Playlist: Dia dos Namorados

Boa noite! Tudo bem? O tema deste mês só pode ser um: Amor! Como vocês sabem, eu simplesmente amo música e não poderia deixar de sugerir uma playlist bem romântica para o dia dos namorados, não é verdade? Mas, como a vida está difícil e não é todo mundo que vai encontrar aquela pessoa especial na segunda feira, decidi fazer três playlists: A primeira só com músicas para se declarar pro seu amado ou amada. A segunda para curtir bem agarradinho num lugar aconchegante e, a terceira para chorar no quentinho do seu quarto e curtir aquela saudade dos momentos vividos ou não com aquela pessoa que você ama mas que não corresponde os seus sentimentos (infelizmente isso pode acontecer). E a terceira pra curtir juntinho com o namorado ou namorada ❤

 

PLAYLIST PARA DAR AQUELA INDIRETA E DIZER “EU TE AMO”

1 – Ana Muller – Sua.

Uma das minhas músicas favoritas no momento. Escuto umas mil vezes por dia e se estivesse namorando ia mandar pro amado pelo menos uma vez por semana…rs

 

2- Garoto Errado (Manu Gavassi)

Pode ser bem juvenil, mas com toda simplicidade é uma forma de dizer “Hey, eu existo e gosto de você”

3 – De janeiro a janeiro (Roberta Campos)

Outra letra simples, doce e linda!

 

4- Me namora (Edu Ribeiro)

Uma declaração dessas… Sem palavras!

 

5 – The first time ever I saw your face  (Johnny Cash)

Não tem como resistir a uma declaração dessas, não é verdade? Uma canção sobre a primeira vez em que você viu a pessoa amada!

6 -Pela luz dos olhos teus (Tom e Miucha)

Não poderia faltar esse clássico da nossa Mpb na lista, não é verdade?

 

7 – Dio, come ti amo

Uma canção que poucos conhecem e cuja letra é de longe uma das mais belas!

 

8 – Your song

Outra letra belíssima!

 

9 – A Thousand Years (Christina Perri)

Não poderia faltar na lista!

 

10 – Eu sei que vou te amar

Outro clássico da Mpb que não poderia faltar na lista de músicas para declarar seu amor!

 

PLAYLIST PARA OUVIR BEM AGARRADINHOS

1- You Are My Sunshine (Johnny Cash)

Johnny Cash tem repertório pra declarar um grande amor, pra curtir juntinho e pra curtir aquela tristeza também… Um compositor/cantor completo!

 

2- Reviso meus planos (Maneva)

Sabe aquela música que emociona? Maneva é uma banda de reggae brasileira que consegue balançar o coração…

 

3-  True Love (Eivør)

Já pensou como certos amores são impossíveis? O clipe dessa música fará vocês pensarem ainda mais na sorte que tem por estar ao lado de alguém especial.

 

4- Eu não existo sem você (Tom e Vinicius)

Clássico da Mpb delicioso pra se ouvir a dois!

 

5- Fly me to the moon (Frank Sinatra)

Como deixar a voz do século de fora de uma lista romântica? Não pode!

 

6- Céu Azul (CBjr)

Um poeta controverso. Um músico amado por muitos, criticado por outros tantos…

 

7- Ne me quitte pas (Maysa)

A letra é bem triste e talvez eu devesse incluí-la na próxima playlist, entretanto, por algum motivo essa música é tão boa para ouvir a dois…

8 –  Meu amor (Ana Muller)

Essa menina é uma prova de que ainda somos capazes de produzir uma Mpb de qualidade! Perfeita!

 

9- Maneva – Luz que me traz paz

10 – Te quiero (Susana Baca)

Essa talvez não seja uma canção muito conhecida no Brasil, mas vale a pena ouvir!

 

3- PLAYLIST PARA OUVIR SE ESTIVER SOZINHO(A) NO DIA 12 DE JUNHO

1- Fragmentar (Ana Muller)

 

2 e 3 – Sea of heartbreak e Hurt (Johnny Cash)

Lembra que eu falei que Cash tinha repertório pra todos os momentos?  Só pra provar vou colocar duas canções dele pra ouvir quando estiver triste!

 

 

4- Gloomy Sunday

Essa música é realmente bastante triste! A original é húngara, mas eu gosto mais da versão na voz da Billie Holyday

5- La solitudine

6- O que falta em você sou eu (Marília Mendonça)

7- Gostoso demais (Maria Bethânia)

8 – Depois de ter você (Maria Bethânia e Adriana Calcanhoto)

9- O destino não quis (Maneva)

10 – La barca (Luis Miguel)

 

Então, o que acharam das três playlist especiais que preparei pro mês mais romântico do ano? Qual música incluiriam?


