10 músicas nem tão infantis que foram sucesso entre as crianças dos anos 90

Se você tem entre 25 e 30 anos há uma grande possibilidade de ter passado boas tardes ouvindo rádio FM e curtindo músicas que arrepiavam os cabelos dos adultos mais conservadores. Provavelmente hoje você lembra pouco ou quase nada desta fase, não é verdade? Em homenagem ao dia das crianças, vamos relembrar algumas dessas músicas e rir um pouco das baboseiras que a gente cantava e dançava?

  • Mamonas Assassinas: 

    A banda teve uma carreira meteórica e curta, interrompida por um trágico acidente aeronáutico. Embora o conteúdo das canções fosse claramente voltado aos adultos, o sucesso foi estrondoso entre os menores. Vamos falar a verdade, eles eram realmente engraçados e às vezes eu me pergunto se eles escondiam preconceito dentro do humor musical ou se era uma forma de ironizar o sistema social.

  • É o Tchan:

    Coreografias sensuais, mulheres objetificadas, pouca roupa, muito rebolado: Safadeza infinita. Quem foi criança em meados dos anos 90 ou início dos anos 2000 com certeza conhece refrões como “Ela fez a cobra subir, a cobra subir, a cobra subir”. Acredito que muitas meninas sonhavam em ser a próxima loira ou morena do Tchan e sabiam todas as coreografias.

    https://youtu.be/zQ_1Ozg7NsU

  • Bonde do Tigrão:

    Sim, nós que hoje temos 30 anos, fomos uma das primeiras gerações a ser direta e massivamente influenciada pelo funk, que foi moda e invadiu casas, escolas e festinhas. Se na época frases como “Vou passar cerol na mão” chocavam nossos pais, avós e professores, hoje percebemos que era só o começo de uma moda que polêmica ou não, vem se mantendo com o passar dos anos.

  • Tihuana

    Tenho saudades da época que tocava essa música no intervalo da escola!

     

  • Banda Eva/Ivete Sangalo:

Atire a primeira pedra quem nunca 5- cantou “Carro Velho” no carnaval…

  • Claudinho e Buchecha:

Outra dupla que teve a carreira interrompida por um acidente automobilístico. Foram com certeza parte da trilha sonora da criançada.

  • Netinho:

“Oh Milaaaaa”… Confesse: Quantas vezes sua família teve que ouvir esse refrão grudento mesmo fora da época de carnaval?

    •  Raimundos:

Essa música tocava no intervalo do colégio… Adequada #sóquenão

    Charlie Brown Júnior:

O eterno poeta do skate, das ruas e dos corações livres conquistou uma geração de fãs que até hoje, após a sua morte, ainda escutam e curtem aquele som único…

  • Gabriel O Pensador: Cachimbo da paz não é bem uma música infantil, mas, quem nunca cantarolou “maresia, sinta a maresia” pensando tratar-se do mar?(Infelizmente não consegui incorporar no blog o vídeo oficial, então o jeito foi usar essa montagem que encontrei no youtube)
Anúncios

20 músicas inspiradas em obras literárias

Estamos em Setembro – mês de entrada da primavera, mês de flores e calor voltando e, mês da nossa #PrimaveraLiterária (Conheça o projeto clicando aqui).  Então nada mais apropriado que falar muito de literatura aqui no blog.

Hoje eu separei uma playlist muito especial só com músicas inspiradas em poemas e livros, afinal, nossa #PrimaveraLiterária merece uma trilha sonora perfeita, não é verdade?

  • Amor pra recomeçar

A música eternizada na voz de Frejat foi inspirada no poema Desejo, de Vitor Hugo. A canção é, assim como o poema, uma expressão de desejos para a vida. Vale a pena ler e ouvir!

 

  • Monte Castelo

 

Renato Russo utilizou trechos do soneto 11 de Luís de Camões, juntamente com trechos bíblicos. É uma canção tocante.

 

 

  • Luzes

Arnaldo Antunes também transformou poesia em música – neste caso uma poesia de Paulo Leminski – Luzes. O ritmo da canção ficou bem interessante, instigante e gostoso de se ouvir!

 

  • Valsinha

Vinicius de Moraes escreveu em 1970 o poema valsinha, que foi logo adaptada por Chico Buarque, passando a fazer parte do repertório do artista.

