A maior paixão do mundo-A história da freira Mariana Alcoforado e suas cartas de amor proibido

A obra é resultado de uma pesquisa de três anos realizada pela artista cênica canadense Myriam Cyr. A autora debruçou-se sobre o mistério que cerca as chamadas Cartas Portuguesas, publicadas pela primeira vez na França em 1669. As cartas, escritas pela freira portuguesa  Mariana Alcoforado a um amante francês, o cavaleiro Chamilly, causaram um grande impacto ao serem publicadas –  tanto pela intensidade das palavras quanto pela suposta autora ser uma freira – suposta por ter sido possivelmente esta a intenção do editor na época, causar dúvida sobre a veracidade dos escritos, que devido a questões legais vigentes na época, foram publicados em uma antologia em nome de Guilleragues, o que  posteriormente dificultou bastante a comprovação da veracidade do  documento.  Outro fato que  levou os estudiosos a questionarem a autoria das cartas é o fato de que, na Europa do século XVII, não se acreditava que mulheres fossem capazes de produzir obras dotadas de verdadeiro espírito artístico. Há também dúvidas sobre como as cartas de Mariana teriam tornado-se públicas, uma vez que seu amante não era homem dado a comportamentos vis; o mais provável é que Chamilly tenha confidenciado seu romance e mostrado as cartas a um amigo que as copiou e mostrou-as nos salões franceses, onde pessoas da sociedade se reuniam para debater política, arte e filosofia e daí em diante a história de ambos tenha circulado até acabar publicada. Uma freira envolvida sexualmente com um soldado era um escândalo e tanto e, a falta de documentos sobre a vida de Mariana possivelmente seja fruto de uma tentativa de apagar seus rastros.  Os escritos de Mariana retratam a dor da perda de uma paixão lancinante, fatal sendo uma infelicidade que as originais tenham se perdido no tempo, bem como é digno de pesar não termos as cartas escritas por Chamilly.

Myriam Cyr consegue traçar um panorama preciso da história e dos costumes vigentes na Europa durante o século XVII, trazendo em apenas 222 páginas o retrato precioso de uma época, sem perder de vista toda a delicadeza de um amor impossível. A autora, inclui as cinco cartas escritas por Mariana a Chamilly, bem como alguns dos madrigais de autoria de Guilleragues que foram publicadas com as cartas em sua primeira edição, além disso, Cyr inclui  também as “trinta e duas perguntas sobre o amor”, que circulavam nos salons (salões) para que os convidados as debates. A obra conta também com uma admirável e detalhada bibliografia e notas que elucidam os fatos históricos expostos e resumem a biografia das personalidades que de alguma forma participam da história de Mariana e Chamilly.

A maior paixão do mundo

Título: A maior paixão do mundo-A história da freira Mariana Alcoforado e suas cartas de amor proibido.
Autor: Myriam Cyr
Ano: 2007
Número de páginas 222
Editora Casa da Palavra

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s