Caminhos

Que caminhos a vida me destina?
Curvas sinuosas?
Longas trilhas verdejantes?
Nenhuma surpresa a cada esquina…
Poucas lembranças saudosas…
E muitos dias entediantes…

Profunda e intensa… Uma folha ao vento
Será minha poesia sempre lamento?
Serei sempre… Um par de pegadas na areia…
Uma única taça na mesa à luz de velas, um único travesseiro sobre a cama?
Corroída por essa paixão que me incendeia
Aquecida por esse amor que é tênue chama

Até quando apreciarei o conforto da melancolia?
A Lua solitária como meu ser
A noite, o frio, o triste sorriso e a fantasia
O meu ser é um não-ser, inconformado em te perder
O Amor é um quase invisível fio que nos uniu
E brevemente se partiu

Assim, a escuridão é tudo que me conforta
Quando chega a noite e te vejo em mágicas miragens
Sonhos, do Amor imagens
Dor que me afoga; lâmina que a minha alma corta
E ao mesmo tempo me seduz
E a amar-te mais e mais me conduz.

(Imagem: Internet)

Anúncios

Um comentário sobre “Caminhos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s