 

  • Fanatismo

Fagner encarregou-se de transformar a poesia homônima de Florbela Espanca em uma canção romântica.

 

  • Funeral de um lavrador

Atire a primeira pedra quem não leu, amou ou odiou o poema Morte e Vida Severina nos tempos de colégio. A obra de João Cabral de Melo Neto foi inspiração para a canção Funeral de um lavrador, escrita por Chico Buarque um ano após o golpe militar

 

 

  • Medroso de Amor

O poema de Juvenal Galeano foi transformado em música pelo pianista Alberto Nepomuceno, ficando conhecida em 1968 na voz de Nara Leão.

 

8)Minha namorada

Outro poema de Vinicius de Moraes que tornou-se música.

 

9)The sound of silence

Paul Simon baseou a atmosfera pesada dos versos no recém lançado romance, Fahrenheit 451, do então jovem romancista  Ray Bradbury.

 

10) A revolta dos dândis

Humberto Gessinger (Engenheiros do Havaí) se inspirou no capítulo “A revolta dos dândis”, do escritor francês Albert Camus, para escrever a canção homônima.

 

11) The trooper

Quem disser que rock não é cultura só pode estar mentindo. Há várias canções famosas que foram inspiradas em obras literárias. The trooper, por exemplo, foi inspirada no poema The Charge of the Light Brigade, de Alfred, Lord Tennyson. Aviso que a letra é bem pesada, tensa mesmo.

 

12) Amor I Love You

Marisa Monte canta trechos do clássico “O Primo Basílio” nesta canção romântica e bastante conhecida!

 

13) Admirável chip novo

Quem gosta de literatura e distopia já consegue perceber que uma das músicas mais conhecidas da cantora Pitty foi inspirada no livro Admirável Mundo Novo, de Audous Huxley

 

14) Animals

Novamente o rock mostra que também é cultura! O disco Animals, da banda Pink Floyd, foi inspirado no clássico “A revolução dos bichos”, do escritor George Orwell.  O livro concentra-se no comunismo, já o álbum é uma crítica direta ao capitalismo.

Deixou aqui a música Dogs, mas vale a pena ouvir o álbum inteiro!

 

15) The phantom of the Opera

A banda Nightwish buscou referências no romance O fantasma da ópera, de Gastón Leroux.

 

16) O gondoleiro do amor

Castro Alves escreveu este belo poema, que faz parte do único livro que o autor pôde revisar em vida, Espumas Flutuantes. Anos depois ele ganhou uma versão musical bastante melodiosa. Deixarei aqui minha interpretação favorita, na voz de Dilermando Reis e Francisco Petrônio

 

17) The Death Of Manfred

Para os amantes de música instrumental, deixo esta obra prima de Luís de Freitas Branco , composta em 1906 inspirada na obra de Lord Byron (um dos meus poetas favoritos). Como se poderia esperar, a música tem tons sombrios!

 

18) My lost Lenore

A banda Tristânia se baseou no poema Lenore, de Edgar Allan Poe, para compor a canção My lost Lenore. O poema fala sobre a morte e casou muito bem com os acordes do rock/metal

 

19) The Raven

Outra canção inspirada em Edgar Allan Poe, desta vez de autoria da banda The Alan Parsons Project e com estilo Rock Progressivo.

 

20) Elvenpath

Como deixar de fora Nightwish e sua relação com J.R.R Tolkien, autor da trilogia “O Senhor dos Anéis”. Elvenpath, cuja tradução é “A trilha Élfica” faz referências diretas ao universo de Tolkien.

 

Gostaram? Comentem o que acharam! E não se esqueçam de participar da Primavera Literária dia 23 de Setembro!

 

 

 

15 músicas para conhecer um pouquinho do mundo!

Cada país tem uma cultura diferente, e isso se reflete em seus costumes, em sua cultura e, consequentemente em sua música. Na minha página do Facebook eu iniciei um #Tag #MúsicadoMundo, onde pesquiso um pouquinho sobre os países (bem pouco mesmo infelizmente) e compartilho uma música de lá que tenha me agradado (sei que é super personalista escolher o que eu mais gosto em vez de pesquisar mais sobre críticos influentes e etc. então me perdoem essa falha), enfim, deu vontade de postar alguns dos primeiros vídeos que compartilhei no Facebook por aqui, para que conheçam um pouco!

