Capítulo 12 – Sob o eclipse

Bonito-Mato Grosso do Sul, Brasil.

BIANCA

Nua, ela se deleitava na água do lago que se formara entre as rochas na entrada da pequena gruta. Já havia visitado a parte interna da caverna, nadando com uma habilidade que não tivera enquanto mortal. Alimentara-se antes de entrar na mata. Ao contrário de Emanuela que havia partido pelo mundo, Bruna preferia seu próprio país. Planejava conhecer belos lugares históricos internacionais, mas queria curtir e muito as belezas naturais brasileiras antes que estas desaparecessem para sempre devido à negligência de muitos mortais gananciosos. A lua começava a ser encoberta – naquela noite, haveria um eclipse total. Bruna olhava o céu. Quando era pequena, acreditava que, se fizesse um desejo para a Lua ela o realizaria, mas seria apenas um desejo durante toda a sua vida, por isso, tinha que pensar bem o que pediria. Não sabia ao certo de onde tirara esta ideia. Sorriu ao lembrar-se dos seus tempos inocentes. Finalmente chegara o momento de fazer o seu pedido à lua… Fechou os olhos e pediu que o grande amor de sua vida a encontrasse. Ao abrir os olhos, deparou-se com Bianca ao seu lado. O corpo banhado pelas águas geladas e os olhos banhados por lágrimas. Nesse momento a lua foi completamente encoberta, e sua sombra encobriu os vultos de dois corpos que se amavam sob o eclipse, no silêncio da mata, junto ao ciciar dos insetos, ouviam-se sussurros e gemidos de amor.

Este foi o último capítulo. Gostaram? Adquiram o livro!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s