Fez-me a tua mulher…
A mulher mais feliz em todo o Universo…
Em todas as dimensões, tempo e espaço…
Feliz simplesmente por ser a tua mulher…
Feliz por te amar…”
 

Com o final da faculdade, Valeska começa a enfrentar o tão temido “Mercado de Trabalho”, é difícil encontrar bons empregos. Consegue um trabalho como professora substituta em um pequeno colégio particular. É o suficiente, por enquanto.
Melissa, que já está em seu terceiro ano da faculdade de direito começa a fazer um estágio em uma firma ligada à exportação, isso a mantém ocupada, fazendo-a sofrer menos com a saudade de Gabi e o arrependimento por ter brincado com seus sentimentos, quando teve a oportunidade de estar perto dela. Gabi, em Santos, divide seu tempo entre o cursinho e o colégio. Nos finais de semana, trabalha em uma pequena sorveteria próxima à sua casa.

_________________________________________________________________________________

Mensagem para os leitores:

Como eu comentei anteriormente, minha rotina tem sido um pouco corrida: Estou terminando meu tcc, terminei meu contrato de estágio e estou trabalhando em um emprego que me toma muito tempo, ou seja, me sobra menos tempo para ler as postagens de outros blogs que sigo, para ensaiar e para escrever ou revisar o material que já tenho pronto e, por isso, por algum tempo a ordem que eu havia estabelecido para as postagens será alterada! Espero em breve voltar a postar com organização e regularidade!

Beijos literários a todos!