  1. Africa do Sul
África do Sul ou República da Africa do Sul é um país localizado no Extremo Sul da África. O país possui três capitais: Pretória (capital executiva), Cidade do Cabo (Legislativa) e Bloemfontein (capital judiciária) e reconhece 11 idiomas oficiais, sendo os principais o africâner e o inglês sul-africano

Música:  Vulindlela (Brenda Fassie)

 

2. Benin

Benin ou República do Benin é um país Africano, cuja capital é Porto Novo. Sua história é bastante triste, tendo-se em vista ter sido conhecida como “Costa dos Escravos” até a abolição da escravatura. Após esse período, Benin foi batizada como Daomé Francesa, permanecendo colônia da França até sua independência em 1960, com o nome de “República de Daomé”, e, somente em 1975 adotou o atual nome. Atualmente o país é uma república presidencialista, cujo idioma oficial é o Francês. O país apresenta um IDH considerado baixo, com sua atividade econômica baseada principalmente na agricultura de subsistência, exportação de algodão e têxteis, além de cacau. Em questão de religião, convivem no país muçulmanos, cristãos e praticantes de outras tradições religiosas locais, dentre elas o vodun.

Música: Malaika (Angelique Kidjo)

 

3- Botswana

A música do país é uma mistura animada de sons, misturando tradição e influências internacionais como o rock, o soul e até mesmo a rumba.

Música: Tsala (Dikakapa)

 

4- São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe é um Estado insular localizado no continente africano; foi colônia portuguesa até 1975, por isso o idioma oficial é o Português. O país tem como moeda oficial a Dobra, e sua principal atividade é o turismo. É uma república semipresidencialista e, em relação a religião, possui maioria católica, mas há espaço para diversas vertentes  Religiosas

 

5- Canadá

É um país que ocupa grande parte da América do Norte, é o segundo maior país do mundo. O Canadá é uma federação composta por dez províncias e três territórios, uma democracia parlamentar e uma monarquia constitucional, com a rainha Isabel II como chefe de Estado — um símbolo dos laços históricos do Canadá com o Reino Unido — sendo o governo dirigido por um primeiro-ministro. Sua capital é Otawa e seus idiomas oficiais são o francês e o inglês.

Música: Loreena Mckennitt (All Souls Night)

 

6- Antígua e Barbuda

País independente constituído por 37 ilhas localizadas entre o Mar do Caribe e o Oceano Atlântico. Seus primeiros habitantes surgiram há mais de 4000 anos. Descobertos em 1493 por Cristovão Colombo, foram colonizados pela Espanha, sendo vendidas em 1667 para a Grã-Bretanha. O país só se tornou independente em 1981. Apesar de independente, o país reconhece a Rainha Elizabete II como Chefe de Estado. O país tem o inglês como idioma oficial e sua capital é Saint John’s. O país possuí dois ritmos típicos – o calipso e a soca.

 

7- Argentina

A Argentina, oficialmente República Argentina, é o segundo maior país da América do Sul em território e o terceiro em população, constituída como uma federação de 23 províncias e uma cidade autônoma, Buenos Aires. É o oitavo maior país do mundo em área territorial e o maior entre as nações de língua espanhola, embora México, Colômbia e Espanha, que possuem menor território, sejam mais populosos. O país tem como idioma oficial o espanhol, sua capital é Buenos Aires e sua moeda é o peso argentino.
Confesso que é difícil escolher apenas um artista para postar! Amo a música argentina, amo a sonoridade do espanhol falado/cantado por lá. O país é marcado musicalmente pelo tango e, apesar de gostar imensamente de Carlos Gardel, hoje decidi compartilhar uma banda de rock bem atual que conheci em companhia de um amigo muito querido e que hoje se tornou uma das minhas bandas internacionais favoritas: La Franela.

Música: Fue tan bueno (La Franela)

 

8- Peru

O Peru (capital Lima), oficialmente República do Peru, é um país latino-americano banhado pelo Oceano Pacífico e com relevo bastante variado – que vai de planícies áridas a picos nevados e florestas. Sua população, estimada em mais de 30 milhões de pessoas, é de origem multiétnica, sobrevivendo principalmente de atividades como a agricultura, a pesca e a exploração mineral, além da manufatura de produtos têxteis. Apesar de o idioma oficial ser o espanhol, idiomas típicos como o quíchua são muito utilizados.

