Como pude minh’alma perder

Como pude minh’alma perder
Por uns caminhos misteriosos
Na contemplação duns olhos langorosos
Ah, como pude minh’alma te prometer

Naquela noite sem saber
Trilhei caminhos silenciosos
Permeado de desejos indecorosos
Ah, como pude minh’alma perder?

Embriagada de amor eu quis sorver
O fulgor dos teus olhos luminosos
Que encontraram os meus olhos esperançosos
Ah! Como pude minh’alma te prometer?

Em meu abraço imaginei te prender
E me enlaçar em teus braços vigorosos
Corpo e alma por teu calor sequiosos
Ah! Como pude minh’alma perder?

Em teus olhos pensei entrever
O amor e seus sonhos virtuosos
Sonhos de dias venturosos
Ah! Como pude minh’alma perder?

E no céu estrelado tentei prever
Nossos futuros, nossos carinhosos mimos
Nosso idílio – dias voluptuosos
Ah! Como pude minh’alma perder

A realidade distante do querer
Sonhos de amor – Enganosos
Brilham em teus olhos carinhosos
Ah! Como é doce a alma perder

O amor,o sorriso e o sofrer
Encontrei nos caminhos sinuosos
Destes teus olhos bondosos
Ah! Quero sempre em você me prender!

(2013)

000r052tz64