Pra quem ainda não sabe, o blog tem uma página no facebook: Devaneios e Poesias e lá eu posto um monte de coisinhas que não costumo postar aqui: Fotos, músicas, TAGs… Curtam lá!

Outra novidade: Agora eu tenho um Instagram, ainda estou aprendendo a usá-lo, mas fica o convite para que me sigam! darlene_poetisa

 

Desafio Cinetoscópio dos 30 dias #17: Um filme com um vilão inesquecível

A Vila dos Amaldiçoados

Numa pequena cidade norte-americana, um estranho fenômeno faz com que todos os habitantes fiquem desacordados por 6 horas. Após algumas semanas todas as mulheres da cidade descobrem estar grávidas. As crianças nascidas são todas fisicamente muito semelhantes e formam pares- exceto David, que apesar de ser idêntico aos outros fisicamente consegue desenvolver sentimentos mais humanos numa silenciosa discordância de seus pares, aparentemente porque ficou sem sua “parceira”, levada para estudos pela agente do governo Susan Verner, e dada como morta. As crianças, durante todo o processo de crescimento, mostram-se precoces e muito maldosas, utilizando-se de poderes mentais que possuem para fazer coisas de terríveis, como forçar suicídios. E é entre as crianças que encontrei uma vilã inesquecível: A pequena Mara, que parece liderar o grupo. Ela tem um rostinho tão angelical e um jeitinho tão doce de falar que é difícil imaginá-la como uma menina má!

O filme é um remake de um outro filme de 1960, chamado “A aldeia dos amaldiçoados”. Vale muito a pena assistir!

Desafio Cinetoscópio #16: Um filme que você nunca assistiria de novo

50 tons de cinza (trilogia). Sei que esses filmes são os queridinhos de muitos leitores e leitoras, mas não é aquele filme para se assistir duas vezes. A obra cinematográfica apenas cumpre o que promete -Uma narrativa rasa, machista, que objetifica a mulher, banaliza o amor e o sexo e, para agravar ainda mais a situação, coloca a personagem em uma situação em que a violência do homem é “explicada” pela sucessão de traumas pelos quais ele passou na infância – muito embora traumas da infância possam ser sim fontes de comportamentos violentos, tais comportamentos não podem ser naturalizados e justificados por uma violência sofrida na infância. E a personagem feminina? Insegura, Anastasia navega entre submissão e momentos em que quer demonstrar personalidade forte e independente. Uma jovem inteligente, apática e muito atrapalhada. Por outro lado, a personagem masculina é dominadora, invasiva e bastante problemática. Em alguns momentos surge um humor ruim (relacionados em sua maioria ao sexo). No livro a descrição detalhada das cenas prende a atenção – é possível ler e imaginar um voo de ultra leve e outros cenários de muito de luxo -tais cenas poderiam ser mais bem exploradas no filme, bem como as citações literárias maravilhosas que constam no livro e não aparecem no filme. Com certeza vou assistir o próximo da trilogia, afinal, o elenco é bacana e eu estou curiosa para assistir ao desfecho, mas não assistiria novamente nenhum filme dessa saga.

 

Desafio Cinetoscópio #15: Um filme de animação

Uma misteriosa garrafa com um pedido de socorro chega aos simpáticos ratinhos do mundo inteiro que mantém um salão no prédio das Nações Unidas. Bianca, uma chamosa ratinha, oferece-se como voluntária para resgatar a menininha Penny, autora do bilhete e, para acompanhá-la, escolhe Bernardo, o zelador. Inicia-se aí uma aventura de tirar o fôlego e arrancar muitos risos.

É uma das minhas animações preferidas da Disney, pois além de ser fofinha e divertida, também consegue incluir uma dose de romance sem cair na velha fórmula do “príncipe encantado” e da “princesa” – As personagens femininas da animação tem ações próprias, são inteligentes, tem personalidade forte, são corajosas nos momentos certos, demonstram medo em outros momentos, não por serem mulheres, mas por ser o medo uma emoção humana (apesar da personagem ser uma ratinha, ela é humanizada, apresenta comportamentos humanos). Uma animação de 1977 que certamente marcou gerações! Vale muito a pena assistir!

Quer saber mais sobre o Desafio Cinetoscópio dos 30 filmes? Acesse aqui!