Música: Te quiero (Susana Baca)

 

9 – Afeganistão

O Afeganistão,oficialmente República Islâmica do Afeganistão é um país de clima desértico que está localizado no centro da Ásia, possui cerca de 29 milhões de habitantes, tem uma área de 647 500 km², sendo o 40.º país mais populoso do mundo. O país possui dois idiomas oficiais: pachto e dari e se divide em 34 províncias, sendo Cabul sua capital.  Pesquisando um pouco sobre o país, descobri que a música e as artes em geral foram banidas da vida da população pelo Taleban.  Descobri também que o próprio Taleban produziu músicas que a população poderia escutar: Utilizando-se de canções folclóricas no país, eles criaram músicas com mensagens que incitam as pessoas a se sacrificarem na Jihad (Guerra Santa). Infelizmente é bem difícil encontrar as músicas tradicionais afegãs traduzidas e, para não divulgar acidentalmente as versões alteradas de tais canções, decidi escolher uma música mais moderna, de um dos poucos cantores afegãos que consegui encontrar.

Música: Waqte Arosi Aftaw Az Khana Mebarya ( Farhad Darya Nashir)

 

10 – Emirados Árabes Unidos

Os Emirados Árabes Unidos são a união de sete emirados (emirados é o equivalente a principados):  Abu Dhabi, Dubai, Sharjah, Ajman, Umm al-Quwain, Ras al-Khaimah e Fujairah localizados no Sudeste na Península Arábica. Sua capital é Abu Dhabi, sua religão oficial é o Islamismo e o idioma oficial é o árabe.

Música: Boshret Kheir (Hussain All Jassmi)

11 – Arábia Saudita

A Arábia Saudita localiza-se na Península Arábica. O país, cujo nome oficial é Reino da Arábia Saudita, possui o maior território da Ásia Central e, apensar de relativamente jovem , uma vez que oficialmente foi fundado em 1932, possui uma ecomonomia classificada como de alta renda, baseada principalmente no petróleo. Sua capital é Riade, a moeda oficial é o Riyal e o idioma o Árabe. Seu sistema de governo é uma monarquia absolutista e teocrática e não possui uma legislação independente da religião – o Alcorão, livro sagrado do islã, é também a lei aplicada no país.  Infelizmente não encontrei nenhum artista de nacionalidade Saudita, é uma pena não ter nada tradicional para compartilhar com vocês. Quem sabe um dia?

12- Vietnã

O Vietnã, ou oficialmente, República Socialista do Vietnã, é um país localizado no sudoeste asiático, na península da Indochina.   O país é um estado unitário, governado pelo presidente e primeiro ministro, possui idioma próprio – o vietnamita, moeda própria – o Dong e uma longa história, infelizmente marcada pela colonização francesa e por guerras sangrentas. Em relação à religião, convivem no território vietnamita o Budismo, o Taoísmo,  o confucionismo e o catolicismo predominantemente, além de outras religiões como o Hao-Hao, por exemplo. O país é culturalmente rico, com trajes, culinária, música e literatura tradicionais.

Música : Vê Vói Dông (Hông Nhung)

 

13- Albânia

A Albânia oficialmente República da Albânia é um pequeno país montanhoso da península Balcânica, no sudeste da Europa. Tem uma área total de 28 748 km² e uma população de cerca de 3 milhões de pessoas. A capital, Tirana, é a maior cidade do país. Economicamente, é um dos países menos desenvolvidos da Europa, mas seu IDH é superior ao brasileiro. A moeda oficial do país é o Lek. Um dado interessante: Em 1967 todas as igrejas e mesquitas foram fechadas e as práticas religiosas proibidas e, apenas em 1990 o governo passou a permitir práticas religiosas particulares. A maioria da população do país é muçulmana. Dentre tantas vozes bonitas que encontrei na pesquisa sobre o país, escolhi a cantora Emmy (nome artístico de Elsina Hidersha), uma linda jovem assassinada em 2011 pelo ex-namorado. Infelizmente o machismo e a violência contra a mulher fazem vítimas todos os dias e cabe a cada uma de nós lutar pela construção de uma sociedade livre e pela desconstrução do machismo e dos preconceitos que causam tantas vítimas a cada dia

