O caos da semana

Hoje sonda tripulada Crew Dragon retornou ao nosso planeta. Infelizmente, os dois tripulantes não irão encontrar um mundo melhor do que deixaram ao partir há dois meses. O planeta está, literalmente, pegando fogo: Ano passado a Amazônia brasileira sofreu com desmatamentos e queimadas, chegando inclusive a produzir uma nuvem de fumaça que alcançou a cidade de São Paulo. Este ano, os incêndios aumentaram 28% em relação ao mês de Julho/2019, sendo 77% destes incêndios em terras indígenas, colocando os povos originários em uma situação ainda mais perigosa. E por falar em fogo, há incêndios na Itália e também nos Estados Unidos, onde aproximadamente 8 mil pessoas precisaram deixar suas casas devido ao fogo que atinge parte da Califórnia. Aquecimento global, degradação ambiental e tragédias caminham lado a lado, mas aparentemente, os mais ricos, que efetivamente detém o controle econômico e político do mundo, não estão prontos para essa conversa. Por falar em poder político e econômico, uma reportagem veiculada no portal G1 pontuou que atualmente há 40 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza nos Estados Unidos da América – Ironicamente o país que “mete o nariz” onde não é chamado, não consegue ou não quer resolver suas próprias mazelas e acumula números vergonhosos como maior mortalidade infantil do mundo desenvolvido, expectativa de vida menor e menos saudável em relação a outros países ricos e uma grande taxa de encarceramento. Espero que o povo de lá consiga dar início em mudanças necessárias nas eleições deles em Novembro deste ano, não é? Eleições para as quais a nossa familícia presidencial recebeu um sutil cartão de “não se metam” através de uma postagem na qual Elitot Engel, da Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Estados Unidos da América diz que os Bolsonaros devem ficar longe das eleições americanas. Enquanto tudo isso acontece, a COVID-19 segue fazendo vítimas e nosso Brasil atinge o segundo lugar mundial no número de mortos – Temos mais mortos que países populosos e pobres como a Índia, por exemplo. E ainda assim o país segue enviando seu povo ao matadouro, reabrindo comércios e discutindo o retorno às aulas presenciais. Pratica-se um genocídio para impedir a “morte de CNPJ”, porém alguém precisa avisar que CPF morto não produz riqueza econômica, pois não consome – Aliás, a única coisa que cresce por aqui é o lucro dos fabricantes de caixões e das funerárias, então, se você costuma investir na Bolsa de Valores, segue a dica. Por falar em investimento, o Brasil precisa urgentemente investir em uma justiça mais célere, afinal, o soldado da FAB, Manoel S. Rodrigues, preso há um ano e um mês na Espanha, após carregar 39kgs de cocaína num avião da FAB rumo ao G20, segue recebendo os depósitos de seus salários, pois não houve pedido de bloqueio – Um verdadeiro descaso com o orçamento público. E a última notícia de hoje é justamente sobre… Dinheiro: Foi anunciada a criação de uma nota de duzentos reais que passará a circular no final de Agosto e terá como estampa um lobo guará (Ainda bem que não homenagearam os eleitores do atual presidente, pois se o tivessem feito, teríamos gado estampado nas cédulas). A notícia preocupou algumas pessoas que, em suas redes sociais, demonstraram preocupação com a dificuldade que será trocar estas notas no comércio, uma vez que as notas de cem reais já causam transtornos com falta de troco – Considerando os preços absurdos dos alimentos (muito embora o Banco Central insista em dizer que não há inflação) e os caminhos questionáveis que o país vem seguindo, arrisco dizer que qualquer ida rápida ao supermercado mais próximo resolverá esta questão: A tal nota de duzentos ficará por lá, sem direito a troco e possivelmente será um valor insuficiente para suprir as necessidades mais básicas – Mas, depois de todas essas notícias azedas sobre o mundo, o importante é ressaltar que, segundo os conservadores, o maior problema da semana foi o fato de certa marca de cosméticos ter escolhido o Thammy Miranda para estrelar sua campanha de dia dos pais – Alegam que Thammy não é pai por não ter um pênis – Como se isso fosse a única coisa que define um ser humano como homem. Ao invés de se preocupar com a ausência de um pênis, que em nada altera a capacidade de exercer a paternidade, acredito que deveriam se preocupar com ausências que efetivamente afetam o país: Questionem a falta de cérebro dos negacionistas, a falta de caráter das classes dominantes e a falta de humanidade dos que insistem em colocar o lucro acima da vida das pessoas.

BEDA: Blog Every Day August – Também participam

Lunna GuedesViviane AlmeidaAdriana AneliClaudia Chris FerreiraDrica MoreiraMariana Gouveia – Obduliono