Desafio cinetoscópio #14: Um filme da sessão da tarde

Um dos meus filmes favoritos na infância, “Elvira, a Rainha das Trevas”, marcou lugar na sessão da tarde no inicio dos anos noventa.

O enredo é bem simples e por isso é bem difícil comentar com detalhes sem revelar a trama, mas em resumo pode-se contar que uma caricata e sexy apresentadora de filmes de terror recebe a notícia de que é herdeira de sua rica tia e segue animada para a cidade pequena onde deve ocorrer a leitura do testamento. Desde o início, fica claro que a desinibida Elvira jamais se encaixaria naquela cidadezinha e esse é o início de um filme que promete algumas horas de risadas (mesmo nas horas que pretendem ser tensas).

O filme é ideal para quem procura risadas e pouco romance e a boa notícia – Dá pra assistir no Youtube!

 

The Vampire Diaries – As emoções finais

Foram oito anos acompanhando, torcendo, chorando e se apaixonando. Quem é fã sabe a ansiedade entre o último episódio de uma temporada e a confirmação da data do primeiro episódio da próxima. E, feliz ou infelizmente, uma hora aquela notícia tão temida aparece nos sites: Última temporada. E assim aconteceu com The Vampire Diaries, série que foi ao ar entre Setembro de 2009 e Março de 2017 e emocionou muita gente com seus personagens repletos de luz, trevas, batalhas internas e romances impossíveis ou quase impossíveis. Houve mortes que tiraram o espectador do chão ao desfazerem finais aparentemente felizes. Houve personagens incompatíveis que criaram laços e formaram casais fofos. E houve muita ação e momentos engraçados. The Vampire Diaries, apesar de inspirada numa coleção de livros com o mesmo nome, escritos por Lisa Jane Smith, a série de televisão tem diferenças muito grandes em relação aos livros.

Para quem ainda não assistiu, vale a dica: Assistam! Vale a pena cada capítulo! E, para os fãs que já estão sentindo-se órfãos de uma das melhores séries de todos os tempos, vale lembrar que ainda temos “The Originals”, spin-off da série que acompanha a vida da família Mikaelson, os vampiros originais, na cidade de Nova Orleans. Embora The Originals não seja uma série tão romântica quanto foi The Vampire Diaries, ela tem um elenco incrível e uma trama bem traçada – Ou seja: Assistam!

 

Desafio Cinetoscópio #13 – Um filme que te fez dar boas gargalhadas

Caramuru – A invenção do Brasil. Filme nacional, indicado pelo meu professor no segundo ano da faculdade. Na época, não assisti. Parecia tão desinteressante, sei lá, que me perdoem os fãs, mas geralmente acho os filmes do gênero comédia com o Selton Mello muito forçados no quesito comédia. O tempo passou, a faculdade acabou e, esses dias, pesquisando em antigas anotações da universidade, encontrei esse nome escrito a lápis num cantinho – Decidi assistir – Precisava descansar dos estudos e da vida por alguns momentos. Continuo achando um pouco forçada a atuação do Selton Mello, mas ainda assim, até que foi um filme divertido – posso criticar bastante a objetificação do corpo feminino, a malícia que os roteiristas do filme tentam nos fazer acreditar que fazia parte do dia a dia dos indígenas brasileiros (quando sabemos que, na verdade, foram eles os que perderam com a invasão portuguesa nessas bandas de cá). Enfim, o filme, eticamente falando, tem vários pontos negativos, mas, ainda assim me fez rir muito. Não sei se eu indico a vocês, acredito mesmo que não – Usem seu tempo pesquisando a história verdadeira de Caramuru e Paraguaçu, ou lendo, ou assistindo outros filmes. Caramuru – A invenção do Brasil. Filme nacional, indicado pelo meu professor no segundo ano da faculdade. Na época, não assisti. Parecia tão desinteressante, sei lá, que me perdoem os fãs, mas geralmente acho os filmes do gênero comédia com o Selton Mello muito forçados no quesito comédia. O tempo passou, a faculdade acabou e, esses dias, pesquisando em antigas anotações da universidade, encontrei esse nome escrito a lápis num cantinho – Decidi assistir – Precisava descansar dos estudos e da vida por alguns momentos. Continuo achando um pouco forçada a atuação do Selton Mello, mas ainda assim, até que foi um filme divertido – posso criticar bastante a objetificação do corpo feminino, a malícia que os roteiristas do filme tentam nos fazer acreditar que fazia parte do dia a dia dos indígenas brasileiros (quando sabemos que, na verdade, foram eles os que perderam com a invasão portuguesa nessas bandas de cá). Enfim, o filme, eticamente falando, tem vários pontos negativos, mas, ainda assim me fez rir muito. Não sei se eu indico a vocês, acredito mesmo que não – Usem seu tempo pesquisando a história verdadeira de Caramuru e Paraguaçu, ou lendo, ou assistindo outros filmes.