Música: A ma jep (Emmy)

https://www.youtube.com/watch?v=sbOWHMcy9A0

14- Andorra

Andorra,  Principado de Andorra ou Principado dos Vales de Andorra é um país europeu localizado entre o noroeste da Espanha e o sudoeste da França. É um país com a expectativa de vida alta – 83,52 anos. Sua lingua oficial é o Catalão, mas também tem como idiomas o castelhano, o português e o francês. É o sexto menor país da Europa e sua capital é Andorra la Vella (Andorra – a – velha).

Música: Jugarem a estimar-nos (Marta Roure)

 

15- Lituânia

Localizada no continente europeu, a  Lituânia é uma das três Repúblicas Bálticas. O país fundado em 1253, sofreu ocupações pela Rússia/Prússia, em 1795, posteriormente foi ocupada pelos soviéticos (1940), pelos Nazistas, novamente pelos soviéticos (1944), tendo sua independência restaurada em 1990. Sua população apresenta índices decrescentes de crescimento. O país é uma república semipresidencialista, cuja moeda oficial é o Euro, o idioma oficial é o Lituano e sua capital, Vilnius é a cidade mais populosa do país.

Música: Saules Miestras (Andrius Mamontovas)

 

16- Tuvualu

Tuvalu, localizado ao Sul da Oceania,  é um Estado da Polinésia, formado por um grupo de nove ilhas e atóis. Sua capital é Funafuti. Seu território é pequeno, e corre risco de desaparecer devido ao aquecimento global. O país é uma monarquia constitucional, cujo idioma oficial é o Inglês tuvualano e a moeda é o Dólar de Tuvalu ou o Dólar Australiano. Noventa e sete por cento da população é protestante.  O país tem apenas um hotel, não possui museus ou emissoras de TV. Curiosamente é o país do mundo que menos polui, apesar de ser um dos que mais sofre as conseqüências da poluição. Pesquisando por músicos de Tuvualu, só encontrei um – Afaese Manoa. Ele é escritor e músico e compôs o Hino Nacional de Tuvualu  “Tuvualu mo me Atua” na ocasião da independência do país, que, como a maioria das obras do autor, é marcado pela religiosidade. É a única música disponível no youtube!

17 – Jordânia

A Jordânia está estrategicamente localizada no cruzamento da Ásia, África e Europa. Sua capital e cidade mais populosa é Amã.  O país tem como idioma oficial o Árabe e como moeda oficial o Dinar Jordaniano. O país é uma monarquia unitária e a religião é majoritariamente o islã sunita, havendo também cerca de 6% de cristãos.

Música: Mind Controller (Ayah Marar). Aviso: A artista foge completamente do que se esperaria de países Árabes!

 

Gostaram? Em breve posto mais vídeos de artistas mundo a fora!

 

Playlist: Dia dos Namorados

Boa noite! Tudo bem? O tema deste mês só pode ser um: Amor! Como vocês sabem, eu simplesmente amo música e não poderia deixar de sugerir uma playlist bem romântica para o dia dos namorados, não é verdade? Mas, como a vida está difícil e não é todo mundo que vai encontrar aquela pessoa especial na segunda feira, decidi fazer três playlists: A primeira só com músicas para se declarar pro seu amado ou amada. A segunda para curtir bem agarradinho num lugar aconchegante e, a terceira para chorar no quentinho do seu quarto e curtir aquela saudade dos momentos vividos ou não com aquela pessoa que você ama mas que não corresponde os seus sentimentos (infelizmente isso pode acontecer). E a terceira pra curtir juntinho com o namorado ou namorada ❤

 

PLAYLIST PARA DAR AQUELA INDIRETA E DIZER “EU TE AMO”

1 – Ana Muller – Sua.

Uma das minhas músicas favoritas no momento. Escuto umas mil vezes por dia e se estivesse namorando ia mandar pro amado pelo menos uma vez por semana…rs

 

2- Garoto Errado (Manu Gavassi)

Pode ser bem juvenil, mas com toda simplicidade é uma forma de dizer “Hey, eu existo e gosto de você”

3 – De janeiro a janeiro (Roberta Campos)

Outra letra simples, doce e linda!

