Você, corrente que ata meu corpo

Você… Corrente que ata meu corpo
Tira-me os movimentos
Corta, sangra
Sem querer prender-me, prende-me a ti
Macula a pureza desse amor que sinto
Estraçalha meu peito
Queima-me a alma
Marca-me
Você, que sem querer me mata
Corda que me enforca
Sufoca
Rouba-me o ar, até o último suspiro
Faz de mim uma folha seca
Jogada ao sabor do vento
Abandonada
Sem você, sou a rua triste de outono que só apresenta beleza aos olhos sensíveis o suficiente para entender a tristeza de te amar…

Publicidade