caramuru-2

Desafio Cinetoscópio #12 – Um filme com um final surpreendente

O décimo segundo desafio do “Desafio Cinetoscópio dos trinta filmes” propunha que se indicasse um filme com final surpreendente. Há vários filmes que se enquadrariam nessa categoria, mas um que assisti anos atrás me surpreendeu bastante. Trata-se de “Os outros” – Um filme que se passa pouco após o final da segunda guerra e conta a história de uma mãe e seus dois filhos que possuem uma rara alergia a luz e precisam ficar sempre no escuro. A família ainda guarda esperanças de que o marido – que fora pra guerra – retorne. A mãe das crianças é bem nervosa, o que torna tensa sua  a convivência com os filhos . No decorrer da história a família passa a ter problemas com fantasmas – O que nos levará ao desfecho surpreendente.

Apesar do cenário escuro e do suspense, o filme não é aterrorizante, então mesmo aqueles que não gostam de terror irão assistir tranquilamente. Vale comentar também que o enredo consegue prender a atenção e o elenco é muito bom. Por outro lado, o filme não é novo, então talvez muita gente já tenha assistido.

E vocês? Qual filme na opinião de vocês tem um final surpreendente?

O décimo segundo desafio do “Desafio Cinetoscópio dos trinta filmes” propunha um filme com final surpreendente. Há vários filmes que se enquadrariam nessa categoria, mas um que assisti anos atrás me surpreendeu bastante. Trata-se de “Os outros” – Um filme que se passa pouco após o final da segunda guerra e conta a história de uma mãe e seus dois filhos que possuem uma rara alergia a luz e precisam ficar sempre no escuro. A família ainda guarda esperanças de que o marido – que fora pra guerra – retorne. A mãe das crianças é bem nervosa, o que torna tensa sua  a convivência com os filhos . No decorrer da história a família passa a ter problemas com fantasmas – O que nos levará ao desfecho surpreendente.

Apesar do cenário escuro e do suspense, o filme não é aterrorizante, então mesmo aqueles que não gostam de terror irão assistir tranquilamente. Vale comentar também que o enredo consegue prender a atenção e o elenco é muito bom. Por outro lado, o filme não é novo, então talvez muita gente já tenha assistido.

E vocês? Qual filme na opinião de vocês tem um final surpreendente?

os-outros-duplo-dvd-original-usado-raro-d_nq_np_6233-mlb5042974558_092013-f

Desafio Cinetoscópio #11

Prosseguindo com o Desafio Cinetoscópio, cheguei ao desafio número 11! Hoje será dia de falar sobre um filme perturbador. Perturbador… Perturbador para mim é o mundo, e não o cinema. Mas a arte imita a vida não é verdade? Infelizmente muitas vezes sim. E a vida é perturbadora. Essa semana mesmo eu vi a notícia de uma mãe que assassinou o próprio filho nos últimos dias do ano passado. Motivo? O adolescente era homossexual. Isso me lembrou um filme que assisti : Orações para Bobby. No enredo uma mãe extremamente religiosa não aceita o filho homossexual. Ela não o mata. Não há violência física – mas há violência psicológica de sobra e isso tem um efeito devastador no jovem Bobby e em sua família. Esse filme não é muito atual, então talvez algumas pessoas já tenham assistido – de qualquer forma não falarei muito mais sobre o enredo para evitar contar o que acontece aos que ainda não assistiram. Em minha opinião o filme é perturbador por tratar-se de homofobia, agravando-se com o fato cruel da ação homofóbica dar-se dentro de casa, no seio da família, o único lugar que deveria ser o porto seguro daquele jovem tornando-se o inferno em sua vida. É perturbador por ser real, por acontecer de verdade em tantas famílias. Por resultar em dor e morte. Estamos no ano de 2017 e ainda é freqüente abrir o jornal e ver crimes baseados em preconceito e ódio – e, em se tratando de homofobia a religião infelizmente é um fator que reforça muito esse comportamento criminoso. Que tal deixar cada um utilizar o próprio corpo da forma como melhor lhe convém? Aprender de uma vez por todas que machismo, racismo e homofobia matam?