 

4- Me namora (Edu Ribeiro)

Uma declaração dessas… Sem palavras!

 

5 – The first time ever I saw your face  (Johnny Cash)

Não tem como resistir a uma declaração dessas, não é verdade? Uma canção sobre a primeira vez em que você viu a pessoa amada!

6 -Pela luz dos olhos teus (Tom e Miucha)

Não poderia faltar esse clássico da nossa Mpb na lista, não é verdade?

 

7 – Dio, come ti amo

Uma canção que poucos conhecem e cuja letra é de longe uma das mais belas!

 

8 – Your song

Outra letra belíssima!

 

9 – A Thousand Years (Christina Perri)

Não poderia faltar na lista!

 

10 – Eu sei que vou te amar

Outro clássico da Mpb que não poderia faltar na lista de músicas para declarar seu amor!

 

PLAYLIST PARA OUVIR BEM AGARRADINHOS

1- You Are My Sunshine (Johnny Cash)

Johnny Cash tem repertório pra declarar um grande amor, pra curtir juntinho e pra curtir aquela tristeza também… Um compositor/cantor completo!

 

2- Reviso meus planos (Maneva)

Sabe aquela música que emociona? Maneva é uma banda de reggae brasileira que consegue balançar o coração…

 

3-  True Love (Eivør)

Já pensou como certos amores são impossíveis? O clipe dessa música fará vocês pensarem ainda mais na sorte que tem por estar ao lado de alguém especial.

 

4- Eu não existo sem você (Tom e Vinicius)

Clássico da Mpb delicioso pra se ouvir a dois!

 

5- Fly me to the moon (Frank Sinatra)

Como deixar a voz do século de fora de uma lista romântica? Não pode!

 

6- Céu Azul (CBjr)

Um poeta controverso. Um músico amado por muitos, criticado por outros tantos…

 

7- Ne me quitte pas (Maysa)

A letra é bem triste e talvez eu devesse incluí-la na próxima playlist, entretanto, por algum motivo essa música é tão boa para ouvir a dois…

8 –  Meu amor (Ana Muller)

Essa menina é uma prova de que ainda somos capazes de produzir uma Mpb de qualidade! Perfeita!

 

9- Maneva – Luz que me traz paz

10 – Te quiero (Susana Baca)

Essa talvez não seja uma canção muito conhecida no Brasil, mas vale a pena ouvir!

 

3- PLAYLIST PARA OUVIR SE ESTIVER SOZINHO(A) NO DIA 12 DE JUNHO

1- Fragmentar (Ana Muller)

 

2 e 3 – Sea of heartbreak e Hurt (Johnny Cash)

Lembra que eu falei que Cash tinha repertório pra todos os momentos?  Só pra provar vou colocar duas canções dele pra ouvir quando estiver triste!

 

 

4- Gloomy Sunday

Essa música é realmente bastante triste! A original é húngara, mas eu gosto mais da versão na voz da Billie Holyday

5- La solitudine

6- O que falta em você sou eu (Marília Mendonça)

7- Gostoso demais (Maria Bethânia)

8 – Depois de ter você (Maria Bethânia e Adriana Calcanhoto)

9- O destino não quis (Maneva)

10 – La barca (Luis Miguel)

 

Então, o que acharam das três playlist especiais que preparei pro mês mais romântico do ano? Qual música incluiriam?


Pra quem ainda não sabe, o blog tem uma página no facebook: Devaneios e Poesias e lá eu posto um monte de coisinhas que não costumo postar aqui: Fotos, músicas, TAGs… Curtam lá!

