Ópera do malandro -Chico Buarque

A segunda leitura do #desafioliterário2020 #Março (se quiser saber quais as outras leituras sugeridas clique aqui e se quiser acompanhar o resumo da primeira leitura de Março, clique aqui) é a “Ópera do Malandro”, uma peça teatral de autoria do músico, dramaturgo e escritor brasileiro Chico Buarque. Embora a história pareça simples e engraçada – A filha de uma família envolvida em negócios escusos engana os pais para se casar com um contrabandista – a análise mais detalhada irá revelar uma crítica ácida aos costumes hipócritas que permeiam a sociedade – Há uma relativa abundância de palavrões, mas como não haveria? As personagens são um casal de cafetões e sua jovem filha, prostitutas e um contrabandista e seus comparsas, além de um policial corrupto que é amigo de Max (o contrabandista). A peça, escrita nos anos 70. é ambientada no Rio de Janeiro dos anos 40, época em que o jogo ainda era legalizado no Brasil. Há uma sensação de tempo se acelerando, como o início do mergulho no jeito norte americano de se viver, a preferência por produtos importados como forma de demonstrar status desenhada em situações ridículas como um vestido de noiva feito de nylon ou em detalhes sutis como os nomes dos comparsas de Max – Apelidos americanizados, copiados de nomes de marcas famosas ligadas a aérea de atuação de cada um dos “malandros”. Malandros esses que se encarregam de levar ao palco através da de sua ginga, juntamente com a fingida inocência das moças e da visão das prostitutas como trabalhadoras que sambam na linha entre a subserviência ao homem e ao patrão e a luta por seus direitos toda uma crítica ao momento em que o Brasil se encontrava mergulhado –  Chico é simplesmente magistral ao retratar com tanta música e humor os momentos tensos vividos pela sociedade brasileira nos anos quarenta mantendo-se atual nos anos 70, onde a censura e a ditadura militar faziam suas vítimas. Ainda mais magistral o autor se torna quando analisando seus textos e versos, encontramos ainda hoje, uma crítica bastante atual. Algumas canções bastante conhecidas fazem parte do texto da peça, complementando as situações colocadas; dentre as canções estão Geni e o Zepelim; Viver do amor e Terezinha, entre outras.        Cumpre salientar que o texto da Ópera do Malandro baseia-se em duas outras obras: Ópera dos Mendigos (John Gay 1728) e Ópera dos Três Vinténs (Bertold Brecht e Kurt Weill, 1928). A “Ópera do Malandro” ganhou uma adaptação cinematográfica em 1986 (disponível no youtube). O elenco, composto por nomes como Edson Celulari e Cláudia Ohana nos papéis principais, atua brilhantemente, entretanto o texto se diferencia bastante da peça – Sem se afastar da crítica social e política.

_____________________________________

Recadinho importante: Se puderem, fiquem em casa! Estamos passando por um momento delicado e tudo que não precisamos agora é lidar com o colapso do sistema de saúde, certo? Sei que, por estar em casa, deveria estar escrevendo mais, mas acreditem: Meu computador não tem facilitado muito a minha vida e eu também estou estudando para concursos - Ou seja: Posso estar em casa, mas a rotina continua maluca! Abraços com carinho!


3 comentários sobre “Ópera do malandro -Chico Buarque

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s