Querem assistir o filme indicado? É só clicar aqui

Luz, Câmera, Ação: 10 filmes que assisti esse ano e adorei

Olá leitores e leitoras, chegou o momento de fazer aquela lista dos filmes que eu assisti e adorei! Não me julguem pelos filmes que assisto! Estava aqui relembrando tudo que assisti este ano e a lista dos que eu mais gostei parece a lista de uma menina de 16 anos!

  • High School Musical: Na verdade não é um filme, e sim uma trilogia. Aquele romance bem água com açúcar que segue uma lista de elementos previsíveis: Menino e menina se conhecem em uma festa durante as férias e, no primeiro dia de aula descobrem que são colegas de sala – aí surgem os amigos, os rivais, as intrigas e os momentos bonitinhos e românticos. Tenho certeza que há vários filmes assim, mas essa trilogia por algum motivo me encanta. Talvez a questão da música, tão presente nos três filmes. Talvez o casal principal que é simplesmente muito fofo… Vale a pena assistir!
  • Irmãs Vampiras: Outro filme padrão 15 anos de idade. Apesar do título, as meninas não são vampiras, são meio vampiras, meio humanas. É romântico e muito engraçado
  • A um passo da eternidade: Esse filme é antigo,muito antigo mesmo! E é um dos meus favoritos. Um filme sobre a guerra, romântico, dramático e estrelado por ninguém menos que meu ídolo: Sinatra.
  • Em busca da Terra do Nunca: Um filme baseado em fatos reais sobre J.M Barre, o autor da história do Peter Pan e o fato que o inspirou a escrever sua melhor obra! Lindo e muito tocante.
  • Se eu ficar: O filme é baseado em um livro com o mesmo nome e conta a história de uma jovem estudante de música que acabou de terminar o namoro com o seu primeiro amor, um músico poucos anos mais velho. Ela e a família sofrem um acidente de carro onde todos morrem e ela fica entre a vida e a morte e tem que decidir se irá voltar e prosseguir numa vida sem as pessoas que ama, ou se irá desistir e morrer com eles. Ela revisita várias coisas que aconteceram durante a vida, o inicio de seu amor pela música, o momento em que conhece o namorado, o término. É um filme bonito e bem triste e eu estou aguardando muito a continuação dele.
  • Como eu era antes de você: Outro filme dramático, baseado em literatura do tipo “mais vendidos para adolescentes”. O filme conta a história de um homem jovem, rico e ousado que ficou paraplégico e de uma moça cuja família vive com certa dificuldade. Ela é contratada pela família dele para acompanhá-lo e fazer com que ele desista de cometer um suicídio assistido. A convivência e a forma como ele a ajuda a vencer sua insegurança acabam transformando a relação em um romance muito bonito, mas eu não vou contar o final para vocês. Assistam!
  • Orações para Bobby: É um filme sobre família e preconceito. Não vou fazer uma sinopse aqui porque ele vai ser tema daquela tag “Desafio Cinetoscópio dos 30 filmes”. Aguardem!
  • Dança com lobos: É outro filme antigo (coloca antigo nisso) que minha mãe me apresentou esse ano. Eu precisava assistir um filme que ganhou um Oscar e que, na minha opinião, mereceu o prêmio (coisas do Desafio Cinetoscópio dos 30 filmes) e estava sem idéias! Pedi opiniões da minha mãe e ela me indicou esse filme. Adorei! Também não vou falar muito sobre ele aqui, pois será tema de post em 2017
  • O Primo Basílio: Nessa lista não poderia faltar um filme baseado em livro, não é? O Primo Basílio foi um dos meus livros preferidos na adolescência, na época do colégio, então, quando vi que havia um filme quis assistir imediatamente, eu já postei o resumo dele aqui no blog e só posso dizer: Assistam! E leiam o livro!
  • Escrevendo uma nova vida: Um filme muito bonito sobre uma adolescente que sonha em seguir carreira como cantora e um dia recebe uma carta de um senhor desconhecido. Ela o procura e descobre que se trata de um idoso que escreve cartas para as pessoas, pois é a maneira que encontrou de fazer seu dom trazer luz para a vida delas. Nasce então uma amizade muito bonita entre os dois. O filme é emocionante! Vale a pena assistir.

E vocês? Quais filmes assistiram esse ano? Quais vocês indicam? E Quais não indicam?

492694660