Outra novidade: Agora eu tenho um Instagram, ainda estou aprendendo a usá-lo, mas fica o convite para que me sigam! darlene_poetisa

 

Desafio Cinetoscópio dos 30 dias #17: Um filme com um vilão inesquecível

A Vila dos Amaldiçoados

Numa pequena cidade norte-americana, um estranho fenômeno faz com que todos os habitantes fiquem desacordados por 6 horas. Após algumas semanas todas as mulheres da cidade descobrem estar grávidas. As crianças nascidas são todas fisicamente muito semelhantes e formam pares- exceto David, que apesar de ser idêntico aos outros fisicamente consegue desenvolver sentimentos mais humanos numa silenciosa discordância de seus pares, aparentemente porque ficou sem sua “parceira”, levada para estudos pela agente do governo Susan Verner, e dada como morta. As crianças, durante todo o processo de crescimento, mostram-se precoces e muito maldosas, utilizando-se de poderes mentais que possuem para fazer coisas de terríveis, como forçar suicídios. E é entre as crianças que encontrei uma vilã inesquecível: A pequena Mara, que parece liderar o grupo. Ela tem um rostinho tão angelical e um jeitinho tão doce de falar que é difícil imaginá-la como uma menina má!

O filme é um remake de um outro filme de 1960, chamado “A aldeia dos amaldiçoados”. Vale muito a pena assistir!

Desafio Cinetoscópio #16: Um filme que você nunca assistiria de novo

50 tons de cinza (trilogia). Sei que esses filmes são os queridinhos de muitos leitores e leitoras, mas não é aquele filme para se assistir duas vezes. A obra cinematográfica apenas cumpre o que promete -Uma narrativa rasa, machista, que objetifica a mulher, banaliza o amor e o sexo e, para agravar ainda mais a situação, coloca a personagem em uma situação em que a violência do homem é “explicada” pela sucessão de traumas pelos quais ele passou na infância – muito embora traumas da infância possam ser sim fontes de comportamentos violentos, tais comportamentos não podem ser naturalizados e justificados por uma violência sofrida na infância. E a personagem feminina? Insegura, Anastasia navega entre submissão e momentos em que quer demonstrar personalidade forte e independente. Uma jovem inteligente, apática e muito atrapalhada. Por outro lado, a personagem masculina é dominadora, invasiva e bastante problemática. Em alguns momentos surge um humor ruim (relacionados em sua maioria ao sexo). No livro a descrição detalhada das cenas prende a atenção – é possível ler e imaginar um voo de ultra leve e outros cenários de muito de luxo -tais cenas poderiam ser mais bem exploradas no filme, bem como as citações literárias maravilhosas que constam no livro e não aparecem no filme. Com certeza vou assistir o próximo da trilogia, afinal, o elenco é bacana e eu estou curiosa para assistir ao desfecho, mas não assistiria novamente nenhum filme dessa saga.

 

Desafio Cinetoscópio #15: Um filme de animação

Uma misteriosa garrafa com um pedido de socorro chega aos simpáticos ratinhos do mundo inteiro que mantém um salão no prédio das Nações Unidas. Bianca, uma chamosa ratinha, oferece-se como voluntária para resgatar a menininha Penny, autora do bilhete e, para acompanhá-la, escolhe Bernardo, o zelador. Inicia-se aí uma aventura de tirar o fôlego e arrancar muitos risos.

É uma das minhas animações preferidas da Disney, pois além de ser fofinha e divertida, também consegue incluir uma dose de romance sem cair na velha fórmula do “príncipe encantado” e da “princesa” – As personagens femininas da animação tem ações próprias, são inteligentes, tem personalidade forte, são corajosas nos momentos certos, demonstram medo em outros momentos, não por serem mulheres, mas por ser o medo uma emoção humana (apesar da personagem ser uma ratinha, ela é humanizada, apresenta comportamentos humanos). Uma animação de 1977 que certamente marcou gerações! Vale muito a pena assistir!

Quer saber mais sobre o Desafio Cinetoscópio dos 30 filmes? Acesse aqui!

Desafio cinetoscópio #14: Um filme da sessão da tarde

Um dos meus filmes favoritos na infância, “Elvira, a Rainha das Trevas”, marcou lugar na sessão da tarde no inicio dos anos noventa.

O enredo é bem simples e por isso é bem difícil comentar com detalhes sem revelar a trama, mas em resumo pode-se contar que uma caricata e sexy apresentadora de filmes de terror recebe a notícia de que é herdeira de sua rica tia e segue animada para a cidade pequena onde deve ocorrer a leitura do testamento. Desde o início, fica claro que a desinibida Elvira jamais se encaixaria naquela cidadezinha e esse é o início de um filme que promete algumas horas de risadas (mesmo nas horas que pretendem ser tensas).

O filme é ideal para quem procura risadas e pouco romance e a boa notícia – Dá pra assistir no Youtube!

 

The Vampire Diaries – As emoções finais

Foram oito anos acompanhando, torcendo, chorando e se apaixonando. Quem é fã sabe a ansiedade entre o último episódio de uma temporada e a confirmação da data do primeiro episódio da próxima. E, feliz ou infelizmente, uma hora aquela notícia tão temida aparece nos sites: Última temporada. E assim aconteceu com The Vampire Diaries, série que foi ao ar entre Setembro de 2009 e Março de 2017 e emocionou muita gente com seus personagens repletos de luz, trevas, batalhas internas e romances impossíveis ou quase impossíveis. Houve mortes que tiraram o espectador do chão ao desfazerem finais aparentemente felizes. Houve personagens incompatíveis que criaram laços e formaram casais fofos. E houve muita ação e momentos engraçados. The Vampire Diaries, apesar de inspirada numa coleção de livros com o mesmo nome, escritos por Lisa Jane Smith, a série de televisão tem diferenças muito grandes em relação aos livros.

Para quem ainda não assistiu, vale a dica: Assistam! Vale a pena cada capítulo! E, para os fãs que já estão sentindo-se órfãos de uma das melhores séries de todos os tempos, vale lembrar que ainda temos “The Originals”, spin-off da série que acompanha a vida da família Mikaelson, os vampiros originais, na cidade de Nova Orleans. Embora The Originals não seja uma série tão romântica quanto foi The Vampire Diaries, ela tem um elenco incrível e uma trama bem traçada – Ou seja: Assistam!

 

Desafio Cinetoscópio #13 – Um filme que te fez dar boas gargalhadas

Caramuru – A invenção do Brasil. Filme nacional, indicado pelo meu professor no segundo ano da faculdade. Na época, não assisti. Parecia tão desinteressante, sei lá, que me perdoem os fãs, mas geralmente acho os filmes do gênero comédia com o Selton Mello muito forçados no quesito comédia. O tempo passou, a faculdade acabou e, esses dias, pesquisando em antigas anotações da universidade, encontrei esse nome escrito a lápis num cantinho – Decidi assistir – Precisava descansar dos estudos e da vida por alguns momentos. Continuo achando um pouco forçada a atuação do Selton Mello, mas ainda assim, até que foi um filme divertido – posso criticar bastante a objetificação do corpo feminino, a malícia que os roteiristas do filme tentam nos fazer acreditar que fazia parte do dia a dia dos indígenas brasileiros (quando sabemos que, na verdade, foram eles os que perderam com a invasão portuguesa nessas bandas de cá). Enfim, o filme, eticamente falando, tem vários pontos negativos, mas, ainda assim me fez rir muito. Não sei se eu indico a vocês, acredito mesmo que não – Usem seu tempo pesquisando a história verdadeira de Caramuru e Paraguaçu, ou lendo, ou assistindo outros filmes. Caramuru – A invenção do Brasil. Filme nacional, indicado pelo meu professor no segundo ano da faculdade. Na época, não assisti. Parecia tão desinteressante, sei lá, que me perdoem os fãs, mas geralmente acho os filmes do gênero comédia com o Selton Mello muito forçados no quesito comédia. O tempo passou, a faculdade acabou e, esses dias, pesquisando em antigas anotações da universidade, encontrei esse nome escrito a lápis num cantinho – Decidi assistir – Precisava descansar dos estudos e da vida por alguns momentos. Continuo achando um pouco forçada a atuação do Selton Mello, mas ainda assim, até que foi um filme divertido – posso criticar bastante a objetificação do corpo feminino, a malícia que os roteiristas do filme tentam nos fazer acreditar que fazia parte do dia a dia dos indígenas brasileiros (quando sabemos que, na verdade, foram eles os que perderam com a invasão portuguesa nessas bandas de cá). Enfim, o filme, eticamente falando, tem vários pontos negativos, mas, ainda assim me fez rir muito. Não sei se eu indico a vocês, acredito mesmo que não – Usem seu tempo pesquisando a história verdadeira de Caramuru e Paraguaçu, ou lendo, ou assistindo outros filmes.

caramuru-2